Luisa Stefani e Laura Pigossi salvam 4 match points, viram jogo memorável e garantem o bronze histórico no tênis - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Luisa Stefani e Laura Pigossi salvam 4 match points, viram jogo memorável e garantem o bronze histórico no tênis

Compartilhe

Tinha que ser dessa forma. No sufoco, na garra, na coragem. Luisa Stefani e Laura Pigossi entraram para a história do tênis neste sábado (31). Elas salvaram quatro match points e viraram o jogo contra Veronika Kudemertova e Elena Vesnina, do Comitê Olímpico Russo, para conquistar o bronze nas duplas femininas em Tóquio 2020, primeira medalha olímpica brasileira no tênis.

Placar de 2 sets a 1 para Luisa e Laura, com 4-6, 6-4 e 11-9 no match tiebreak. Essa foi a segunda vez em que as brasileiras salvaram quatro match points no torneio. Na primeira oportunidade, elas eliminaram Marketa Vondrousova e Karolina Pliskova, da República Tcheca. 

Desta forma, a primeira medalha do tênis brasileiro, veio das mãos das mulheres, que seguem fazendo história em Tóquio 2020. 


Confira como foi a conquista do bronze por Pigossi/Stefani em detalhes

O primeiro set


Sem encontrar dificuldades, Kudemertova e Vesnina confirmaram rapidamente seu primeiro game de saque. Mais agressivas, as russas quebraram o serviço de Luisa e Laura, abrindo 2-0 após um erro no voleio.

Pressionadas por estarem atrás no primeiro set, as brasileiras conseguiram a confirmação de serviço, com belo voleio de Luisa, para levar a parcial ao 4-2 russas.

No sétimo game do primeiro set, Luisa e Laura timidamente passaram a se impor nos pontos. Assim chegaram ao seu primeiro break point na partida. Com erro de Kudemertova e Vesnina, as brasileiras conseguiram voltar pro jogo, quando já parecia improvável. Na sequência elas conseguiram o empate, deixando o marcador em 4-4

Com ótimas devoluções de Vesnina, as russas chegaram ao set point, durante o saque de Luisa. A dupla do Brasil até salvou uma das chances de quebra de saque, mas nao conseguiram evitar a derrota na parcial por 6-4.

As russas cometeram um número maior de erros não-forçados (14 a 12), mas também tiveram mais winners que as brasileiras (8 a 2). Algo que ficou muito aparente desde o jogo da semifinal, era a dificuldade e contratada durante os games de saque de Luisa Stefani.

O segundo set


Apesar da derrota na primeira parcial, Luisa e Laura viviam um momento melhor que as russas no jogo. Dessa forma elas já entraram no segundo set pressionando o saque das adversárias. Com um triplo break point, as brasileiras não desperdiçaram a oportunidade e abriram o placar com a quebra de serviço.

No game seguinte, mesmo com a combinação de Laura no saque e Luisa fechando a rede, algo que estava rendendo bons dividendos ao longo do jogo, as tenistas russas conseguiram colocar a dupla brasileira contra a parede. Mas após salvar break points, a dupla do Brasil confirmou o serviço e abriu 2-0.

Após bons games de Luisa e Laura, as russas voltaram a se impor no jogo. Começaram a forçar o jogo logo nas devoluções. Porém, as brasileiras fizeram um importante ajuste dentro do game e Luisa mudou a direção dos saques, induzindo as adversárias ao erro, para levantar o game e abrir 5-3.

Num longo game com Vesnina no saque, Luisa e Laura acreditaram até o fim, pressionaram e se aproveitaram de duas duplas-faltas para chegar ao set point, salvo pelas russas. Mas no game seguinte a vitória brasileira na parcial foi inevitável. Com 6-4 no segundo set, Luisa e Laura forçaram a disputa do match tiebreak, valendo a medalha de bronze olímpica.

Luisa e Laura tiveram três aces no segundo set, e nao cometeram duplas-faltas, enquanto as adversárias cometeram três erros como este. Ambas as duplas marcaram seis winners, com destaque aos 66% de aproveitamento dos pontos jogados com o primeiro serviço, no lado das brasileiras.

Match tiebreak


As russas começaram melhor no desempate, ao abrir 2 a 1 após dupla-falta de Laura Pigossi. A vantagem foi ampliada pelas adversárias, que fizeram dois pontos seguidos em dois serviços efetuados.

A dupla do Brasil voltou a pontuar com belo voleio de Luisa Stefani. Mas as russas voltaram a abrir vantagem no placar, chegando a 7 a 2.

Com Laura muito bem nas passadas, o Brasil reduziu a margem russa e o placar ficou em 7 a 5. Mas um ace providencial de Vesnina freou a reação das brasileiras.

As russas tiveram quatro match points. Mas foi ai que elas começaram a sucumbir. Luisa e Laura foram geniais ao salvar cada oportunidade das adversárias. No 9 a 9, as brasileiras passaram a comandar o desempate. Fizeram mais dois pontos seguidos, para vencer o jogo e entrar para a história do tênis.

Foto: Rafael Bello/COB

Quem é Luisa Stefani?


Atual número 23 do mundo nas duplas, Luisa nasceu na cidade de São Paulo e tem 23 anos. A tenista destra tem dois títulos de duplas na WTA, ambos ao lado da estadunidense Hayley Carter (sua parceira fixa no circuito). Além disso, elas tiveram excelente campanha no WTA 1000 de Miami, nesta temporada, ao chegarem na final.

De quebra, Luisa foi medalhista de bronze nas duplas durante os Jogos Pan-americano de Lima, em 2019 (com Carolina Meligeni). Sua melhor participação em Majors foi a fase de quartas de final, alcançada no US Open de 2020.

Quem é Laura Pigossi?


A paulistana de 26 anos é a atual número 188 no ranking de duplistas da WTA. Nesta categoria, a tenista tem 38 títulos nível ITF, além de outros 20 vice-campeonatos.

Ela representou o Brasil nos Jogos Sul-americanos de 2014, em Santiago, e ficou com a medalha de bronze nas duplas, jogando com Paula Gonçalves.

Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário