Guia do Pré-Olímpico Mundial de basquete masculino - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Guia do Pré-Olímpico Mundial de basquete masculino

Compartilhe


Nesta terça-feira (29) começam a ser disputados os Pré-Olímpicos de basquete masculino, torneios que definirão as quatro últimas vagas do torneio de Tóquio-2020. O Brasil estará presente entre as 23 seleções que participam dos torneios qualificatórios e buscará se juntar a Argentina, Austrália, França, Irã, Nigéria, Espanha e Estados Unidos, equipes classificadas pelo Mundial de 2019.

A seleção, comandada pelo técnico croata Aleksandr Petrovic, luta para evitar que o basquete brasileiro fique de fora de uma Olimpíada tanto no masculino quanto no feminino, algo que não acontece desde os Jogos de Montreal em 1976 - há 45 anos.

O formato de disputa do Pré-Olímpico deste ciclo é diferente em relação ao Rio de Janeiro: 23 equipes estão divididas em quatro sedes, Victoria (CAN), Belgrado (SRB), Split (CRO) e Kaunas (LTU) - seis países em Victoria, Split e Kaunas e cinco em Belgrado - e só o campeão de cada chave se classifica para a Olimpíada.
 
As seis (ou cinco) seleções de cada sede são divididas em dois grupos de três, que se enfrentam entre si na primeira fase, com as duas melhores seleções de cada grupo avançando para os confrontos das semifinais. Os vencedores das partidas se enfrentam na final pela vaga. 

O Brasil disputará o torneio de Split, na Croácia, e terá como adversários iniciais a Tunísia e os donos da casa. O outro grupo é composto por Alemanha, México e Rússia. A equipe estreia nesta terça-feira (29), às 15h, no horário de Brasília, com transmissão do SporTV 2.

Vamos analisar as seleções de cada sede, a começar por onde estará o Brasil:

Split (CRO)

Grupo A – Alemanha, México e Rússia
Este é um dos grupos mais equilibrados dentre todos os oito formados nesse Pré-Olímpico, onde qualquer equipe pode ficar em primeiro ou ser eliminada na primeira fase. No entanto, Alemanha e Rússia parecem levar pequena vantagem para ficar com as vagas na semifinal.

Os alemães não terão Dennis Schroder e Maxi Kleber, seus principais jogadores que atuam na NBA, mas vem com um garrafão forte e com atletas que não jogaram muito na última temporada para tentar ficar com uma vaga olímpica, como Moritz Wagner, do Orlando Magic.

Já a Rússia, desfalcada de seu principal jogador,  Alexey Shved, espera que a base do CSKA Moscou – que foi ao final four da Euroleague – e o pivô ex-NBA Timofev Mozgov sejam suficientes para pegar a vaga. 

O México, por sua vez, estará sem Juan Toscano-Anderson, destaque do Golden State Warriors na última temporada da NBA, mas conta com a força de seus veteranos como Paulo Stoll, Francisco Cruz e Gustavo Ayon para surpreender e beliscar essa vaga olímpica..


Grupo B – Brasil, Croácia e Tunísia

Um grupo com forças bem claras: Brasil e Croácia devem, na teoria, passar sem dificuldades pela Tunísia. Inclusive, o confronto entre brasileiros e croatas na primeira fase será interessante, já que ficará a dúvida sobre mostrar todas as suas armas logo de cara na chance das equipes se reencontrarem na final - o que muitos apostam -, ou deixar alguns trunfos escondidos na manga.
Aos 38 anos, Marcelinho Huertas tem brilhado na liga espanhola e é peça-chave para o Brasil no Pré-olímpico
O certo é que o Brasil, mesclando a experiência de Marcelinho Huertas, Anderson Varejão, Vitor Benite  Alex, com a juventude de Yago, Georginho, Lucas Dias e Bruno Caboclo, vai tentar seguir os conselhos de Aleksandr Petrovic e "defender até sangrar" para buscar uma surpresa em Split.

Do lado croata, o "gatilho" de 3 pontos Bojan Bogdanovic, do Utah Jazz, é o principal nome da equipe, que não pode contar com Ivica Zubac e Dario Saric, envolvidos nas finais da NBA com Los Angeles Clippers e Phoenix Suns, respectivamente. O experiente Roko Leni Ukic e os jovens Mario Hezonja (com passagem na NBA) e Ante Zizic também são destaques dessa equipe, que tem também um grande reforço: a apaixonada torcida, que deve apoiar sua seleção do início ao fim e ser um tormento para os adversários.
As bolas de 3 de Bogdanovic serão a principal arma da Croácia. Olho nele, Brasil! 
Partidas
29 de junho
Alemanha x México  
Tunísia x Brasil (Transmissão do SporTV)

30 de junho
México x Rússia
Brasil x Croácia (Transmissão do SporTV)

1º de julho
Rússia x Alemanha
Croácia x Tunísia

O vencedor desse Pré-Olímpico se juntará ao Grupo B do torneio olímpico, com Austrália, Nigéria e o vencedor do Pré-Olímpico da Sérvia (confira abaixo).

Belgrado (SRB)

Grupo A – Sérvia, República Dominicana e Filipinas
Na teoria, a Sérvia tem o caminho mais fácil para ficar com a vaga olímpica
Se teve um país que deu muita sorte em seu sorteio, foi a Sérvia. Jogando em casa, com um dos maiores armadores dos últimos anos, Milos Teodosic ; o MVP da Euroleague,  também armador Vasilije Micic; dois reforços vindos da NBA, Nemanja Bjelica e Boban Marjanovic (o MVP da NBA Nikola Jokic pediu dispensa), os sérvios devem passar fácil pelos dominicanos e filipinos, e muito provavelmente também não terão muitos sustos com os adversários da semifinal e da final.

Pelos adversários do outro grupo, esses jogos serão apenas treinamentos para a seleção sérvia chegar em Tóquio mais entrosada. Eles não pegarem essa vaga olímpica será uma grande surpresa.

Grupo B – Itália e Porto Rico 
Mesmo sem nomes consolidados na NBA como Marco Belinelli e Danilo Gallinari, a Itália, tem um bom grupo, comandados pelos pivôs Archile Polonara e Nicollo Melli e deverá ficar em primeiro sem muitos sustos. Porto Rico vem com uma equipe jovem, sem grandes estrelas e não deve ser um grande desafio para os italianos. 

Senegal participaria desse grupo, mas três casos de covid-19 no elenco fizeram a seleção africana ser proibida de entrar na Sérvia e assim ser excluída da competição. Com isso, Itália e Porto Rico se enfrentam apenas para definir quem fica em primeiro e em segundo no grupo no dia 1º.

Partidas
29 de junho
República Dominicana x Sérvia

30 de junho
Sérvia x Filipinas

1º de julho
Itália x Porto Rico
Filipinas x República Dominicana

O vencedor desse Pré-Olímpico se juntará ao Grupo B do torneio olímpico, com Austrália, Nigéria e o vencedor do Pré-Olímpico da Croácia (veja acima).

Kaunas (LTU)

Grupo A – Lituânia, Venezuela e Romênia
Um grupo tranquilo para os donos da casa. Com força máxima, incluindo os "NBA players" Domantas Sabonis e Jonas Valanciunas, e Marius Grigonis, um dos destaques da Euroleague, a Lituânia deve passar fácil por venezuelanos e coreanos e se preparar a grande decisão da vaga contra os eslovenos. A Venezuela com uma equipe mais experiente tem mais chances de ficar com a segunda vaga para a semifinal do que a Coreia do Sul.
Jogando em casa e com força máxima, a Lituânia tem o favoritismo para ficar com a vaga olímpica
Tradicional no basquete olímpico, com bom elenco e jogando em casa, a Lituânia tem o favoritismo para ficar com a vaga. Só vai ter que parar o ímpeto  de um jovem chamado Luka Doncic querendo surpreender e por a Eslovênia em uma Olimpíada.

Grupo B – Eslovênia, Polônia e Angola
Os eslovenos vão para o Pré-Olímpico com o que têm de melhor, inclusive contando com Luka Doncic, sensação da NBA. Na última vez em que vestiu a camisa da seleção eslovena, o astro foi campeão e MVP do Eurobasket. Ele será fundamental para a Eslovênia passar sem sustos por Polônia e Angola e chegar na decisão da vaga olímpica contra a Lituânia com condição de vencer na casa dos lituanos, que são os favoritos.
Será que Doncic vai conseguir a proeza de levar o basquete da Eslovênia para uma Olimpíada?

Partidas
29 de junho
Polônia x Angola
Lituânia x Venezuela

30 de junho
Angola x Eslovênia
Venezuela x Coreia do Sul

1º de julho
Eslovênia x Polônia
Coreia do Sul x Lituânia

O vencedor desse Pré-Olímpico se juntará ao Grupo C do torneio olímpico, com Japão, Argentina e Espanha. 

Victoria (CAN)

Grupo A – Grécia, Canadá e China
Se você estava procurando um grupo para usar o clichê "grupo da morte", encontrou. Canadá, jogando em casa, vai ter confrontos difíceis contra Grécia e China, mas os anfitriões contam com sua jovem geração de jogadores como Andrew Wiggins, Luguentz Dort, RJ Barrett e Anthony Bennett - apesar do "flop" NBA - para ficar em primeiro no grupo.

Só que a Grécia tem um time mais cascudo. Sem Giannis Antetokoumpo, envolvido nas finais da NBA, mas vai ter o seu irmão mais novo, o Kostas. Nomes como Nick Calathes e Georgios Papagiannis também deverão ser destaques nesse duelo contra o Canadá, que muitos cravam como uma possível final dessa sede do Pré-Olímpico. A China, ainda órfã de um novo Yao Ming, tem chances mais remotas de passar às semifinais.

Grupo B – Turquia, República Tcheca e Uruguai
Campeão com o Toronto Raptors em 2019, O técnico Nick nurse comanda os jovens talentos canadenses
Um grupo que tem os seus semifinalistas praticamente definidos, com turcos e tchecos um pouco acima dos uruguaios. A seleção turca é bem contada para disputar a vaga olímpica com Canadá ou Grécia. Com os jogadores da NBA, como Korkmaz, Osman e Ilyasova, os turcos garantem um perímetro forte e devem ficar em primeiro no grupo, isso se a República Tcheca não aprontar como aprontou no mundial – Brasil que o diga... – comandada por Tomas Satoransky e Jan Vesely. Já o Uruguai, apesar de estar com força máxima e comandada por Bruno Fittipaldo, que joga com Marcelinho Huertas no Tenerife, não deverá avançar de fase.

Partidas
29 de junho
Grécia x Canadá
Uruguai x Turquia

30 de junho
Canadá x China
Turquia x República Tcheca

1º de julho
China x Grécia
República Tcheca x Uruguai

O vencedor desse Pré-Olímpico se juntará ao Grupo A do torneio olímpico, com Irã, França e Estados Unidos

Fotos: FIBA/Divulgação

Um comentário:

  1. praticamente não assertaram uma: passaram Rep. Checa, Italia, Alemanha e Eslovenia...

    ResponderExcluir