Dia 1 na WSL de Newcastle: brasileiros têm ótima performance e se classificam para a próxima fase - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Dia 1 na WSL de Newcastle: brasileiros têm ótima performance e se classificam para a próxima fase

Compartilhe


 

No primeiro dia de competições na etapa de Newcastle (AUS) do Circuito Mundial de Surfe, os brasileiros fizeram uma ótima performance e a grande maioria conseguindo vaga direta para a fase de 32 avos de final, inclusive com vitórias nas suas respectivas baterias. O mar apresentou ondas pequenas que chegavam a até um metro de altura, o que não foi problema para Ítalo Ferreira e John John Florence, que foram os destaques do dia.


Para driblar as dificuldades impostas pela pouca altura das ondas, o potiguar usou muito os aéreos, conseguindo 6,50 e 5,73 para conseguir a classificação com tranquilidade.

    

"Foi legal ali pegar um monte de onda. Tava bem fraco, mas consegui me dar bem na marola. E a previsão é essa para os próximos dias", disse Ítalo à transmissão oficial do evento.


Abrindo a competição, Deivid Silva venceu com larga vantagem sua série, com 11,10 na soma, contra 7,20 do surfista japonês Kanoa Igarashi, que também avançou direto. A bateria contou também com o estadunidense Conner Coffin, que ficou em terceiro.


A segunda bateria do dia contou com Filipe Toledo e Jadson André e foi bastante equilibrada, disputada onda a onda. Toledo conseguiu a pontuação para avançar à próxima fase somente em sua última tentativa. De quebra, ainda venceu sua bateria. Jadson, porém, ficou em último e disputará a repescagem.


Outra bateria que contou com dois da Brazilian Storm, foi a oitava, com Peterson Crisanto e Alex Ribeiro. Em mais uma série disputada, Peterson teve onze tentativas e duas ondas consideras boas pelo júri, passando em primeiro. Já Alex, segundo na bateria, fez apenas seis manobras e obteve duas notas na casa dos 4 (4,00 e 4,67), mas ainda assim garantiu vaga na próxima fase, contado com manobras poucas inspiradas do surfista da casa Owen Wright.


Gabriel Medina e Yago Dora se classificaram em segundo em suas respectivas baterias. Em disputa com o convidado da etapa, o norte-americano Crosby Colapinto, Medina teve dificuldades para emplacar boas ondas no começo da prova. No entanto, com o dobro de tentativas de seus adversários, conseguiu encaixar uma boa manobra que convenceu os jurados e avançou.

  

Já Dora fez uma excelente participação. Seu "azar" foi compartilhar o mar com Florence, que não deu chances ao adversário e fez manobras consideradas excelentes pelos juízes, garantindo com folga a classificação e a liderança da bateria. O brasileiro teve uma pontuação que o deixaria em primeiro em outras baterias, mas acabou ficando em segundo.


Nas últimas baterias do dia, o mar não foi um grande amigo dos surfistas, se mostrando muito inconsistente. Miguel Pupo teve poucas tentativas, mas pegou boas ondas e passou em primeiro lugar, deixando Caio Ibelli e Adriano de Souza, o Mineirinho, para trás, numa prova 100% brasileira e muito equilibrada. 


Mineirinho, campeão de 2015, usou sua experiência para conseguir boas manobras, enquanto Caio conseguiu ir bem nos dois últimos minutos, tirando 6,17 dos jurados. A pontuação acabou deixando Adriano em último na bateria. Ao tentar melhorar na sua última tentativa, Mineirinho teve sua manobra considerada incompleta e tentará sobreviver na competição disputando a repescagem.


A previsão para os próximos três dias é de mar calmo, com pouca probabilidade de boas ondas, o que deixaria a continuidade da competição para domingo, 4 de abril. O evento tem transmissão no canal da WSL no Youtube, no Facebook e no site da organização.


Foto: WSL

Nenhum comentário:

Postar um comentário