Definidas as finais masculina e feminina do Superpraia - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Definidas as finais masculina e feminina do Superpraia

Compartilhe

Depois de um dia cheio na quinta-feira (24), a disputa por medalhas do Superpraia, competição encerra o calendário 20/21 do Circuito Brasileiro de vôlei de praia, foi definida no Rio de Janeiro. Bruno Schmidt/Evandro (DF/RJ) e Guto/Arthur Mariano (RJ/MS) decidem o torneio masculino às 8h30. Na sequência, Bárbara Seixas/Carol Solberg (RJ) disputam a medalha de ouro feminina com Andressa/Vitória (PB/RJ).

Mais cedo, às 8h, George/André Stein (PB/ES) jogam pela medalha de bronze contra Pedro Solberg/Arthur Lanci (RJ/PR). Na sequência, Ana Patricia/Rebecca (MG/CE) e Taiana/Hegê (CE) disputam o terceiro lugar feminino. Os jogos serão transmitidos pelo voleidepraiatv.cbv.com.br, pelo aplicativo da CBV e pela página da entidade no Facebook.

Vice-campeão do Superpraia em 2019, Arthur Mariano volta à decisão da competição e ainda foi eleito o craque da partida em sua semifinal. Ele e Guto foram os primeiros a garantirem uma vaga na final, ao derrotar George e André por 2 sets a 0 (21/16 e 21/19).

“O Arthur é o rei do Superpraia, pelo que estou vendo. Já é a segunda final seguida dele. Como ele cresce no Superpraia, ele está jogando muito, absurdamente. Se tivesse votação em todos os jogos, ele teria ganho o ‘craque da partida’ em todos os jogos. Como a gente está crescendo, não só nesse torneio, mas como time, dia a dia. E é um torneio especial de se jogar, é um torneio diferente, não é só mais um torneio. É o Superpraia, aqui estão os melhores da temporada, e poder estar em uma final é bom demais. Ainda está um passo mais para ser dado. A gente está feliz, mas não satisfeito. A gente quer levar esse ouro para casa“, disse Guto.

Arthur pode estar em sua segunda final seguida, mas terá pela frente Bruno Schmidt, tetracampeão e maior vencedor do Superpraia ao lado de Alison. Ele e Evandro, campeão da competição em 2018, precisaram do tie-break para passar por Pedro Solberg e Arthur Lanci: 21/16, 16/21 e 15/13.

“Queria agradecer a todos que estão torcendo para mim e para o Bruno nessa volta nossa. É muito importante cada jogo difícil, cada situação de dificuldade que a gente passa. Nós que tive recomeçar tudo de novo, e é um prazer voltar a jogar com ele. É um passo de cada vez, degrau a degrau. E tenho que agradecer ao Bruno, que teve uma bela de uma paciência hoje comigo. Hoje meu saque não entrou na semifinal, infelizmente, mas faz parte do jogo. Nem sempre meu saque vai entrar, nem sempre o bloqueio vai entrar, mas tem que ter paciência um com o outro e construir nos outros fundamentos”, destacou Evandro.

Para Andressa e Vitória, por outro lado, a final do Superpraia será a primeira delas no calendário Open. Elas venceram Taiana e Hegê por 23/21 e 21/18 para garantir a vaga na decisão desta sexta-feira, e Andressa não conseguiu esconder a emoção após a partida.

“Eu estou até emocionada para falar, mas essa final representa muito trabalho. Eu acho que eu lutei muito para chegar aqui, e chegar, mostra que o trabalho está sendo bem-feito. Então é muita gratidão. Continuar esse trabalho firme, ir para cima ainda mais, acreditar mais. Vôlei de praia é isso, é superação, toda hora estar se reinventando, dando o melhor”, disse Andressa.

As adversárias delas na decisão serão Bárbara Seixas e Carol Solberg, que voltaram a fazer um jogão contra Ana Patricia e Rebecca – reeditando a final da nona etapa Open –, mas desta vez levaram a melhor no terceiro set: 19/21, 21/17 e 15/11.

“Obrigado a todos que torceram pela nossa dupla. Os jogos contra a Ana Patrícia/Rebecca são sempre grandes partidas. E também tenho que agradecer a toda nossa equipe que está sempre ao nosso lado. Agora é pensar na final”, afirmou Bárbara, bicampeã do Superpraia.

Foto: William Lucas/CBV/INOVAFOTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário