Com Ana Sátila, canoagem slalom do Brasil estreia nos Jogos Olímpicos em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Com Ana Sátila, canoagem slalom do Brasil estreia nos Jogos Olímpicos em Tóquio

Compartilhe

Ana Sátila e Pedro Gonçalves são os representantes do Brasil na Canoagem Slalom nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio. Pepe entra na água pelo K1 (caiaque individual) já Sátila irá disputar duas categorias: K1 (caiaque individual) e o C1 (canoa individual) que fará sua estreia olímpica nesta edição no Japão. Com a inclusão desta prova, pela primeira vez, haverá uma igualdade em participações de homens e mulheres na modalidade.

Outro número importante é referente ao recorde de países participantes, ao todo 34, superando grandes participações anteriores como Rio 2016 e Londres 2012 que contaram com 30 países, ao todo serão 82 atletas competindo. As disputas iniciam no domingo (25) e irão até a sexta-feira (30) e serão realizadas no Kasai Canoe Slalom Centre.

Ana Sátila fará sua terceira participação olímpica, nos Jogos Olímpicos Londres 2012 ela foi a atleta mais nova da delegação brasileira, na época tinha apenas 16 anos. Quatro anos mais tarde disputou a edição do Rio 2016, nessas duas participações a canoísta competiu no K1 (caiaque individual) e agora em Tóquio 2020 com a inclusão do C1 Feminino ela terá duas chances de brigar por medalhas. A atleta inicia sua saga olímpica com os pés no chão, acredita que fez uma boa preparação e quer trazer um resultado inédito para o Brasil.

“Eu estou muito animada para começar as minhas competições, a intenção é dar o meu melhor e temos condições de trazer algo inédito pra nós, estou com muita confiança, estamos superando várias barreiras, só em poder participar nesse momento tão difícil que vivemos já é uma grande vitória. Tenho me dedicado em ambas as categorias na canoa e no caiaque e no final um ajuda o outro, pela primeira vez competir nos Jogos Olímpicos em duas categorias, eu sempre competi nas Copas do Mundo e Mundiais as duas simultaneamente então é usar a mesma estratégia para sair bem satisfeita de Tóquio”, fala Sátila. Mathieu Desnos será o treinador da atleta, desde 2017 o canoísta e treinador acompanha Ana Sátila, nos últimos meses ele se tornou oficialmente o seu treinador.

Participando de sua segunda edição olímpica, Pedro Gonçalves viveu um “susto” inicial antes de chegar em Tóquio por causa do seu exame de COVID falso positivo, ele acredita que isso foi um sinal para estar cada vez mais com o pé no chão para a competição.

“A lição começou bem antes de eu embarcar tudo foi um grande aprendizado, quero levar desse Jogos a alegria, mostrar o quanto sou honrado em representar essa bandeira, eu quero sair daqui com um resultado positivo brigar muito para trazer uma medalha entrar na água com muita seriedade, o que estava no nosso alcance foi feito estamos prontos e preparado para esse grande momento”, comenta Pepe. Nos Jogos Olímpicos Rio 2016 ele obteve a 6ª colocação no caiaque, o melhor resultado da história para o Brasil na Canoagem Slalom.

O Pepe terá como técnico Vávra Hradilek que na sua carreira como atleta foi tricampeão mundial, tricampeão europeu e medalhista de prata em Londres 2012, ambos são conhecidos de longa data, foram concorrentes em várias competições, mas agora em Tóquio o tcheco irá repassar toda sua experiência para ajudar a trilhar o caminho do pódio para Pepe.

O palco para a disputa olímpica será no Kasai Canoe Slalom Center, é o primeiro canal artificial para o esporte construído no Japão, ele foi desenvolvido em um terreno no Parque Kasai Rinkai, o governo de Tóquio planeja futuramente utilizar a instalação para a difusão de uma ampla variedade de esportes aquáticos e de lazer.

Foto: Gaspar Nobrega/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário