Brasil supera a República Dominicana e vence a segunda consecutiva na VNL - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Brasil supera a República Dominicana e vence a segunda consecutiva na VNL

Compartilhe


Com nova formação titular, a seleção brasileira venceu a República Dominicana por 3 a 0 (25-20/25-13/25-17 e conquistou a segunda vitória na Liga das Nações de Vôlei (VNL). Em jogo um pouco mais dominante impulsionado por um bloqueio extremamente eficiente, o Brasil mostrou mais controle durante todo o jogo, conseguindo segurar bem a forte seleção dominicana.

Foi a segunda vitória do Brasil na competição. Na terça-feira, a Seleção havia vencido o Canadá por 3 sets a 1. O próximo jogo é contra os Estados Unidos, nesta quinta (27), a partir das 14h30.

Os destaques da quadra brasileira ficaram por conta da levantadora Macris, que mostrou sua já tão conhecida inteligência e sua visão de jogo para distribuir a bola e deixar suas atacantes desmarcadas. Além disso, Carol Gattaz aproveitou muito bem a oportunidade de estar entre as titulares, sendo peça fundamental para a vitória brasileira, principalmente com sua atuação no bloqueio.

O ataque da seleção também foi bastante potente, com alta efetividade de suas principais atacantes Garay, Tandara e GabiGabi também brilhou na recepção, finalizando o jogo com 60% de efetividade nos passes. A líbero Camila Brait, bastante acionada, também terminou a partida com alto nível de eficiência na recepção, com 58%

A principal pontuadora do jogo foi a ponteira Fernanda Garay, que pontuou 14 vezes. Em sequência, Gabi, que marcou 12 pontos. Do lado dominicano, Martinez fez 6 pontos ao lado de Gonzalez.

Após o jogo, a capitã Fernanda Garay analisou a performance da seleção nos dois últimos jogos. "Estou feliz porque fizemos um ótimo trabalho, elas são um time forte, que tem muita força no ataque e no saque, mas conseguimos neutralizar essas forças conseguimos ganhar de 3 a 0. Fizemos um ótimo trabalho hoje.". 

A ponteira também reforçou as dificuldades de encontrar um ritmo de jogo após uma pausa longa em decorrência da pandemia, sobretudo em razão da seleção não ter feito nenhum amistoso antes da VNL. "Com certeza ainda falta bastante ritmo para nossa equipe. A gente não conseguiu jogar amistosos, mas acredito que foi um bom começo e que, jogo a jogo, vamos conseguindo encontrar esse ritmo e a melhor performance coletiva dentro também das mudanças que a equipe for apresentando todo dia.

Quando perguntada sobre o impacto da perda de Natália Pereira, que se recupera de lesão, para a fase inicial, Garay afirmou que a ponteira faz bastante falta na rotação, mas que sua volta pode estar próxima. "Estamos empolgados para tê-la de volta o mais rápido possível", completou.

A seleção brasileira volta às quadras amanhã contra a atual campeã Estados Unidos, às 16h.

Times titulares


Brasil: Macris, Gabi Guimarães, Fê Garay, Mayany, Carol Gattaz, Tandara. Líbero: Camila Brait. Técnico: Zé Roberto Guimarães

República Dominicana: Eve Mejia, Niverka Marte, Prisilla Rivera, Jineiry Martinez, Gaila Gonzalez e Bethania De La Cruz. Líbero: Brenda Castillo. Técnico: Marcos Kwiek

O jogo

Primeiro set

O primeiro set de jogo começou acelerado, com uma seleção brasileira mostrando mais energia que no jogo de ontem. A presença de Carol Gattaz no time titular fez a diferença logo de cara, com a central atuando muito bem no bloqueio e mostrando o entrosamento já tão conhecido com a levantadora Macris. O jogo seguiu bem equilibrado até a metade do primeiro set, com o Brasil segurando ligeira vantagem no placar.

Com ataque forte de De La Cruz, a República Dominicana complicou a defesa da seleção brasileira e se manteve no páreo até o início da reta final do set, porém, com Gattaz voltando a brilhar no bloqueio e uma sequência de erros de ataque das adversárias, o Brasil abriu vantagem mais larga do jogo e fechou o primeiro set com um placar de 25 a 20.

Segundo set

Novamente com equilíbrio para começar o jogo, o Brasil começa forçando o saque, dificultando a ação da linha de passe das adversárias. Com o bloqueio sendo, de novo, o protagonista na primeira metade do set, a seleção brasileira rapidamente abriu 6 pontos de vantagem na segunda parcial.

A seleção dominicana voltou para o segundo set cometendo muito mais erros, e com uma seleção brasileira afiada, não teve muitas chances de manter o set equilibrado. Com praticamente 10 pontos de vantagem durante todo o set, as brasileiras mostraram um ataque muito forte nas mãos de Gabi e Fê Garay. Destaque para a entrada de Ana Cristina, que fez sua estreia pela seleção adulta no final do set, pontuando logo na primeira oportunidade. Após erro de saque das adversárias, a seleção brasileira fechou o segundo set com placar elástico de 25 a 13.

Terceiro set

O terceiro set começou um pouco diferente, com a República Dominicana em vantagem. Porém, nas mãos do ataque potente de Garay e Gabi e do bloqueio eficiente que, mesmo sem pontuar, conseguia chegar em todas as bolas, o Brasil conseguiu virar o jogo e abrir logo em sequência 6 pontos de vantagem. Para tentar passar pelo eficiente bloqueio brasileiro, as dominicanas começaram a variar um pouco o ataque, variando o ataque potente com algumas largadas. Com essa variedade e uma sequência de bons bloqueios da dominicana Jineiry Martinez, atleta do Praia Clube, rapidamente a República Dominicana conseguiu fechar a vantagem e ficar mais próxima no placar. Em momento decisivo, porém, um erro de saque deixou a seleção mais próxima da vitória no início da reta final do set.

Sempre muito efetiva no ataque, Tandara marcou em momento decisivo, com uma bola que alcançou quase 97 km/h, deixando o Brasil a cinco pontos de fechar o jogo. Com final poético, a bicampeã olímpica Sheilla Castro pontuou na reta final, dando match point para a seleção brasileira. Novamente pelas mãos dela, as brasileiras fecharam o terceiro set por 25 a 17, conquistando a segunda vitória consecutiva na competição.

Foto: Divulgação/FIVB

Nenhum comentário:

Postar um comentário