Em duelo de opostas, Sesi Bauru vence Sesc Flamengo e está na semifinal da Superliga de Vôlei feminino - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Em duelo de opostas, Sesi Bauru vence Sesc Flamengo e está na semifinal da Superliga de Vôlei feminino

Compartilhe

Foi como o torcedor esperava para uma partida 3 das quartas de final de uma Superliga: com muita emoção. Na noite desta sexta-feira (19) melhor para o Sesi Bauru, que precisou de cinco sets para derrotar o Sesc Flamengo em 3 a 2 (25/27, 25/18, 25/22, 19/25 e 15/10 ) e avançar para a semifinal da competição. 


O duelo no Ginásio Hélio Maurício, no Rio de Janeiro, teve as opostas das equipes como destaque. Da equipe vencedora, Polina Rahimova marcou 25 pontos e saiu com o Troféu Viva Vôlei de melhor da partida. Mas a maior pontuadora foi Lorenne, oposta do Sesc Flamengo, que saiu com 30 pontos.


A central Valquíria do time carioca marcou 15 pontos, enquanto a também central Adenízia, do time bauruense, terminou com 16.


A equipe de Bauru agora vira a chave para a semifinal da Superliga, em confronto melhor de 3 contra o Itambé/Minas a ser realizado de 26 a 30 de março no Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ).


Time inicial

Sesi Bauru: Adenizia, Mara, Dani Lins, Tifanny, Dobriana Rabadzhieva, Polina Rahimova e Brenda Castillo (L)  Entraram: Carol Leite, Pamela, Julia Dias, Fê Ísis e Vanessa Janke.


Sesc Flamengo: Juciely, Valquíria, Juma, Amanda, Ana Cristina, Lorenne e Camil Gomez (L)  Entraram: Gabiru e Marcelle.


Surte + Trentino, de Lucarelli, vence, mas Vakifbank, de Gabi, é derrotado no jogo 1 da semifinal da Champions


O jogo

O Sesc Flamengo venceu o primeiro set após um embate de muito equilíbrio, decidido nos detalhes. O "detalhe" veio em erro de Polina Rahimova, que não fez um bom primeiro set. Final em 27 a 25 para o time carioca.


A segunda parcial começou em equilíbrio, mas logo o Sesi Bauru agressivou no saque e abriu vantagem com Rabadzhieva e Polina se destacando. O set também ficou marcado por muitos pontos sendo decididos no 'desafio', o que deixou o clima nervoso entre os técnicos.


A terceira parcial teve início com a arbitragem punindo os dois técnicos. Na sequência, o que vimos foi equilíbrio durante boa parte do set. O Sesi Bauru viu Dobriana Rabadzhieva sair chorando de quadra, com dores no joelho. No entanto, a equipe comandada por Rubinho não sentiu a saída de uma das suas principais jogadoras e fechou a parcial em 25 a 22.


O quarto set tem nome e sobrenome: Lorenne. A oposta do Sesc Flamengo dominou, virou todas as bolas e vibrou demais, algo pouco comum na carreira da jogadora. A atacante marcou 11 dos 18 pontos da equipe em ataque na parcial, sendo determinante para ida do confronto ao tie-break.


Mas Lorenne parou no bloqueio gigante do Sesi Bauru no set decisivo. A equipe bauruense combinou muito bem saque + bloqueio e contou com Adenízia e Vanessa Janke brilhando para chegar à semifinal da Superliga.


Foto em destaque: Paula Reis/Flamengo

Nenhum comentário:

Postar um comentário