Milak quebra recorde olímpico nos 200m borboleta; Leonardo de Deus fica em 6º - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Milak quebra recorde olímpico nos 200m borboleta; Leonardo de Deus fica em 6º

Compartilhe

O nadador húngaro Kristof Milak quebrou o recorde olímpico dos 200m borboleta, em Tóquio 2020. Além de ficar com a medalha de ouro, o atleta registrou o tempo de 1:51.25, superando a marca que pertencia a Michael Phelps, feita em Pequim 2008.

Quem também esteve na prova dos 200m borboleta, na noite de terça-feira (27), foi o brasileiro Leonardo de Deus, que chegou na sexta posição, com 1:55.19, um tempo acima das marcas registradas na fase preliminar e semifinal.

Outra prova eletrizante foi os 200m livre feminino. E mais uma vez, quem roubou os holofotes foi a australiana Ariarne Titmus, que não só venceu mais um duelo contra Katie Ledecky, como quebrou o recorde olímpico, nadando em 1:53.50. A estadunidense, por sua vez, não conseguiu um lugar no pódio, ficando sem medalhas pela primeira vez em 36 provas das competições mais importantes da natação.

Ainda assim, nem tudo foi ruim para Ledecky. Na final seguinte, ela venceu com certa tranquilidade a prova dos 1.500m livre, estreante nos Jogos Olímpicos e tornou-se a primeira campeã olímpica desta competição.

Teve mais Brasil nesta terça-feira. Nosso time de revezamento 4x200m livre masculino, formado por Fernando Scheffer, Murilo Sartori, Breno Correia e Luiz Altamir, esteve na piscina e ficou com a oitava colocação. O ouro ficou com a Grã-Bretanha, que ficou sem o recorde mundial por 0.04.

FINAIS

200m livre feminino
Recorde Mundial: Federica Pellegrini (ITA) - 1:52.98
Recorde Olímpico: Allison Schmitt (USA) - 1:53.61

Ouro: Ariarne Titmus (AUS) - 1:53.50 (OR)
Prata: Siobhan Bernadette Haughey (HKG) - 1:53.92 (AS)
Bronze: Penny Oleksiak (CAN) - 1:54.70

Foto: Stefan Wermuth/Reuters
Numa prova fortíssima, Ariarne Titmus foi quase perfeita no final e ficou com a medalha de ouro, além de ter quebrado o recorde olímpico dos 200m livre feminino, com a marca de 1:53.50. Curiosamente, a nadadora australiana só apareceu entre as primeiras colocadas nos últimos 100 metros.

A medalha de prata ficou com a atleta de Hong Kong, Siobhan Bernadette Haughey, que quebrou o recorde asiático da prova, registrando 1:53.92. A medalhista de bronze na prova foi Penny Oleksiak, do Canadá, que liderou a prova nos primeiros 50 metros.

Curiosamente, uma das favoritas, Katie Ledecky, sequer foi ao pódio, fechando o percurso com 1:55.21, na quinta posição.

200m borboleta masculino
Recorde Mundial: Kristof Milak (HUN) - 1:50.73
Recorde Olímpico: Michael Phelps (USA) - 1:52.03

Ouro: Kristof Milak (HUN) - 1:51.25 (OR)
Prata: Tomoru Honda (JPN) - 1:53.73
Bronze: Federico Burdisso (ITA) - 1:54.45

Milak (esq), Leonardo (centro) e Burdisso (dir). Foto: Antonio Bronic/Reuters
Em outra prova muito disputada nesta terça-feira, Kristof Milak foi mais um atleta responsável por quebrar um recorde olímpico. Ele superou a marca que havia sido estabelecida há quase 13 anos por Michael Phelps nos 200m borboleta, anotando 1:51.25. E claro, o húngaro atingiu as expectativas, ficando com a medalha de ouro após atropelar a concorrência nos 50 metros finais.

A prata ficou surpreendentemente com o japonês Tomoru Honda, que não figurava entre os líderes do evento nos 150 primeiros metros. Ele nadou a prova em 1:53.73, chegando muito atrás de Milak.

Já o bronze ficou com o italiano Federico Burdisso, que chegou apenas 0.07 na frente do outro nadador húngaro da prova, Tamas Kenderesi. O brasileiro Leonardo de Deus foi o sexto colocado, com 1:55.19.

200m medley feminino
Recorde Mundial: Katinka Hosszu (HUN) - 2:06.12
Recorde Olímpico: Katinka Hosszu (HUN) - 2:06.58

Ouro: Ohashi Yui (JPN) - 2:08.52
Prata: Alex Walsh (USA) - 2:08.65
Bronze: Kate Douglass (USA) - 2:09.04

Foto: Marko Djurica/Reuters
A prova dos 200m medley feminino foi definida no detalhe, braçada a braçada. Melhor para a japonesa Ohashi Yui, que venceu por 0.13 de vantagem para Alex Walsh.

No nado borboleta, Yu passou em primeiro lugar, mantendo o posicionamento no trecho costas. No nado peito, Walsh e Ohashi tomaram o protagonismo da prova, com Yu despencando na disputa.

Com uma grande performance na virada final, quem bateu na frente foi Ohashi, que competindo em seu país, ganhou sua segunda medalha de ouro em Tóquio 2020, após ter sido campeã também nos 400m medley.

1.500m livre feminino
Recorde Mundial: Katie Ledecky (USA) - 15:20.48
Recorde Olímpico: Katie Ledecky (USA) - 15:35.35

Ouro: Katie Ledecky (USA) - 15:37.34
Prata: Erica Sullivan (USA) - 15:41.41
Bronze: Sarah Kohler (GER) - 15:42.91

Foto: Antonio Bronic/Reuters
Katie Ledecky tirou a ‘zika’ e conquistou seu primeiro ouro olímpico em Tóquio 2020. E foi uma conquista de extrema importância, uma vez que agora, a estadunidense entra para a história como primeira campeã olímpica dos 1.500m livre.

Longe do tempo feito nas classificatórias, Ledecky ainda assim venceu a decisão de ponta a ponta, não dando chances para as demais adversárias. De quebra, os Estados Unidos tiveram uma dobradinha, com a medalha de prata indo para Erica Sullivan.

A decepção da prova foi a italiana Simona Quadarella, atual campeã mundial nos 1.500m livre, que ficou apenas com a quinta colocação nos Jogos Olímpicos, marcando 15:53.97.

Revezamento 4x200m livre masculino
Recorde Mundial: Estados Unidos - 6:58.55
Recorde Olímpico: Estados Unidos - 6:58.56

Ouro: Grâ-Bretanha - 6:58.58 (ER)
Prata: Comitê Olímpico Russo - 7:01.81
Bronze: Austrália - 7:01.84

Tom Dean, James Guy, Matthew Richards e Duncan Scott por pouco (0.04) não quebraram o recorde mundial do revezamento 4x200 livre masculino. No entanto, o time da Grã-Bretanha ficou com a medalha de ouro na prova e ainda registrou o melhor tempo da história entre países do continente europeu.

A surpresa ficou por conta dos Estados Unidos, que sequer foram ao pódio olímpico. A equipe estadunidense chegou em quarto lugar, 0.57 atrás da Austrália, medalhista de bronze. A prata foi para o Comitê Olímpico Russo.

O Brasil participou da prova e chegou a ficar entre os três primeiros, enquanto Fernando Scheffer esteve na piscina, mas a equipe acabou caindo algumas posições ao longo da troca de nadadores e concluiu em oitavo lugar, com 7:08.22.

SEMIFINAIS

Seis baterias de semifinais foram disputadas nesta terça-feira, com destaque para os 100m livre masculino e 200m borboleta feminino.

Nos 100m livre masculino, Caeleb Dressel nadou tranquilamente em sua bateria, marcando 47.23, o segundo melhor tempo nas semifinais. Já nos 200m borboleta, Zhang Yufei colocou mais de 1,5 segundos de diferença para a nadadora que conseguiu a segunda melhor marca do dia, Hall Flickinger, dos Estados Unidos.

Finalistas 100m livre masculino
1º - Kliment Kolesnikov (ROC) - 47.11
2º - Caeleb Dressel (USA) - 47.23
3º - Alessandro Miressi (ITA) - 47.52
4º - Hwang Sunwoo (KOR) - 47.56
5º - David Popovici (ROM) - 47.72
6º - Klye Chalmers (AUS) - 47.80
7º - Nandor Nemeth (HUN) - 47.81
8º - Maxime Grousset (FRA) - 47.82

Finalistas 200m borboleta feminino
1º - Zhang Yufei (CHN) - 2:04.89
2º - Hall Flickinger (USA) - 2:06.23
3º - Boglarka Kapas (HUN) - 2:06.59
4º - Regan Smith (USA) - 2:06.64
5º - Yu Liyan (CHN) - 2:07.04
6º - Brianna Throssell (AUS) - 2:08.41
7º - Svetlana Chimrova (ROC) - 2:08.62
8º - Alys Margaret Thomas (GBR) - 2:09.07

Finalistas 200m peito masculino
1º - Izacc Stubblety-Cook (AUS) - 2:07.35
2º - James Wilby (GBR) - 2:07.91
3º - Arno Kamminga (NED) - 2:07.99
4º - Nic Fink (USA) - 2:08.00
5º - Matti Mattsson (FIN) - 2:08.22
6º - Mura Ryuya (JPN) - 2:08.27
7º - Anton Chupkov (ROC) - 2:08.54
8º - Erik Persson (SWE) - 2:08.76

Foto: Marko Djurica/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário