Brasil começa mal, reage, mas perde para os Estados Unidos na Liga das Nações - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Brasil começa mal, reage, mas perde para os Estados Unidos na Liga das Nações

Compartilhe

A seleção feminina do Brasil conheceu nesta quinta-feira (27) sua primeira derrota na Liga das Nações de Vôlei (VNL). Depois de vitórias sobre Canadá e República Dominicana, o time brasileiro perdeu para os Estados Unidos por 3 sets a 1 (25-17, 25-19, 23-25 e 25-22) na terceira rodada da competição.

As americanas mostraram na partida seu tradicional volume de jogo, que dificultou a virada de bola do Brasil. Os Estados Unidos terminaram o jogo com 67 pontos de ataque, contra 58 do time sul-americano. A seleção canarinho também sofreu na recepção, principalmente nos primeiros sets do confronto. 

Com uma grande atuação, a ponteira Sarah Parsons anotou 25 pontos e foi a maior pontuadora do duelo. Outros destaques foram a oposta Andrea Drews e a ponteira Jordan Larson, com 16 pontos cada. Do lado do Brasil, Fernanda Garay marcou 16 pontos e liderou a Seleção nos momentos decisivos. Gabi veio na sequência, com 15 pontos.

Agora, a seleção feminina terá três dias de descanso e de treinamentos antes de voltar a competir em mais três rodadas da Liga das Nações. A próxima partida é contra o Japão, na segunda-feira (31), às 10h, com transmissão do SporTV2. Antes, a seleção masculina entra em ação pela primeira vez no torneio. Nesta sexta (28), os atuais campeões olímpicos enfrentam a Argentina a partir das 16h.

Times iniciais


Brasil: Macris, Tandara, Adenízia, Bia, Gabi, Fê Garay e Camila Brait (L). Técnico: José Roberto Guimarães.

Estados Unidos: Jordyn Poulter, Andrea Drews, Haleigh Washington, Foluke Akinradewo, Jordan Larson, Sarah Parsons e Justine Wong (L). Técnico: Karch Kiraly.

O jogo


O Brasil entrou em quadra com duas novidades em relação à ultima partida. Mantendo o revezamento das centrais, Zé Roberto escalou Bia e Adenízia nos lugares de Mayany e Carol Gattaz, que começaram jogando na vitória sobre a República Dominicana.

O primeiro set começou equilibrado, com os Estados Unidos mostrando seu tradicional volume de jogo. O Brasil se manteve próximo do placar até o nono ponto. Foi quando, liderada pelos ataques da oposta Andrea Drews, a seleção norte-americana abriu vantagem e forçou o técnico brasileiro a pedir tempo com o placar de 12 a 9 para as adversárias.

A parada não impactou as estadunidenses, que mantiveram o ritmo forte e seguiram abrindo vantagem: 18 a 13. O Brasil ainda esboçou uma reação, com as entradas de Dani Lins e Lorenne, mas não foi suficiente para parar os Estados Unidos. Em ataque de Parsons, o time comandado por Karch Kiraly fechou o set em 25 a 17.

A segunda parcial começou diferente, com o Brasil abrindo 5 a 1 em boa passagem de Adenízia pelo saque. A vantagem, porém, durou pouco, e as americanas viraram em 8 a 7. Depois, ainda conseguiram abrir mais, e Zé Roberto parou o jogo com a seleção três pontos atrás no placar: 11 a 8. Com muita dificuldade na virada de bola, o time brasileiro não conseguiu se recuperar e viu as americanas fecharem a parcial em 25 a 19.

Gabi terminou o jogo com 15 pontos (Foto: Reprodução/FIVB)

O Brasil voltou para o terceiro set com Mayany e Carol Gattaz em quadra nos lugares de Bia e Adenízia. Apesar das mudanças, os Estados Unidos começaram melhor e abriram 7 a 4. Porém, desta vez, a Seleção mostrou sua força e virou a parcial: 9 a 8. As equipes seguiram trocando pontos, com o Brasil administrando a vantagem entre um e dois pontos. 

Até que a instabilidade no ataque voltou a afetar a seleção brasileira, que viu as americanas passarem à frente em 19 a 18. Mesmo assim, o Brasil conseguiu reagir, embalado pelos ataques decisivos de Fernanda Garay, que ajudou o time a vencer o terceiro set por 25 a 23.

As americanas começaram a quarta parcial impondo seu ritmo no ataque e abrindo 5 a 2. A dificuldade na virada de bola voltou a incomodar as brasileiras, que viram a líbero Justine Wong liderar o fundo de quadra com boas defesas. Para tentar resolver o problema no ataque, Zé colocou Dani Lins e Lorenne novamente no jogo, no lugar de Tandara e Macris.

Apesar das alterações, os Estados Unidos seguiram dominando a parcial e abriram 17 a 12. Foi quando o Brasil cresceu e encostou em 19 a 18. No entanto, as adversárias se recuperaram e trocaram pontos com a Seleção até o fim do jogo. Em erro de ataque de Gabi, o time norte-americano fechou o set em 25 a 22, e o jogo em 3 a 1.

Foto: Reprodução/FIVB

Nenhum comentário:

Postar um comentário