Peter Ivanov renuncia ao cargo de presidente da Federação Russa de Atletismo - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Peter Ivanov renuncia ao cargo de presidente da Federação Russa de Atletismo

Compartilhe

 


Peter Ivanov foi forçado a renunciar ao cargo de presidente da Federação Russa de Atletismo (RusAF) após menos de três meses no cargo por causa da decisão do Tribunal de Arbitragem do Esporte (CAS) no caso do país contra a Agência Mundial Antidopagem (WADA)


De acordo com os termos da decisão do CAS, os funcionários do governo russo estão proibidos de servir em entidades esportivas até dezembro de 2022. Aqueles nomeados para Conselhos e Comitês "de qualquer signatário do Código da WADA (ou seus membros) ou associação de signatários" antes da decisão do CAS - como Ivanov - são obrigados a deixar suas funções pelo veredicto.


Ivanov foi eleito presidente da RusAF em 30 de novembro, e nomeado vice-chefe do Serviço Federal Antimonopólio na Rússia, responsável pela execução da lei antitruste e áreas relacionadas, em janeiro. Ele abandonou "temporariamente" o cargo de chefe da RusAF e foi substituído pela primeira vice-presidente e medalhista de ouro dos 400 metros com barreiras nos Jogos Olímpicos de Sydney 2000, Irina Privalova, com vistas a retornar assim que as sanções expirarem.


A renúncia de Ivanov marca a última crise para a RusAF, que permanece suspensa do Atletismo Mundial como punição pelo escândalo de doping patrocinado pelo Estado. 


O atletismo mundial ofereceu esperança à RusAF em dezembro, dizendo ao corpo em dificuldades que seu processo de reintegração poderia começar em março, se sua liderança cumprir suas promessas. A World Athletics deu a Federação até 1º de março para apresentar um plano de reintegração.


A medalhista de ouro olímpica de Sydney em 2000, Irina Privalova assumiu o comando da RusAF e prometeu que a mudança na liderança da federação não irá afetar a sua oferta de readmissão: "Estou pronta para assumir o cargo, vou continuar o curso escolhido, cooperar com o grupo de trabalho e espero que tenhamos sucesso", disse em entrevista à agência de notícias oficial russa TASS.


A World Athletics agradeceu a Ivanov, que manteve conversações com a organização e sua força-tarefa russa logo após sua eleição, por seu trabalho durante seu curto mandato como presidente.


"A World Athletics se esforça para aderir estritamente à letra e ao espírito da decisão do CAS, como resultado da qual o Sr. Ivanov renunciou ao cargo de Presidente da ARAF e do Presidium da organização", disse a World Athletics à TASS.


"Isso inclui a renúncia de todas as funções e cargos em qualquer estrutura de gestão, gestão ou conselho de curadores. Somos gratos ao Sr. Ivanov pelo trabalho que fez com sua equipe e nossos especialistas internacionais no plano de recuperação da ARAF e estamos confiantes de que esse bom trabalho continuará." 


A RusAF foi suspensa pela Associação Internacional de Federações de Atletismo - desde que rebatizada de World Athletics - em novembro de 2015, após alegações de doping patrocinado pelo Estado e desde então, a suspensão foi prorrogada por 15 vezes. A federação russa esteve perto de ser expulsa permanentemente em setembro depois que surgiu uma tentativa da antiga liderança da RusAF, então liderada por Dmitry Shlyakhtin, de encobrir uma investigação antidoping em Danil Lysenko, o salto em altura indoor mundial de 2018 campeão. 


A World Athletics apenas decidiu não expulsar a RusAF após a intervenção tardia do Ministro dos Esportes da Rússia, Oleg Matytsin, que prometeu que o país estava comprometido em resolver uma série de questões, incluindo uma promessa "incondicional" de pagar uma multa pendente de US$ 6,31 milhões de dólares (R$ 33,8 milhões de reais) até 15 de agosto.


Foto: RusAF

Nenhum comentário:

Postar um comentário