Brasil se despede da Copa do Mundo de esgrima em cadeira de rodas com dois top 10 - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Brasil se despede da Copa do Mundo de esgrima em cadeira de rodas com dois top 10

Compartilhe

O Brasil encerrou a participação na Copa do Mundo de Esgrima em Cadeira de Rodas, em Varsóvia, na Polônia. No sábado (10), Jovane Guissone ficou em quinto lugar na disputa de espada masculino B, enquanto Mônica Santos ficou em décimo lugar no sabre feminino B. Este foi o último teste para os Jogos Paralímpicos de Tóquio.

O gaúcho Jovane Guissone, uma das principais esperanças de medalhas na Paralimpíada, fez uma pule excelente. Em três dos cinco confrontos – contra Gianmarco Paolucci (ITA), Aleksandr Kurzin (RUS) e Patrik Banach (POL) – venceu por 5 a 0. Conquistou vitórias também contra o israelense Matoko Rada (4 a 3) e e contra o francês Marc Andre Cratere, por 5 a 1.

A campanha invicta na primeira parte do torneio fez com que o brasileiro passasse diretamente pela fase de 32. No quadro de 16, bateu o húngaro 15 a Istvan Gergely, por 15 a 5. Mas, acabou caindo na sequência, para o mesmo polonês que havia vencido minutos antes, perdendo por 15 a 11.

“Essa competição foi bem atípica, mas o bom é que serviu para quebrar o gelo, aquele nervosismo que os atletas sentem depois de ficar tanto tempo sem competir. Seria muito ruim se fossem para Tóquio sem essa experiência. O Jovane estava um pouco nervoso, tanto no florete quanto na espada. Tem aquela vontade de ganhar, mas ele não conseguiu mostrar todo o seu jogo”, explicou o chefe da equipe brasileira, Ivan Schwantes.

Mônica Santos, por sua vez, disputou sua segunda arma, o sabre. Na pule, venceu duas adversárias: a polonesa Jadwiga Pacek (5 a 2) e a russa Liudmila Vasileva (5 a 1). No quadro de 16, foi derrotada pela alemã Sylvi Tauber, por 15 a 5.

“O sabre é uma arma de participação no ranking combinado. Mas bem legal, ela conseguiu fazer algumas ações que tínhamos treinado, fez jogos bem parelhos com atletas fortes. Foi uma prova que serviu para o objetivo de tirar a tensão e dar ritmo de jogo”, analisou o técnico Eduardo Nunes.

Foto: Mirani Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário