Tóquio-2020 planeja reservar hotel com 300 quartos para isolar atletas que testarem positivo durante os Jogos - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Tóquio-2020 planeja reservar hotel com 300 quartos para isolar atletas que testarem positivo durante os Jogos

Compartilhe

Faltando pouco mais de cem dias para a abertura da Olimpíada de Tóquio, o  Comitê Organizador segue se planejando para organizar os Jogos de forma segura em meio a uma pandemia. Segundo informou a agência Kyodo News neste sábado (10), a fim de evitar um surto de Covid-19 durante o megaevento, os organizadores estão dispostos a reservar 300 quartos de um hotel para isolar atletas que testarem positivo e estiverem assintomáticos ou apresentarem sintomas leves da doença. 


A ideia é locar um prédio inteiro para que os protocolos sanitários sejam cumpridos. A princípio, os positivados que não necessitarem de hospitalização passarão dez dias de quarentena no hotel. Por lá, o comitê se cumprirá a atender algumas necessidades dos esportistas estrangeiros, disponibilizando serviços multilíngues e comidas diferenciadas.


Este edifício deve ser localizado a poucos quilômetros da Vila dos Atletas, no distrito de Harumi da capital japonesa. Cerca de 30 carros também devem ser preparados exclusivamente para realizar o translado até hotel. Esses veículos, por sua vez, terão uma preparação especial, sendo pensados para proteger os motoristas de infecção.


Vale lembrar que, além dessa medida preventiva, o Comitê Organizador lista uma série de outras no "Playbook", uma cartilha que apresenta todo o protocolo sanitário a ser seguido durante os Jogos. A primeira edição do livro foi lançado em fevereiro e uma atualização deve ser feita ainda no final deste mês.


Entre as determinações publicadas na primeira versão, está a testagem dos atletas a cada quatro dias durante os Jogos. No entanto, segundo a Kyodo News, a organização está procurando aumentar a frequência dos testes, muito por conta da disseminação das novas variantes no Japão e em outros países do mundo, como o Brasil, nos primeiros meses deste ano. 


Foto de capa: AFP/Yomiuri Shimbun


Nenhum comentário:

Postar um comentário