Mesatenista Hugo Calderano vê desempenho positivo em jornada de cinco semanas na China





Quarentena, treinos dentro de um quarto de hotel, torneios curtos e intensos, novo formato de disputa: Hugo Calderano encerrou na última sexta-feira (27) uma desafiadora jornada ao longo de cinco semanas na China para a disputa da Copa do Mundo, do ITTF Finals e do WTT Macau. Apesar das adversidades enfrentadas, o mesa-tenista de 24 anos viu aspectos positivos em seu desempenho nestas competições.


Atual sexto colocado do ranking mundial, Hugo desembarcou na China no fim de outubro para participar da retomada do circuito internacional, a "bolha" batizada de #RESTART. Na ocasião, ele havia acabado de sair de uma quarentena na Alemanha devido a um caso do novo coronavírus em um colega de treinos.


Ao chegar à Ásia, ficou uma semana em um quarto, retomou os treinamentos dentro do próprio hotel e só conheceu a arena da primeira competição, a Copa do Mundo, a dois dias da sua estreia.


"No início, foi bem difícil conseguir encontrar meu ritmo. Já tinha ficado 11 dias sem treinar de quarentena na Alemanha, depois vim para a China e tive que fazer outra quarentena. Então, foi muito tempo sem treinar", disse o carioca, que acabou superado pelo sul-coreano Jeoung Youngsik nas oitavas de final da Copa do Mundo.


"Preciso de pelo menos duas semanas de bastante treino para encontrar o meu jogo, então o primeiro campeonato com certeza foi o mais difícil, porque eu não consegui achar o meu nível", completou
.

Na semana seguinte, já em melhor ritmo, o carioca chegou às quartas de final do ITTF Finals, evento que reuniu os melhores atletas do ranking. Após uma grande vitória sobre o inglês Liam Pitchford em seu milésimo jogo internacional, Hugo só parou nas quartas de final diante do número do mundo, o chinês Fan Zhendong, em um duelo muito equilibrado.


O terceiro e último compromisso teve o desafio da inovação: o WTT Macau apresentou uma série de mudanças que serão adotadas em parte das competições do circuito internacional a partir de 2021. Entre as novidades, por exemplo, estão a definição da ordem dos cabeças de chave por meio de confrontos rápidos, com sets de até cinco pontos, o diferente formato de disputa e a remodelada arena de jogo.


Hugo teve pela frente três chineses - Xu Xin, Lin Gaoyuan e Wang Chuqin - e, apesar de sair sem vitórias, fez grandes duelos, todos decididos somente no quinto e último set.


"Foi um torneio bem difícil. Foi difícil encontrar o ritmo nos dois primeiros jogos, em que os sets iam até cinco pontos. Mas acho que, em geral, apesar de não ter conseguido nenhuma vitória, apresentei um bom nível nas partidas. Não posso dizer que saí satisfeito, porque sempre quero ganhar, mas acho que dá para tirar várias coisas positivas", afirmou.


Hugo embarcou nesta segunda-feira (30) para a Alemanha, onde vive há seis anos e defende o Liebherr Ochsenhausen. De volta à Europa, terá uma maratona de jogos por sua equipe: até o Natal, serão seis confrontos pela Bundesliga, a liga alemã de tênis de mesa.


Foto:  ITTF

Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem