Revezamento da tocha é cancelado em Osaka devido a pandemia - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Revezamento da tocha é cancelado em Osaka devido a pandemia

Compartilhe


O revezamento da tocha para as Olimpíadas de Tóquio neste verão não acontecerá nas estradas da província de Osaka na próxima semana devido a um aumento nas infecções por coronavírus, disse o governador Hirofumi Yoshimura nesta quarta-feira.

Como Osaka tem lutado com um número recorde de novos de casos de Covid-19 nos últimos dias, Yoshimura disse em uma coletiva de imprensa que a passagem da tocha não poderá ser realizada em 13 e 14 de abril, visto que ele pediu aos moradores que evitem passeio não essenciais.

Toshiro Muto, CEO do órgão organizado dos Jogos de Tóquio, disse ao comitê que apoia a decisão de Yoshimura. A pedido da prefeitura, quem for carregar a tocha irá correr no parque Comemorativo da Expo ‘70, na cidade de Suita, sem espectadores, ao invés de percorrer estradas onde grandes multidões podem se reunir.

“Na situação anormal causada pelo Coronavírus, mudar o formato é inevitável” disse Muto em coletiva online depois que Osaka relatou na quarta-feira um recorde de 878 novos casos do vírus.

O revezamento da tocha em todo o país, que começou em 25 de março na província de Fukushima , no nordeste do Japão, estava programado para passar por todas as 47 províncias do Japão antes da cerimonia de abertura Olímpica em 23 de julho.

O cancelamento de Osaka lança uma sobra sobre os esforços para convencer o público japonês de que as Olimpíadas e Paralimpíadas podem ser realizadas com segurança em meio a pandemia.

Os organizadores locais decidiram cancelar as rotas que passam pela cidade de Osaka depois que o primeiro ministro Yoshihide Suga designou que prefeitura de Osaka e outras duas áreas terão medidas mais rígidas contra a Covid-19.

Mas o cancelamento do evento decidiram cancelar as rotas que passam pela cidade depois que o governo designou medidas mais rígidas para a prefeitura de Osaka e outras duas áreas. 

Pessoas que deveriam carregar a tocha na metrópole ocidental do Japão expressarem desapontamento.

“Eu queria que as crianças me vissem correr e aprender a importância de enfrentar desafios”, disse Megumi Hirooka, uma funcionária do berçário que deveria participar do revezamento da tocha.

Shingeo Nishimura, que foi chamado para carregar a tocha em Izumisano, também disse: “Eu queria correr na minha cidade natal”.

“Mas é melhor do que cancelar totalmente o evento. Quero participar (do evento no parque) se tiver a oportunidade” disse o jogador de 71 anos.

Faltando menos de quatro meses para o início das Olimpíadas, muitas pessoas no Japão estão céticas quanto a realização dos Jogos Olímpicos em meio à pandemia.

Além de Osaka, Tóquio e varias outras prefeitura viram um aumento nos casos de Covid-19, com o país relatando na quarta-feira mais de 3.000 novas infecções, o maior número em dois meses.

O comitê organizador retomou a realização dos eventos-teste Olímpicos e Paralímpicos este mês pela primeira vez desde que os jogos foram adiados em março do ano passado devido à crise de saúde global.

De acordo com uma pesquisa da Kyodo News no mês passado, apenas 23,2% dos entrevistados queriam que as Olimpíadas e Paralimpíadas ocorressem neste verão, em comparação com 39,8% que queriam que fossem canceladas.

Foto: Divulgação/Tóquio 2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário