Brasil conquista oito medalhas no último dia da natação e encerra Sul-Americano na segunda posição - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Brasil conquista oito medalhas no último dia da natação e encerra Sul-Americano na segunda posição

Compartilhe


O Brasil encerrou nesta sexta-feira (19) sua participação nas disputas de natação e de nado artístico do Sul-Americano de Esportes Aquáticos, realizado em Buenos Aires (ARG). Neste dia, o país conquistou 11 medalhas ao todo, sendo oito na natação e três no nado artístico, com destaque para os ouros de Lucas Peixoto nos 50m livre e de Rafaela Raurich nos 200m borboleta.


Somando os quatro dias de evento, o Brasil obteve 36 pódios na natação, com 11 ouros, 11 pratas e 14 bronzes. Apesar de liderar o quadro de medalhas da modalidade, a equipe ficou com a segunda colocação na classificação geral, que é organizada pelo sistema de pontos, com 419,3, quebrando uma sequência de títulos que durava desde 1966. A Argentina foi a campeã, com 439 pontos. 


Neste quarto e último dia, o Brasil conquistou quatro ouros. Rafaela Raurich foi a primeira a subir no lugar mais alto do pódio, logo na primeira prova do dia, os 200m borboleta, com 2m14s19. De quebra, ainda com uma dobradinha: Maria Luiza Pessanha foi bronze, marcando 2m15s51. Na mesma prova, entre os homens, Gustavo Saldo também ficou com o ouro, a 1m58s76.


Uma segunda dobradinha aconteceu nos 400m livre masculino. Murilo Sartori foi ouro, chegando a frente de Pablo Vieira, que ficou com a prata, por uma diferença quase mínima: 3m54s24 contra 3m54s46. A distância feminina também quase viu duas brasileiras no pódio: Rafaela Raurich foi prata, marcando 4m17s32, enquanto Sofia Rondel ficou em quarto, a 4m19s53.


Além de Raurich, dona de um ouro e uma prata, o destaque maior do dia por parte da delegação brasileira foi Lucas Peixoto, que foi ouro nos 50m livre. Numa prova histórica, ele dividiu posição com o venezuelano Alberto Mestre e com o uruguaio Enzo Martinez, num incrível empate triplo, marcando 22s44. 



Esta foi sua quarta medalha dourada e a sexta no total. Ele também venceu os 100m livre e fez parte dos revezamentos 4x100m e 4x200m livre, além de ter integrado os revezamentos 4x100m medley misto e masculino que foram bronze. Além de todas as conquistas, Lucas ainda obteve o título de melhor índice técnico da competição por seu tempo de 49s36 nos 100m livre.


Outro brasileiro que foi multi-medalhista na piscina do Parque Olímpico da Juventude foi Victor Baganha. Ele também subiu ao pódio cinco vezes, a última nesta sexta-feira, com o bronze no revezamento 4x100m medley misto, fazendo parte da equipe ao lado de Maria Luiza Pessanha e Gabrielle Assis, além do próprio Lucas Peixoto. 



Já no nado artístico, o Brasil conquistou três medalhas no último dia de disputas. Uma delas foi a prata no dueto, formado por Luísa Borges e Laura Miccuci, que somaram 162.4857 pontos, apenas 0.4332 atrás da Colômbia. O conjunto brasileiro conquistou outra prata com a disputa highlight. Já Anna Giulia Veloso e Fabiano Ferreira ficaram com o bronze no dueto misto, com 146.1865 pontos.


Assim, o Brasil encerrou sua participação no nado artístico com seis medalhas: um ouro, quatro pratas e um bronze. Pela pontuação geral, a Colômbia sagrou-se campeã sul-americana da modalidade. Vale lembrar que, diferente da natação - que enviou uma delegação sub-21 -, a equipe brasileira de nado enviada ao torneio foi a principal, que ainda busca vagas nos Jogos Olímpicos de Tóquio


A competição fará uma pausa neste final de semana e só retornará na próxima segunda-feira, com o início do polo aquático. As provas de saltos ornamentais e da maratona aquática serão realizadas a partir da próxima quarta-feira. O Brasil tem sua seleção principal apenas nos saltos ornamentais e no torneio feminino do polo, mantendo uma base júnior nas maratonas aquáticas e no polo masculino.


Fotos: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário