Para ginasta Arthur Zanetti, férias só depois dos Jogos Olímpicos de Tóquio





O ginasta Arthur Zanetti só vai deixar o ginásio entre o Natal e o ano novo - o último treino foi na quinta-feira (24/12), véspera de Natal - para ficar com a família e curtir o filho Liam, agora com 3 meses. Arthur estará de volta ao ginásio no dia 4 de janeiro. Não terá folga prolongada e muito menos férias – os treinos foram atrapalhados pela pandemia da COVID-19 em 2020. O ginasta, campeão olímpico nas argolas em Londres/2012 e vice-campeão no Rio/2016, sonha com sua terceira medalha olímpica nos Jogos de Tóquio, adiados para o período de 23 de julho a 8 de agosto de 2021.


“Na temporada, tivemos um período bem complicado, de ficar em casa fazendo apenas treino virtual, mas voltamos para o ginásio há três meses e vai ser um fim de ano diferente dos demais. A gente não vai ter férias, só parar entre Natal e ano novo para ficar com a família e já voltar com foco total em 2021, que será um grande ano, um ano olímpico. O meu foco é ganhar minha terceira medalha olímpica e vou trabalhar muito duro para isso”, afirmou Arthur Zanetti.


A ginástica artística de alguns países não parou de treinar durante a pandemia – fez testes, criou bolhas ao colocar os ginastas vivendo em centros de treinamento –, mas no Brasil precisou enfrentar o fechamento dos ginásios e o isolamento social como medidas de prevenção contra a pandemia.


“Na parte técnica a ginástica sofreu porque foram seis meses sem treinar, mas para a preparação do Arthur o adiamento da Olimpíada nos deu mais tempo para trabalhar”, disse o treinador Marcos Goto. “Todo mundo ficou parado então o combinado é que não tem férias. Paramos nos dias das festas, mas não teremos folga prolongada e nem férias. ‘Brecar’ a cabeça só depois de Olimpíada”, acrescentou.


O objetivo traçados por Marcos Goto para Arthur Zanetti nos últimos meses do ano, desde a volta ao ginásio, foi voltar a fazer todos os elementos da série, ficar na melhor condição física possível para investir totalmente na parte técnica a partir da virada do ano.


O treinador observou que a Federação Internacional de Ginástica (FIG) já divulgou o seu calendário com competições em 2021. Marcos Goto não sabe ainda se Arthur Zanetti competirá, mas disse que pensa em colocar o ginasta em uma competição internacional em fevereiro ou março. “Sem muita cobrança, mais para retomar o ritmo e ver como está o nível. Em março tem uma competição, em Doha, no Catar, para definir os especialistas nos Jogos Olímpicos, vamos acompanhar porque a gente nem sabe ainda quem serão os nossos adversários.”


Foto: Divulgação/Adidas

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem