Guia da Liga de Basquete Feminino (LBF) 2021 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Guia da Liga de Basquete Feminino (LBF) 2021

Compartilhe

 


No dia 8 de março a bola rosa vai subir para mais uma edição da LBF (Liga de Basquete Feminino). Após ter sido cancelada em 2020 com apenas três partidas disputadas por conta da pandemia de Covid-19, a principal liga de basquete feminino do Brasil vem em sua décima edição com oito equipes de quatro estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Maranhão) em busca do título. 

 

Em mais um guia preparado pelo Surto olímpico, traremos as oito equipes, os seus destaques e um pequeno resumo das pretensões de cada time no campeonato. Sem mais delongas, vamos ao guia:

 

História


O primeiro campeonato nacional de basquete feminino foi disputado em 1984, com o nome de Taça Brasil, tendo o Prudentina levando o primeiro título. Foram disputadas 13 edições até 1997 e o maior campeão a UNIMEP/Piracicaba com três conquistas. Em 1998, a Taça Brasil mudou de nome para Campeonato Brasileiro e teve como o primeiro campeão o Fluminense. Nesse formato, organizado pela CBB (Confederação Brasileira de Basquete) a competição existiu até 2010. 


Também em 2010 a LBF foi fundada e teve sua primeira temporada disputada no mesmo ano e encerrada em 2011, com o título do Santo André. Até 2017, o campeonato foi disputado com o esquema similar ao do NBB (começa em um ano e termina no outro) mas a partir de 2018, a liga resolveu iniciar e terminar no mesmo ano. A última temporada foi cancelada, como dito acima, por conta da pandemia do novo coronavírus.


Com quatro conquistas, o Americana é o maior vencedor do LBF e no geral, ou seja, desde 1984, empata com o Ourinhos com cinco conquistas cada. Também já venceram o LBF o Sport Recife, o Sampaio Corrêa – duas vezes – e o Basquete Campinas.


Formato de disputa


As oito equipes se enfrentam em turno e returno, a classificação final da primeira fase vai definir o chaveamento dos playoffs, 1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º em melhor de três partidas. A semifinal será  disputada em três partidas e a final em cinco jogos. A campeã e a vice se classificam para a Liga Sul-Americana de basquete de 2022. Para a edição de 2021, apenas a LSB-RJ aceitou participar do campeonato é o representante do Brasil na competição.


Equipes



AEC/Tietê Agroindustrial/Bax Catanduva





Participações em LBF -5

Melhor colocação – 3º na temporada 2011/2012

Última participação – 9º na temporada 2018

Técnico – Cesamar Fernandes

Elenco 


Armadoras: Thaissa (1,66m 32 anos), Natália (1,65m 36 anos) e Ana Beatriz (1,69m 25 anos)

Alas: Mariana Augusto (1,68m 23 anos), Lauene (1,72m 18 anos) e Ana Paula (1,78m 32 anos)

Pivôs: Jenyff (1,85m 19 anos), Lorraine (1,85m 26 anos), Lis Dourado (1,83m 27 anos), Fernanda Sena (1,84m 26 anos), Nicolle Chirinda (1,85m 24 anos), Tati Motta (1,81m 39 anos), Flávia Luiza (1,86m 38 anos)


Após três anos ausente, o Bax Catanduva está de volta à LBF após ter ficado de fora da competição em 2019 por não ter uma quadra com piso de madeira para jogar. O time da 'Cidade-Feitiço' espera fazer um campeonato melhor do que sua última participação, quando ficou em último lugar, perdendo todos os 16 jogos. 


Entre os destaques, temos a armadora/presidente Natália Burian, que repensou sua aposentadoria e vai fazer essa dupla função dentro e fora da quadra. A esperança é que Larissa Carneiro, que fez boa dupla com Natália no campeonato paulista, renove e confirme sua participação na equipe, o que não ocorreu até o fechamento deste guia. Sem contratações de peso, o Catanduva, que será comandado pelo técnico Cesamar Fernandes, conta com a força do seu conjunto para fazer uma boa campanha na competição.



Blumenau



Participações em LBF - 5

Melhor colocação – 4º na temporada 2018

Última participação – 5º na temporada 2019

Técnico – João Camargo

Elenco


Armadoras: Duda (1,68m 17 anos), Cacá (1,72m 29 anos), Vick (1,66m 16 anos), Giulia (1,68m 22 anos), Letícia Rechembak (1,67m 17 anos), Bruninha (1,70m 27 anos)

Alas: Luana (1,77m 17 anos), Mariana Camargo (1,80m 35 anos), Kawanny (1,86m 26 anos), Leila (1,80m 29 anos), Luana Souza (1,77m 27 anos), Diana (1,69m 17 anos)

Pivôs:  Tati Castro (1,85m 39 anos), Victoria Marcelino (1,81m 24 anos), Agustina Leiva (ARG, 1,85m 24 anos)


O Blumenau é o representante da região sul na LBF e vai para sua quinta edição seguida esperando se manter entre as quatro melhores equipes do campeonato. Comandada por João Camargo, auxiliar técnico da seleção feminina, o time conta uma boa base que foi tetracampeã catarinense e terá o acréscimo de bons valores como a pivô argentina Agustina Leiva, a pivô Victoria Marcelino e armadora Cacá, voltando após se tornar mãe. 


Apesar de não ter um elenco estrelado como algumas de suas concorrentes, Blumenau não vem para fazer número. Elas querem surpreender com a força do seu conjunto e quem sabe até superar a campanha de 2018, quando caiu nas semifinais.



Ituano Basquete



Participações em LBF - 2

Melhor colocação – 6º na temporada 2018

Última participação – 7º na temporada 2019

Técnico – Bruno Guidorizzi

Elenco


Armadoras: Joice (1,74m 34 anos), Tita Santos (1,68m 20 anos) e Alana Gonçalo (1,66m 26 anos)

Alas: Palmira (1,78m 36 anos), Patty (1,75m 30 anos), Ibukunoluwa Awe (1,79m 23 anos), Patricía Ferreira (1,80m 40 anos), Iza Sangalli (1,82m 25 anos), Isabel Bueno (1,65m 20 anos)

Pivôs:  Mari Dias (1,90m 23 anos), Monique (1,90m 24 anos), Letícia Josefino (1,81m 23 anos)


Não é nenhum exagero dizer que o Ituano basquete tem pretensões do tamanho da fama da cidade de Itu na LBF. A base com nomes como Palmira - quinta maior cestinha da história da LBF, Joice, Patrícia Ferreira e Mari Dias foi mantida, Patty – terceira maior cestinha da história da LBF – Iza Sangalli e a pivô Letícia Josefino foram contratadas, a armadora Alana Gonçalo voltará após temporada na Espanha e ainda pode vir a veterana craque do garrafão Érika, ainda em negociação. Outro rumor de reforço da equipe paulista é da pivô Britanny Starling. 


No comando técnico, uma mudança: saiu o veterano Antônio Carlos Barbosa técnico medalha de bronze com a seleção feminina em Sydney 2000 e entrou o jovem Bruno Guidorizzi, que levou a equipe ao vice-campeonato paulista. Com todos reforços, a equipe será capaz de dar voos mais altos no LBF e brigar pelo título, algo inédito para o galo do interior paulista até o momento.



Sodiê Doces/Mesquita/LSB-RJ



Participações em LBF - 1

Melhor colocação – 9º na temporada 2019

Última participação – 9º na temporada 2019

Técnico – Rafael Zaremba

Elenco


Armadoras: Maria Luisa (1,59m 25 anos), Marquita Daniels (USA, 1,71m 25 anos), Rayanne (1,72m 23 anos), Nazinha (1,70m 25 anos)

Alas: Thayná (1,80m 25 anos), Amanda Oliveira (1,75m 26 anos), Julia Schmauch (1,80m 21 anos), Mayara (1,74m 23 anos)

Pivôs:  Jessy Gneneka (FRA, 1,81m 26 anos), Carol França (1,80m 26 anos), Adrielly (1,93m 18 anos), Juliana Ribeiro (1,79m 26 anos), Jennifer (1,83m 28 anos), Lorena (1,89m 22 anos)


A equipe carioca – que nasceu de uma liga de basquete amador criada para desenvolver o esporte no Rio de Janeiro - investiu forte para fazer bonito nas duas frentes que está disputando – LBF e Liga Sul-americana. O LSB contratou as estrangeiras Marquita Daniels (USA) e Jessy Gneneka (FRA) e completou a boa base que já tinha com bons nomes do basquete nacional como Julia Schmauch, Jennifer e Lorena. 


A equipe comandada por Rafael Zaremba tem tudo para ser uma das surpresas do LBF, se conseguir manter o fôlego de disputar a liga brasileira e a continental, podendo inclusive chegar bem longe em ambas as competições. Olho nelas!


Sampaio Basquete



Participações em LBF - 4

Títulos – 2 (2019 e 2015/16) 

Última participação – Campeão na temporada 2019 

Técnico – Virgil Lopez

Elenco:


Armadoras: Débora Costa (1,64m 29 anos), Érika Leite (1,70m 28 anos), Luana Leite (19 anos) e Rayana (1,69m 29 anos)

Alas: Izabela Ramona (1,80m 27 anos), Rapha Monteiro (1,81m 26 anos), Jeanne (1,76m 35 anos), Tati Pacheco (1,81m 30 anos), Thainá (1,78m 25 anos), Letícia (1,76m 25 anos), Dalina (1,78m 40 anos) e Palloma (1,78m 23 anos)

Pivôs:  Lee Lisboa (1,83m 28 anos), Gil Justino (1,83m 39 anos) e Eduarda (1,82m 20 anos)


A ‘Bolívia querida’ vem em busca do tri. Único representante do nordeste no NBB, o Sampaio Basquete manteve sua forte base com as selecionáveis Izabela Ramona, Rapha Monteiro e Tati Pacheco, e trouxe a armadora titular da seleção Débora Costa para comandar o time dentro de quadra. E ainda pode contar com a pivô Clarissa, que deve pintar no Maranhão após terminar a sua temporada no Izmit, da Turquia.


E o comandante da equipe maranhense é o francês Virgil Lopez, que retorna ao Sampaio após trabalhar no Montpellier nas duas últimas temporadas. Com todos esses ingredientes, não dá pra deixar a atual equipe campeã do LBF (lembrando que não tivemos a edição de 2020 por conta da pandemia) na prateleira de favoritas ao título de 2021.



Santo André/APABA



Participações em LBF - 9

Títulos – 1 (2010/2011)

Última participação – 3 º na temporada 2019

Técnica – Arilza Coraça 

Elenco


Armadoras: Carol Ribeiro (1,79 26 anos), Lays (1,66m 22 anos) e Aninha (1,65m 17 anos)

Alas: Ariadna (CUB, 1,84m 38 anos), Jaqueline de Paula (1,78m 35 anos), Millena Nêga (1,75m 22 anos), Stephany (1,80m 16 anos), Marcella (1,80m 16 anos), Aisha (1,80m 16 anos)

Pivôs: Sassá (1,80m 26 anos), Glenda (1,82m 26 anos), Letícia Rodrigues (1,87m 25 anos), Maria Carolina (1,92m 26 anos), Giovana (1,90m 15 anos), Simone (1,83m 41 anos)


A primeira equipe campeã, única a estar presente em todas as edições da LBF e projeto de basquete feminino mais antigo da história do país - ativo desde 1950! - o Santo André aposta na tradição para brigar pelo bicampeonato. Para isso, a equipe tem como principal estrela a cubana Ariadna, maior pontuadora da história da LBF, que aos 38 anos continua uma cestinha implacável. Sem muitas contratações, o Santo André aposta em jogadoras como Lays, Jaqueline de Paula - segunda maior cestinha do LBF -, Sassá e Maria Carolina para chegar longe no campeonato.


Arilza Coraça é a técnica do Santo André e única mulher comandando uma equipe na LBF. Antiga auxiliar e herdeira técnica lendária de Santo André Laís Elena, espera que o time surpreenda as equipes consideradas favoritas e assim levar o time além das semifinais do LBF 2019, feito atingido pelo Santo André na última temporada completa da liga.


SESI Araraquara


Participações em LBF - 1

Melhor colocação – 6º na temporada 2019

Última participação – 6º na temporada 2019

Técnico – Daniel Wattfy

Elenco


Armadoras: Carla Lucchini (1,75m 25 anos), Tainá Paixão (1,73m 29 anos), Karen (1,78m 37 anos), Bianca Soares (19 anos), Beatriz (19 anos)

Alas: Julia (1,65m 19 anos), Gabriela Sossô (1,72 22 anos), Mariane Carvalho (1,84m 24 anos)

Pivôs: Iza Andrade (1,82m 34 anos), Silvinha (1,83m 38 anos), Juliana (1,85m 21 anos) e Veronica (19 anos)


A Equipe de Araraquara - criada graças a um projeto da ex-jogadora campeã mundial Roseli Gustavo - manteve a mesma base do campeonato paulista para buscar voos mais altos na LBF. E mesmo sem grandes investimentos, a base do time paulista é muito boa. Destaque para ala-armadora Tainá Paixão, jogadora da seleção brasileira que deverá ser a principal jogadora do time na LBF. Carla Lucchini, as irmãs Silvinha e Karen Gustavo e Mariane Carvalho também serão destaques dessa equipe.


Daniel Wattfy comanda a equipe e espera que o elenco que disputou o campeonato paulista faça valer do seu entrosamento e assim consiga um resultado melhor do que em 2019 na liga, quando o Araraquara caiu nas quartas de final da LBF para o Santo André


Vera Cruz Campinas





Participações em LBF - 2

Títulos – 1 (2018)

Última participação – 2º na temporada 2019 

Técnico – Élcio Ortiz


Elenco


Armadoras: Tássia (1,76m 28 anos), Letícia (1,70m 20 anos), Babi Honório (1,80m 35 anos), Yasmin (1,74m 27 anos)

Alas: Maila (1,67m 27 anos), Gabi Santos (1,75m 25 anos) Cíntia (1,75m 31 anos) e Karla (1,73m 42 anos)

Pivôs: Isabela Costa (1,80m 20 anos), Licinara (1,84m 21 anos), Mônica (1,90m 30 anos), Fabi Caetano (1,92m 30 anos)


Herdeiro do lendário time de Americana, o Vera Cruz Campinas se sagrou campeão paulista de basquete em 2020, mas acabou perdendo algumas peças importantes para a LBF. Uma delas foi a ala-pivô Damiris, que voltou para os Estados unidos onde vai se preparar a temporada da WNBA. Com alguns reforços pontuais de jovens valores do basquete feminino, a presidente Karla Costa saiu da aposentadoria para dar mais experiência a equipe, que já tem bons nomes como Babi Honório, Tássia e Mônica. 


O técnico Élcio Ortiz sabe que após um título e um vice campeonato em 2018 e 2019, as expectativas do Campinas são altas e com um campeonato que promete ser um dos equilibrados dos últimos anos, vai ser difícil se manter no topo. Mas como o Campinas já sabe como chegar até lá, quem sabe isso não seja uma vantagem?


Transmissão 


O LBF terá todos os jogos da primeira fase transmitidos pela TVN Sports (o link para acompanhar é https://lbf.tvnsports.com.br/) e aos domingos a TV Cultura passará uma partida - a exceção será na estreia, 8 de março, que terá transmissão da emissora paulista.


Jogos da LBF de março


8/3 - Vera Cruz Campinas X Bax Catanduva

13/3 – Ituano Basquete x Santo André

14/3 – Sesi Araraquara x Sampaio Basquete

16/3 – Bax Catanduva x Sampaio Basquete

19/3 – Blumenau x Sesi Araraquara

20/3 – Vera Cruz Campinas x Santo André

21/3 – LSB-RJ x Ituano Basquete

24/3 – Sampaio Basquete x LSB-RJ

25/3 – Sesi Araraquara x Bax Catanduva

26/3 – Ituano Basquete x Vera Cruz Campinas

28/3 - Santo André x Blumenau


fotos e dados dos elencos: Site LBF

Nenhum comentário:

Postar um comentário