Os Jogos Olímpicos na televisão brasileira - Atenas 2004, Bandsports - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Os Jogos Olímpicos na televisão brasileira - Atenas 2004, Bandsports

Compartilhe



Narração: Carlos Fernando, Eduardo Vaz, Álvaro José e Silvio Luiz

Comentários: Fábio Sormani (basquete masculino/basquete feminino)

Apresentação: Silvia Vinhas e Elia Júnior

Participação: Beto Hora, Lélio Teixeira e José Paulo da Glória


Tudo que Luciano do Valle fez e promoveu em televisão, no âmbito dos esportes, desde que deixou a TV Globo, em agosto de 1982 – primeiro passando rapidamente pela TV Record, depois se estabelecendo definitivamente na TV Bandeirantes a partir de 1984 -, tinha uma intenção: criar um canal dedicado 100% a esportes, coisa impossível na televisão aberta. Até houve o sonho de criar uma emissora disponível para televisores com antenas UHF, a partir de 1989 (e houve tratativas de Luciano com o Ministério das Comunicações para isso), mas não foi muito adiante. Até que a televisão a cabo se popularizou no Brasil. E o Grupo Bandeirantes enfim pôde realizar o antigo sonho do narrador e empresário, mesmo que o próprio já nem fosse mais tão envolvido assim no projeto: em 13 de maio de 2002, entrava no ar o Bandsports – que se pretendia, segundo o slogan, o “canal de todos os esportes”.



(Vídeo de apresentação do Bandsports para a imprensa e os telespectadores, exibido na época do lançamento do canal, em 2002. Postado no YouTube por Êgon Bonfim)


Aliás, tanto Luciano do Valle já não tinha mais o mesmo ímpeto para impulsionar o Bandsports que, mesmo tendo abandonado a intenção de parar com a narração em grandes eventos, ele deixou o Bandsports (e a própria Bandeirantes da qual era um dos símbolos), suspendendo o contrato e sendo “emprestado” à Record na metade de 2003. Tudo bem: o Bandsports seguiu sem seu patrono. Transmitiu os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em 2003, fazendo parte da estrutura montada pela emissora-mãe para a cobertura daquele Pan. E seria assim novamente em 2004: além da equipe da Band, 10 enviados do Bandsports iriam para os trabalhos no centro de imprensa em Atenas, responsáveis pelos primeiros trabalhos da história da emissora esportiva do Grupo Bandeirantes em Jogos Olímpicos. Dois canais estariam à disposição do Bandsports – mas um deles só estaria acessível aos assinantes da operadora Directv.


A maioria desses dez nomes era de narradores. Como Carlos Fernando, vindo da ESPN Brasil para iniciar a história do canal, em 2002. Como Álvaro José e Silvio Luiz, que mesmo mais concentrados nos trabalhos na cobertura da Bandeirantes em Atenas, sempre deixavam sua voz numa ou noutra disputa no Bandsports durante aquelas Olimpíadas. Faziam isso também as “Mulheres de Atenas” – ou seja, as comentaristas femininas nas quais os trabalhos da Band se ancoravam, como Ana Moser, acompanhando os jogos do torneio de vôlei feminino. Comentarista próprio da emissora para aquelas disputas na Grécia, só um: Fábio Sormani, que tinha um programa de basquete ali e ali comentou o torneio olímpico masculino do bola-ao-cesto (sim: embora essa faceta de seu trabalho seja menos conhecida atualmente, Sormani é histórico acompanhante de basquete na imprensa, tendo se notabilizado por uma coluna na Folha de S. Paulo, durante os anos 1990).


Mas se Álvaro José e Silvio Luiz, símbolos da era “canal do esporte” que seguiam no Grupo Bandeirantes, estavam mais focados na emissora primordial do grupo, outros dois remanescentes de tempos idos estavam só no Bandsports. Eram Silvia Vinhas e Elia Júnior: após as rápidas passagens de ambos pela também rápida volta do SBT ao esporte, em 2003, ambos vieram para o Bandsports. E eram os principais âncoras daquela cobertura, que começava tão logo o dia olímpico se iniciava, no princípio da manhã, e seguia até o fim das disputas – priorizando as competições envolvendo brasileiros. Terminando o dia, às 18h de Brasília, o Bandsports exibia a reprise do principal evento envolvendo brasileiros em Atenas. E logo depois, às 20h30, enfim o Bandsports News Olímpico arrematava o dia: Silvia e Elia apresentavam o principal noticioso do canal, com reportagens tanto da própria equipe do canal quanto dos repórteres da Band na cidade-sede olímpica.


No entanto, o real destaque daquela cobertura incipiente ia para outro programa, iniciando uma relativa tradição do Bandsports em encerrar o dia de suas grandes coberturas com humor. Naquela altura – meio de 2004 -, o trio formado pelos radialistas Lélio Teixeira e José Paulo da Glória, mais o humorista Beto Hora, tinha na televisão a oportunidade de estender o sucesso que faziam na Rádio Bandeirantes paulista, por meio do Na Geral, programa veiculado a partir das 18h, falando de futebol com a apresentação escrachada de Lélio e José Paulo, mais as imitações de Beto Hora (escolhido um dos melhores imitadores de Pelé – pelo próprio). Na Band, ao meio-dia de Brasília, precediam a parte mais séria do Esporte Total com o Esporte Total na Geral. E no Bandsports, especialmente naqueles Jogos Olímpicos, o trio do Na Geral pôde se dar ao luxo de ser ainda mais bem humorado: às 22h de Brasília, faziam piada com as disputas olímpicas na Grécia, com o Na Geral – Zeus me Livre.


Uma novidade que preconizou mais programas engraçados em coberturas vultosas do Bandsports – como o Dois no Banco que Ivan Zimmermann e Celso Miranda dividiram, na cobertura da Copa de 2010. E que foi um item engraçado, nas primeiras Olimpíadas do canal. Como se sabe, a primeira ninguém esquece...

Nenhum comentário:

Postar um comentário