Ítalo Ferreira vence Owen Wright e vai disputar o ouro em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Ítalo Ferreira vence Owen Wright e vai disputar o ouro em Tóquio

Compartilhe

O atual campeão mundial de surfe, Ítalo Ferreira, irá disputar a grande final dos Jogos de Tóquio-2020 e poderá ser o primeiro medalhista de ouro olímpico da história da modalidade. O potiguar venceu o australiano Owen Wright por 13.17 (6.67 + 6.50) a 12.47 (6.00 + 6.47) na semifinal. Ele volta as águas da praia de Tsurigasaki às 03h45 desta terça (27) para disputar a final. Gabriel Medina disputará o bronze, às 02h15.


Em uma bateria que reuniu dois atletas do Circuito Mundial, os dez primeiros minutos foram de ondas medianas e o potiguar fez 4.50 e 1.73. Ele ainda tentou um aéreo no qual ele fez rotação perfeita e alcançou uma boa altura, mas ele acabou caindo na aterrissagem. Neste início, Owen ficou com 5.00 e 2.57


Nos cinco minutos seguintes, o brasileiro acertou uma boa manobra com um pequeno aéreo e trocou seu 1.73 por 6.50, somando 11.00 pontos. Wright respondeu com duas fortes rasgadas e uma batida no lip, pontuada em 6.00 e o confronto ficou empatado. Como Ítalo tinha a melhor nota da bateria, ele ficou com a vantagem no desempate.


Sabendo que o aéreo é seu diferencial e que a manobra vem sendo muito bem pontuada no torneio, Ítalo tentou mais uma vez o aéreo no qual falhou no começo da série e, mais uma vez, caiu na hora de completar. Foi então, que ele fez duas rasgadas fortes e finalizou com uma boa manobra na junção, tirando 6.67. Owen passou a precisar, então, de um 7.17.


O australiano tentou mas na primeira manobra sua prancha agarrou na água e tirou 6.47. A cinco minutos do fim, um 6.60 o classificava. Ele tinha a prioridade, mas a perdeu rapidamente e acabou não achando uma onda que possibilitasse a virada. Assim, Owen irá disputar o bronze contra Gabriel Medina. Ítalo irá enfrentar o anfitrião Igarashi Kanoa na disputa pelo primeiro ouro olímpico do surfe.


Foto em destaque: Lisi Niesner/ Reuters


Nenhum comentário:

Postar um comentário