Itambé/Minas supera o Praia Clube no tie-break e conquista o bicampeonato da Superliga - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Itambé/Minas supera o Praia Clube no tie-break e conquista o bicampeonato da Superliga

Compartilhe



O Itambé/Minas superou o Dentil/PraiaClube no terceiro jogo da série e conquistou o segundo título consecutivo da Superliga. Após começo dominante no primeiro set e tropeços nos dois seguintes, a equipe de Belo Horizonte venceu o jogo por 3 sets a 2 e a série, apelidada de “Final Pão de Queijo”, de virada, por 2 a 1.

Em jogo oscilante, ambas as equipes tiveram momentos brilhantes e momentos de performance abaixo do esperado, deixando o resultado bastante indefinido até o quinto set. No tie-break, o Minas conseguiu rapidamente colocar seu estilo de jogo veloz e, sob comando da levantadora Macris, superou a equipe do Praia Clube conquistando o tetracampeonato nacional.

Com performance quase perfeita, Macris foi considerada a MVP da partida e levou o troféu Viva Vôlei para casa. Já a maior pontuadora foi a ponteira Megan, com 24 pontos. Do lado do Praia, destaque para a oposta Brayelin Martínez, maior pontuadora da equipe, com 21 pontos.

Times iniciais

Dentil/Praia Clube: Fernanda Garay, Michelle, Brayelin Martinez, Walwska, Carol, Claudinha e Suelen (L). Técnico: Paulo Coco

Itambé/Minas: Macris, Carol Gattaz, Pri Daroit, Dani Cuttino, Thaisa, Megan e Leia (L). Técnico: Nicola Negro

A campanha do Itambé/Minas



Campeão na temporada 2018/19, a última da Superliga a ser concluída, o Minas chegou à final da competição depois de uma campanha quase perfeita. Foram 21 vitórias em 22 jogos na fase classificatória. Classificadas em primeiro lugar para o playoffs, as belorizontinas passaram sem maiores sustos pelo Brasília Vôlei nas quartas de final, mas encontraram um desafiante à altura nas semis. Depois de vencer o primeiro jogo contra o Sesi Vôlei Bauru, o Minas precisou de cinco sets para ganhar a segunda partida da série melhor de três e garantir a vaga na decisão.

A história foi diferente na final. Sofrendo seu segundo tropeço no ano diante do Praia Clube, o Minas saiu atrás na disputa pelo título e venceu os outros dois jogos no tie-break, em disputas equilibradas contra o rival mineiro.

Seleção da temporada



Com o final da competição, as premiações individuais foram conferidas às melhores jogadoras da Superliga. O chamado “Time dos Sonhos” foi definido como:

Levantadora: Macris (Itambé/Minas);

Ponteiras: Fê Garay (Dentil/Praia Clube) e Pri Daroit (Itambé/Minas);

Centrais: Thaísa e Carol.

Oposta: Tandara (Osasco São Cristóvão Saúde)

Líbero: Camila Brait (Osasco São Cristóvão Saúde).

Técnico: Nicola Negro (Itambé/Minas)

O prêmio de jogadora mais valiosa (MPV) ficou com a bicampeã olímpica Thaísa, que também foi nomeada a “Craque da Galera”.

O jogo

O início do jogo trouxe o equilíbrio que os fãs esperavam, com as duas equipes alternando pontos sem conseguirem se desprender no placar. A defesa do Minas, porém, foi um pouco mais dominante e permitiu que o time de Belo Horizonte abrisse 6 pontos na metade do set. Logo em sequência, nas mãos da criatividade e visão da levantadora Macris, o time minastenista imprimiu seu estilo de jogo e abrindo 10 pontos de vantagem. Tentando mudar a história do primeiro set, Paulo Coco, técnico do Praia, tirou a levantadora Claudinha para entrada de Rosanne e colocou em jogo a ponteira Anne no lugar de Michelle. Na reta final do set, a equipe do Praia começou uma boa reação, com bons ataques da central Carol, mas o Minas fechou a primeira parcial por 25-17. A maior pontuadora do set foi a ponteira minastenista Megan, com 6 acertos. Do lado do Praia, quem se destacou foi a oposta Braylein Martínez, que pontuou 4 vezes.

Novamente em início equilibrado, o Praia Clube incomodou mais a equipe belorizontina no saque e forçou mais erros do adversário. Pela primeira vez no jogo, a equipe de Uberlândia passou à frente no placar e abriu 2 pontos de vantagem. Rapidamente o Praia se aproveitou do seu melhor momento no jogo e, com uma boa performance da oposto Martinez e após uma sequência de erros do adversário, conseguiu abrir 10 pontos de vantagem. Com impressionantes 12 pontos em sequência, o Praia Clube fechou o set por 25-13.

Destaque para a excelente sequência de saques da ponteira Michelle, que ficou por 12 pontos na posição. Destaque negativo para a equipe do Minas, que entregou 9 pontos de erros para o adversário.

Sem sinais de desacelerar, o Praia Clube abriu 7 pontos logo no início do set, forçando mais o saque e com ataques precisos da ponteira Michelle e oposta Martinez. Voltando a mostrar os problemas de recepção que ficaram evidentes no primeiro jogo da série, o Minas não conseguiu colocar a bola nas mãos da levantadora, ficando completamente refém do ritmo de jogo do Praia Clube. Sem dificuldade alguma, o Praia Clube vira o jogo e fecha o terceiro set pelo placar elástico de 25-13.

O quarto set começou com a equipe minastenista esboçando uma reação em momento crucial. Para tentar mexer no time, o treinador Nicola Negro colocou a oposto Camila Mesquita na vaga de Dani Cuttino. A jovem Mesquita, de 21 anos, havia entrado no final do terceiro set, virando bolas importantes e vivendo bom momento na partida. O placar seguiu apertado, com o jogo estando muito mais equilibrado do que os últimos dois sets. Do lado praiano da quadra, a oposto Martinez seguiu fazendo excelente partida, sendo peça importantíssima para a equipe de Uberlândia. Para tentar forçar o tie-break, a levantadora Macris contou com a experiência da central Thaísa e da boa atuação da ponteira Megan.

O jogo seguiu empatado, indo ponto a ponto até o placar de 17-17. Nesse momento crucial do set, uma boa sequência de 7 pontos colocou a equipe minastenista em vantagem, encaminhando o quinto set.

O tie-break começou com um rally de 32 segundos, com as duas equipes fazendo um jogo um tanto quanto cauteloso e paciente. Em disputa equilibrada, o placar seguiu apertado na primeira metade do set, com o Minas segurando ligeira vantagem de 3 pontos. Após ace da levantadora Macris e um desafio reverter um ponto importante do Praia, a equipe belorizontina rapidamente abriu 10 a 4.

Com uma boa reação, a equipe praiana conseguiu encostar no placar, matando o primeiro match point do Minas e forçando um 14-11. O time minastenista conseguiu frear a reação, fechando o jogo com placar de 15-11 e levantando a taça da Superliga pela segunda vez nos últimos 2 torneios.

Agora, ao final da competição, a expectativa é que diversas atletas das duas equipes mineiras permaneçam em Saquarema para se juntarem à seleção brasileira convocada por José Roberto Guimarães em preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Fotos: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário