Brasil vence o Japão e está na final da Liga das Nações - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Brasil vence o Japão e está na final da Liga das Nações

Compartilhe
O Brasil está na final da Liga das Nações! Em um tradicional jogaço, as brasileiras venceram a seleção japonesa por 3 a 1 e aguardam a definição de Estados Unidos e Turquia para descobrir as adversárias da final. Com começo avassalador e tropeço no terceiro set, as brasileiras mostraram um importante poder de reação para fechar o jogo no quarto set e garantir passaporte para a final.

Tandara decolou e marcou 23 pontos, sendo a maior pontuadora da partida. Logo em seguida veio Gabi, que pontuou 18 vezes, o mesmo tanto que a japonesa Koga, destaque da equipe do Japão. A seleção brasileira também marcou incríveis 13 pontos de bloqueio, contra apenas 5 do Japão.

Às 14:30, Turquia e Estados Unidos se enfrentam para definir quem enfrenta o Brasil na final amanhã, às 14:30h.

Times titulares

As Brasileiras vieram para o jogo com Macris, Fê Garay, Gabi, Tandara, Bia, Carol Gattaz e nossa líbero Camila Brait como titulares. As japonesas titulares foram Kurogo, Ishikawa, Koga, Shimamura, Momii, Shinomiya e a líbero Kobata.

Como foi o jogo

Como esperado em jogo de semifinal, a partida começou em equilíbrio. As duas seleções seguiram trocando pontos e a liderança do placar, sem nenhuma ter tido mais de 1 ponto de vantagem até a primeira parada técnica. O Japão teve a chance de passar dois pontos à frente e fazer 10 a 8, mas um importante desafio vencido para o Brasil manteve a partida mais próxima, com a seleção brasileira conseguindo empatar em 10 pontos e passar à frente logo em seguida após um bloqueio sensacional de Bia. O Brasil conseguiu abrir cinco pontos de vantagem após uma boa sequência de defesas e uma bela bola de xeque de Fê Garay. Gabi ampliou a vantagem com um bonito ace. 18 a 12 no placar e a seleção feminina entra em reta final de set. De repente, foram 8 pontos em sequência para o time brasileiro. A seleção brasileira engatou a quinta marcha e fechou o primeiro set por 25 a 15,.


O bloqueio do Brasil já começou o segundo set dando o recado: Tandara bloqueou Koga na entrada da rede para abrir a parcial. Logo em seguida, Gattaz também estreou seus pontos de bloqueio e segurou mais um ataque japonês. A seleção brasileira conseguiu abrir 6 a 3 logo de início, mas as japonesas encostaram no placar com ataque de Ishikawa, ficando a apenas 1 ponto do empate. Koga fez um ace justamente entre Gabi e Brait, nossas melhores passadoras, e empatou o jogo para a seleção japonesa. Boa sequência para o Japão, dificuldade brasileira de reagir. As japonesas tiveram 2 pontos de vantagem no placar pela primeira vez no jogo em 8 a 6. Mas o equilíbrio logo voltou a aparecer, com as duas seleções chegando empatadas em 10 pontos. Sem sinal de nenhuma desacelerar, o jogo seguiu bastante equilibrado, mas, novamente, na reta final, o Brasil saiu na frente. A brava seleção japonesa conseguiu segurar dois set points brasileiros, forçando o técnico José Roberto Guimarães a pedir seu último tempo em 24 a 23. O pedido de tempo foi efetivo para frear a reação japonesa e Tandara botou a bola do set no chão. 25 a 23 para o Brasil.


A história do terceiro set começou totalmente diferente. As japonesas abriram três pontos em sequência, forçando Zé Roberto a fazer seu primeiro pedido de tempo logo no início. E não apresentavam nenhum sinal de desacelerar. As japonesas tinham mais que o dobro de ponto da seleção brasileira com o placar em 12 a 5. Nosso treinador foi forçado a tentar diversas táticas para tentar frear as japonesas, colocando em quadra Natália no lugar de Garay e realizando a inversão com Roberta e Rosamaria entrando em quadra. As mudanças foram extremamente efetivas, com a seleção pontuando cinco vezes em sequência e encostando em 12 a 10. Foi nos 14 pontos e nas mãos de Tandara que a seleção conseguiu empatar o jogo após estar atrás 7 pontos. Depois de uma bola fantástica de Carol Gattaz, o Brasil chegou à segunda parada técnica um ponto à frente no placar pela primeira vez no jogo. A reta final não foi nada fácil. As duas seleções foram trocando pontos no set super longo, indo muito além dos 25 pontos. Tanto o Brasil quanto o Japão chegaram a ter set points, que foram impedidos pelas adversárias. Na quarta oportunidade de fechar o terceiro set, as japonesas não desperdiçaram, encerrando a terceira parcial por 31 a 29.


Novamente saindo atrás no quarto set, as japonesas começaram marcando cinco pontos em sequência. A defesa japonesa não deixava a bola brasileira cair no chão. A reação brasileira começou novamente após alterações dentro de quadra. Fê Garay voltou para a quadra e Nat foi sacada do jogo. Carolana também apareceu no início do set, entrando pela primeira vez no jogo, no lugar de Bia. As brasileiras correram atrás no placar e empataram em 6 pontos, conseguindo passar à frente em 9-7 e abrir mais uma vantagem importante na metade do set, segurando 14 a 9 no placar. A entrada de Carolana foi decisiva para o bloqueio brasileiro. Após início desastroso na parcial, as brasileiras mostraram um poder de reação incrível, chegando na reta final do set com 9 match points. Mas somente foram necessários dois. Após bom ataque da Rosamaria com direito a desafio japonês, o Brasil fechou o set e o jogo por 25 a 16 e se garantiu na final da competição.


Foto: Divulgação/FIVB

Nenhum comentário:

Postar um comentário