Definidas as quartas de final da oitava etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia masculino - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Definidas as quartas de final da oitava etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia masculino

Compartilhe


A terça-feira (23) foi bastante movimentada no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV). Durante todo o dia foram realizadas 32 partidas, incluindo os duelos da fase de grupos e oitavas de final, do torneio masculino da oitava etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia 20/21. Após a jornada, apenas oito duplas seguem na disputa pelo título.

As quartas de final acontecem na manhã desta quarta-feira (24). As duplas classificadas após o primeiro dia do torneio principal foram: Alison/Álvaro Filho (ES/PB), Lipe/Anderson Melo (CE/RJ), André/George (ES/PB), Léo Vieira/Bruno de Paula (DF/AM), Arthur Mariano/Adrielson (MS/PR)*, Felipe Cavazin/Luciano (PR/ES), Hevaldo/Adelmo (CE/BA) e Léo Gomes/Gabriel Gouveia (RJ).

O torneio principal começou com as disputas entre as duplas nos respectivos grupos, espalhadas nas três quadras montadas para a competição dentro do CDV. Após 24 duelos, 16 parcerias seguiram para as oitavas de final, disputadas na parte da noite desta terça-feira. Os jogos desta rodada foram definidos por sorteio, realizado após o último duelo da fase regular. Aquelas duplas com duas vitórias passaram em primeiro nos respectivos grupos, os times que ficaram com a segunda posição e mais os quatro melhores terceiros também avançaram.

De volta ao Circuito Brasileiro depois de se recuperarem da COVID-19, André e George (ES/PB) foram os primeiros no grupo A, seguidos por Léo Vieira e Bruno de Paula (DF/AM). No grupo B a liderança foi para Alison/Álvaro Filho (ES/PB), dupla olímpica, enquanto a segunda posição foi de Allison Francioni/Matheuszinho (SC/SE). Juntos excepcionalmente nesta etapa, Arthur Mariano e Adrielson (MS/PR)* ficaram com o primeiro lugar no grupo C, com Bernardo Lima/Eduardo Davi (CE/PR) logo depois.

Medalhistas de bronze na etapa anterior, Maia e Vinícius Cardozo (RJ) venceram os dois jogos do grupo D e avançaram em primeiro, com Felipe Cavazin e Luciano (PR/ES) em segundo. O grupo E teve Vitor Felipe/Vinícius Freitas (PB/ES) na liderança, com Léo Gomes/Gabriel Gouveia (RJ) na sequência. Oscar e Thiago (RJ/SC) lideraram o grupo F, seguidos por Lipe/Anderson Melo (CE/RJ). As quatro melhores campanhas de terceiro lugar foram de Hevaldo/Adelmo (CE/BA), Fábio/Saymon (CE/MS), Pedro Solberg/Arthur Lanci (RJ/PR) e Mateus Dultra/Gabriel Zuliani (CE/PR).

No início da noite começaram as oitavas de final. Felipe Cavazin/Luciano (PR/ES) venceu o duelo contra Allison Francioni/Matheuszinho (SC/SE) por 2 sets a 1 (19/21, 22/20 e 15/9). Nas quartas o time terá como adversários os líderes do ranking nacional, André e George (ES/PB), que levaram a melhor sobre Mateus Dultra/Gabriel Zulinani (CE/PR) por 2 sets a 1 (21/16, 18/21 e 15/10). Os dois atletas, que jogam com a camisa dourada, ficaram de fora da etapa anterior por testarem positivo para COVID-19. De volta, eles comemoraram a boa performance. George ainda elogiou os adversários, que são da nova geração do vôlei de praia do Brasil.

“Estamos voltando, nos sentindo bem. Acabamos com menos ritmo de jogo pelo tempo que precisamos ficar parados, mas já estamos voltando à forma. A base brasileira no vôlei de praia está bem encaminhada, os meninos mostraram muito talento e são fruto do trabalho feito na base, estão de parabéns”, contou George.

A dupla formada por Léo Gomes e Gabriel Gouveia (RJ) ficou com a vaga ao passar por Bernardo Lima/Eduardo Davi (CE/PR) por 2 sets a 0 (21/16 e 21/xx). Eles enfrentarão uma das duplas olímpicas do Brasil, Alison e Álvaro Filho (ES/PB) que venceram Pedro Solberg/Arthur Lanci (RJ/PR) por 2 sets a 1 (9/21, 21/11 e 15/7). De volta a uma etapa nacional após pausa para acompanhar a chegada da primeira filha, a pequena Catarina, Alison celebrou o momento que vive no âmbito pessoal e profissional.

“Estou vivendo um momento muito bom da minha vida pessoal, e da minha vida profissional, ao lado do Álvaro. Me sinto leve, feliz por estar fazendo o que amo. Estamos vivendo dificuldades impostas pela pandemia da COVID-19, não temos certeza se teremos as Olimpíadas ou não, jogamos a cada dia como se fosse o último. Mesmo com tudo isso, estou em um momento especial”, disse o campeão olímpico.

Hevaldo e Adelmo (CE/BA) conseguiram a classificação ao levarem a melhor sobre Maia/Vinícius Cardozo (RJ) por 2 sets a 0 (21/18 e 21/18. Na próxima rodada a dupla enfrenta Lipe/Anderson Melo (CE/RJ), que superou Vitor Felipe/Vinícius Freitas (PB/ES) por 2 sets a 1 (21/18, 24/26 e 15/10). Com a classificação às quartas, o cearense Lipe ficou animado em poder usar a camiseta personalizada após cinco anos, e exaltou a parceria com Anderson Melo.

“Quando a Comissão de Atletas entrou em acordo com a CBV para fazer as camisetas com o nome nas quartas de final, eu disse que era um passo do meu sonho de cinco anos. E agora chegou esse momento. Nós jogamos. Quando o meu ex-parceiro Rafa foi jogar com o Fernandão, que é normal no voleibol de praia, eu não pensei duas vezes e chamei logo o Anderson Melo, que já treinava comigo, mas estava desacreditado no cenário. Ele tem um voleibol incrível, joga para caramba. Eu falei que não ia me arrepender de dar um passo para trás para dar dois para frente, e esse segundo passo chegou agora. Eu estava há muito tempo chorando atrás dessa camisa com nome”, explicou Lipe.

Léo Viera e Bruno de Paula (DF/AM) estão nas quartas de final pela segunda vez consecutiva. A dupla, formada a poucos dias da sétima etapa, venceu Oscar/Thiago (RJ/SC) por 2 sets a 0 (21/17 e 21/18). Eles terão pela frente Arthur Mariano e Adrielson (MS/PR) que passaram por Fábio/Saymon (CE/MS) por 2 sets a 0 (21/14 e 21/16). Arthur e Adrielson, que jogavam juntos na temporada passada, retomaram a parceria nesta etapa em razão das ausências de Guto e Renato Andrew, respectivamente, por questões de saúde. Arthur comentou como foi a decisão de jogarem lado a lado mais um torneio.

“O Renato não viria jogar nessa etapa, porque estava se sentindo mal. O Adrielson me mandou mensagem perguntando como eu estava e eu comentei que o Guto também não viria porque testou positivo para COVID-19, e eu iria jogar com alguém do qualifying. E perguntei se ele topava jogar comigo. Nosso objetivo é jogar solto, nos divertir, mas com foco em chegar à final”, disse Arthur Mariano.

Foto: Wander Roberto/INOVAFOTO/CBV

Nenhum comentário:

Postar um comentário