Atletas do wrestling brasileiro seguem para Tóquio em busca da primeira medalha olímpica - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Atletas do wrestling brasileiro seguem para Tóquio em busca da primeira medalha olímpica

Compartilhe


A delegação do wrestling brasileiro viaja para neste domingo (18/7), às 20h, rumo a Tóquio, sede dos Jogos Olímpicos 2020. Além das atletas olímpicas Aline Silva e Laís Nunes, os sparrings Beatriz Reis, Edvanílson de Jesus e Igor Queiroz também integram a equipe nacional, comandada pelo treinador cubano Nisdany Perez. O chefe de equipe é Felipe Macedo, medalhista nos Jogos Pan-americanos 2007, no estilo greco-romano.

“A equipe realizou o período final de preparação no Centro de Treinamento do Time Brasil com treinos direcionados e bastante proveitosos. Vamos realizar o período de aclimatação em Ota e no dia 29 seguimos para a Vila Olímpica. É um momento especial poder participar de uma edição de Jogos Olímpicos, especialmente para quem foi atleta”, explicou Felipe, que estreia na principal competição da modalidade


Já a equipe de lutadores é toda remanescente dos Jogos Rio 2016 e compete a segunda edição de Jogos Olímpicos. Laís Nunes, 28 anos, atleta da categoria 62kg do estilo livre feminino é uma das candidatas ao pódio olímpico. Durante o ciclo esteve sempre entre as melhores do mundo e foi quinta colocada no Campeonato Mundial 2018. Aline Silva, 34 anos, medalhista mundial em 2014, teve um início de ciclo machucada, mas se recuperou a tempo de conquistar a vaga olímpica e voltar a figurar entre as melhores na categoria 76kg e também estar entre as cotadas para subir ao pódio.

O armênio naturalizado brasileiro, Eduard Soghomonyan, 31 anos, realizou o período final de preparação entre Geórgia e Armênia, onde participou de treinamentos com atletas da sua categoria de peso: 130kg do estilo greco-romano. Em uma divisão de peso que conta com o tricampeão olímpico, Mijaín Lopez, e o turco Riza Kayaalp, Eduard quer surpreender.

“Não gosto de prometer nada antes de uma competição. Durmo e acordo pensando na medalha e trabalhei muito para isso. Quero surpreender o mundo, trazer essa primeira medalha para o Brasil e entrar para a história do wrestling brasileiro e mundial”, afirmou Eduard Soghomonyan.

Foto: Igor Bione e Caio Almeida/CBW

Nenhum comentário:

Postar um comentário