Atual campeão olímpico nas duplas, Rafael Nadal não disputará Tóquio 2020 - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Atual campeão olímpico nas duplas, Rafael Nadal não disputará Tóquio 2020

Compartilhe

Rafael Nadal quer um tempo de descanso. O atleta espanhol anunciou nesta quinta-feira (17), que não disputará os Jogos Olímpicos de Tóquio. O atual número três do mundo e medalhista de ouro em simples (Pequim 2008) e nas duplas (Rio 2016, com Marc Lopez), disse que também não jogará na temporada de grama, abdicando da tentativa de erguer pela terceira vez o troféu do Torneio de Wimbledon, onde foi campeão em 2008 e 2010. 

De acordo com o que postou em suas redes sociais, Nadal, 35, decidiu ouvir o corpo. Numa difícil decisão tomada juntamente com sua equipe, o atleta que foi porta-bandeira da Espanha no Rio 2016, decidiu não jogar esses torneios, para se poupar e pensar na longevidade de sua carreira


“O objetivo é prolongar minha carreira e continuar fazendo o que me deixa feliz, que é competir no mais alto nível e continuar lutando por esses objetivos profissionais e pessoais no nível máximo de competição”, disse Nadal, em sua conta no Twitter. 

O fato de ter passado apenas duas semanas  entre Roland Garros e Wimbledon não facilitou a recuperação do meu corpo, após a sempre exigente temporada de saibro. Foram dois meses de muito esforço e a decisão que tomo é focada no médio e longo prazo. 

 

Nadal fez sua estreia em Jogos Olímpicos na edição sediada em Atenas, 2004. Aos 18 anos, ele disputou o torneio de duplas ao lado do compatriota Carlos Moyá, caindo na primeira rodada, diante a dupla brasileira formada por André Sá e Flávio Saretta. Quatro anos depois, subiu ao lugar mais alto do pódio, ao bater o chileno Fernando Gonzalez na final de Pequim 2008. 



Demonstrando seus primeiros problemas físicos, Nadal desistiu dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, disputado nas quadras de grama do All England Lawn Tennis Club, mesmo local que recebe Wimbledon. Já no Rio de Janeiro 2016, o espanhol ganhou ouro nas duplas, com Marc Lopez e ficou em quarto lugar em simples, ao perder na semifinal para Juan Martin del Potro e a decisão da medalha de bronze para Nishikori Kei.

A prevenção desportiva de qualquer tipo de excesso no meu corpo é um fator muito importante nesta fase da minha carreira, para tentar continuar a lutar pelo mais alto nível de competição e títulos. Eu quero enviar uma mensagem especial aos fãs ao redor do mundo, para aqueles no Reino Unido e Japão em particular. Os Jogos Olímpicos sempre significaram muito e foram uma prioridade como esportista, encontrei o espírito que todo atleta do mundo quer viver. Eu pessoalmente tive a chance de viver três edições e tive a honra de ser o porta-bandeira do meu país.

 

Agora, os melhores espanhóis do ranking mundial da ATP e que devem representar o país nos Jogos Olímpicos de Tóquio são: Roberto Bautista Agut (10º), Pablo Carreño Busta (12º) e Alejandro Davidovich Fokina (35º).

Foto: Reprodução/AP

Nenhum comentário:

Postar um comentário