De olho em 2024, judocas da base aproveitam experiência de treinos com a equipe principal, em Pindamonhangaba - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

De olho em 2024, judocas da base aproveitam experiência de treinos com a equipe principal, em Pindamonhangaba

Compartilhe




O judô é uma das poucas modalidades em que se é comum o treino entre adversários e também entre iniciantes e grandes campeões. A estratégia de integração das Equipes de Base com a Equipe Principal é uma constante no judô brasileiro e vem garantindo qualidade e continuidade na renovação da seleção ao longo dos ciclos olímpicos. 



Seguindo a receita de sucesso que já revelou talentos como os campeões mundiais Sub-21 Rafael Macedo, Daniel Cargnin e Willian Lima, a CBJ trouxe para o treinamento de campo da seleção principal, em Pindamonhangaba, 20 judocas das equipes de base, com idades entre 17 e 20 anos. A iniciativa é parte do processo de formação de uma nova geração de judocas visando aos Jogos Olímpicos de Paris 2024 e até Los Angeles 2028. 


“Em 2016 nós iniciamos um planejamento específico voltado para a transição e conseguimos colocar Larissa Pimenta, Jéssica Pereira, Ketelyn Nascimento, Aléxia Castilhos, Ellen Santana, Beatriz Souza, Renan Torres, Daniel Cargnin, Willian Lima, David Lima, Eduardo Yudy, Guilherme Schimidt, Rafael Macedo e Leonardo Gonçalves, todos no processo de Tóquio 2020”, relembra Marcelo Theotonio, gestor das Equipes de Base da CBJ. 


Ele explica ainda que, para 2024, o processo foi antecipado em um ano, começando em 2019. Judocas da base participaram do Grand Slam de Brasília, em outubro daquele ano, e continuaram em 2020, participando do Aberto de Perth, do Grand Prix de Tel Aviv, do Aberto de Bariloche, do Treinamento de Campo Internacional em Mittersill, da Missão Europa, do Grand Slam de Budapeste e, agora, do treinamento de campo nacional, em Pindamonhangaba. 


“O nosso objetivo com essa estratégia é fomentar internamente uma disputa numa classe difícil, que chamamos de “transição”, para oportunizarmos ainda mais atletas chegarem em condições competitivas na equipe sênior. Para isso, o trabalho entre as gestões de Base e do Alto Rendimento está cada vez mais alinhado e, por isso, acreditamos que estamos tendo sucesso”, completa Theotonio. 


Primeiro treino com a seleção “principal” 


Para parte dos 20 novatos convocados pela gestão da Base para Pinda, essa é uma oportunidade inédita de trocar experiência com grandes atletas, medalhistas olímpicos e mundiais. 


A meio-médio Nauana Silva (63kg), de 17 anos, é uma das caçulas da equipe. Ela tinha cinco anos quando Ketleyn Quadros entrou para a história em Pequim 2008 ao conquistar a medalha de bronze, a primeira medalha olímpica das mulheres brasileiras em modalidades individuais. 


Nessa segunda-feira, 12 anos após o feito de Ketleyn, as duas compartilharam o dojô de Pindamonhangaba pela primeira vez. A titular da seleção se prepara para a disputa do Campeonato Pan-Americano de Guadalajara e contou com o suporte da novata nos treinos. Mas, “cair” para o seu ídolo, no judô, é um grande aprendizado. 


“É uma oportunidade única treinar com a seleção principal e eu sei que vou ganhar muita experiência com isso. É o meu primeiro treino com a seleção principal e poder estar treinando, batendo de frente com as titulares do meu peso é muito importante para mim. Eu pego muita referência na Ketleyn Quadros, medalhista olímpica. Sou muito fã dela, de como ela luta e poder estar treinando com ela aqui é muito importante para mim. Os golpes dela têm muita potência”, comentou Nauana, já de olho no que pode melhorar para chegar onde Ketleyn chegou. 

Os treinos começaram no último domingo e vão até sexta-feira, 13. A concentração tem como foco a preparação final da seleção brasileira para a disputa do Campeonato Pan-Americano Sênior de Judô, que começa no dia 19, no México. O Brasil terá 17 representantes no evento que distribui pontos no ranking mundial.


Foto: Lara Monsores_CBJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário