Pietra Chierighini é destaque brasileiro na Copa do Mundo de Sabre feminino em Budapeste - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Pietra Chierighini é destaque brasileiro na Copa do Mundo de Sabre feminino em Budapeste

Compartilhe


Na fase eliminatória da Copa do Mundo de Sabre feminino disputado nesta sexta-feira (11) em Budapeste, o destaque brasileiro ficou para a jovem Pietra Chierighini, que conseguiu passar da fase classificatória, mas caiu nas eliminatórias. Karine Trois e Luana Pekelman conquistaram uma vitória e e não avançaram de fase.  A fase final com as 64 melhores esgrimistas acontece no sábado (14) e definirá as últimas vagas individuais para os Jogos Olímpicos. 


No quadro preliminar de 128 - também conhecido por T256 -, Pietra Chierighini (298ª do ranking da FIE) caiu para a japonesa Takashima Risa (185ª) por 15-11, sem antes lutar bastante. A jovem de 17 anos estava perdendo por 12 a 6, e fez cinco toques seguidos para encostar em 12-11, mas aí a superioridade japonesa falou mais alto e Takashima fechou o confronto. A japonesa derrotou em seguida a turca Iryna Shchukla (84ª)  por 15-12 e se classificou para a fase final. Chierighini terminou em 136º lugar geral.


Na primeira fase, Pietra Chierighini conseguiu duas vitórias diante de adversárias sul-americanas com ranking superior ao dela: a venezuelana Jornellys Velasquez (134ª, 5-2) e a argentina Maria Belen Perez Maurice (38ª 5-3), principal favorita da poule. Ainda na fase de grupos, ela caiu para a húngara Beviz Dorottya (66ª juvenil, 5-2), a norte-americana Aleksandra Shelton (57ª, 5-4), a italiana Lucia Lucarini (108ª, 5-3) e a sul-coreana Choi Hyejung (231ª, 5-1).


Luana Pekelman (162ª) venceu a egípcia Jana Sherif Elbakry (46ª juvenil),  e teve um confronto disputado contra a tunisiana Yasmine Daghfous (73ª, 5-4), caindo também para a italiana Eloisa Passaro (186ª, 5-3), a ucraniana Valeriia Prochenko (16ª juvenil, 5-2), a turca Iryna Schukla (84ª, 5-1) e a espanhola Araceli Navarro (23ª, 5-0).


Karina Trois (160ª) conquistou sua vitória diante da tunisiana Nadia Ben Azizi (407ª, 5-4) e caiu para Lika Jijieishvili, da Geórgia (70ª, 5-2), a norte-americana Leanne Singleton-Comfort (195ª, 5-3), a russa Anna Smirnova (16ª juvenil, 5-4), a sul-coreana Choi Sooyeon (25ª, 5-2) e a uzbeque Yana Obvintseva (86ª, 5-2). 


Pekelman e Trois inverteram exatamente a posição de seu ranking na classificação geral da Copa do Mundo de Sabre: Pekelman terminou em 160º, enquanto Trois foi a 162ª melhor dentre as 186 atletas que participaram. 


Fim de semana de definição olímpica

As principais sabristas do mundo competirão neste sábado na fase final. As principais ausências serão a russa Sofya Velikaya, atual campeã olímpica e duas vezes campeã mundial, e Sofia Pozdniakova, campeã mundial em 2018, número 2 e 16 do mundo. A norte-americana Dagmara Wozniak, 26ª do mundo, testou positivo para o coronavírus na véspera do embarque e ficou nos EUA e é outra baixa no torneio.



Chierighini, Pekelman e Trois juntam forças no domingo para a disputa por equipes no domingo. A disputa por equipes definirá as últimas vagas olímpicas. 


Por enquanto, Rússia, França, Itália, Coreia do Sul e EUA estão asseguradas. Hungria pode conquistar a quarta vaga mundial e Ucrânia ficaria com a vaga europeia. Se Coreia do Sul ficar com a vaga mundial, Hungria e Ucrânia brigam pela vaga europeia e China e Japão pela asiática. Tunísia precisa ultrapassar a Venezuela para assegurar a 16ª colocação no ranking e a vaga pelo ranking africano - se não, o país melhor colocado no ranking que ainda não tem vaga assume. 


Com tantas indefinições nas equipes, o ranking individual definirá pouca coisa no sábado, já que as equipes classificadas levam automaticamente seus atletas para a prova individual. Apenas a vaga americana será certamente definida no sábado. Por enquanto está nas mãos da canadense Gabriella Page (30ª), eliminada ainda nesta sexta-feira. 


A argentina Maria Belen Perez Maurice (38ª) se classificou para a fase final e segue viva na disputa, mas precisa chegar até a semifinal para ultrapassar a canadense e conquistar a vaga. Se não será a favorita no pré-olímpico americano.


Na disputa europeia, Bianca Pascu (10ª), da Romênia e a grega Theodora Gkountoura (13ª) brigam diretamente pela primeira vaga europeia, mas a segunda vaga depende se Hungria se classifica por equipes ou entra na disputa da vaga individual. As hungaras Pusztai Liza e Márton Anna são 11ª e 12ª do mundo. No caso da Ucrânia não se classificar, Olga Kharlan, bronze em Londres 2012 e Rio 2016, quatro vezes campeã mundial e número 1 do mundo, leva uma das vagas.


Pela Ásia, várias chinesas e japonesas estão no bolo das duas vagas disponíveis, a depender do resultado do torneio de equipes. Se Japão ou China se garantir na disputa por equipes a segunda vaga asiática vai para a indiana Bhavani Devi Chadalavada Anandha Sundhararaman (45ª) a não ser se a cazaque Aigerim Sarybay (65ª) chegue às quartas-de-final e a ultrapasse.


Sem nenhuma africana na fase final, a disputa depende unicamente se a Tunísia conseguirá classificar-se por equipes. Em caso positivo, a egípcia Nada Hafez (36ª) fica com a vaga no continente, mas em caso negativo, a tunisiana Amira Ben Chaabane (33ª) leva a vaga continental.


Fotos: Augusto Bizzi - FIE / CBE 

Nenhum comentário:

Postar um comentário