No Campinas, Leandro Vissotto vive momento especial na carreira no vôlei - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

No Campinas, Leandro Vissotto vive momento especial na carreira no vôlei

Compartilhe

Depois de dois anos, o oposto Leandro Vissotto está de volta ao Campinas (SP). Aos 37 anos, o atacante retornou ao clube que o repatriou para vôlei brasileiro e pelo qual é o recordista de pontos do projeto, com 37 acertos, em uma única partida. O medalhista olímpico vive uma fase especial na carreira e demonstra enorme entusiasmo por isso. Sua reestreia em um campeonato nacional será no Troféu Super Vôlei Banco do Brasil, que acontecerá entre os dias 21 e 24 de outubro, na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG). 

Segundo Leandro Vissotto, a principal razão para aceitar a proposta do time campineiro foi a boa relação com todos os envolvidos no projeto. 

“Eu e minha família estamos em casa. O time tem uma estrutura muito boa, nos receberam muito bem e tenho uma boa relação com todos. Voltar para o Campinas é retornar para casa”, afirmou Leandro Vissotto, que comentou ainda sobre os treinamentos e a dificuldade de manter a forma durante a pandemia. 

“Esse início de temporada está diferente dos outros anos pela pandemia. Ficamos muito tempo parados e os times ainda estão tomando forma. Durante a pandemia consegui treinar individualmente dentro dos protocolos. Temos que superar a deficiência desses meses e, daqui a pouco, todos vão estar bem novamente”, apostou Vissotto. 

E a alegria é completa. Afinal, a vida pessoal, com toda a família feliz em Campinas, vai muito bem. Além de Catarina e Vitória, no mês de março, junto com a preocupação gerada pela pandemia, Vissotto teve um momento super feliz com o nascimento de Domênico, seu terceiro filho com a esposa Nathalia. Mesmo com as dificuldades, o jogador viveu momentos até então inéditos como pai. 

“O Domênico veio em um momento muito legal. Tive tempo para estar com ele e aproveitei bastante o que não consegui com minhas outras filhas porque na época estava na seleção e viajava muito. O lado bom da pandemia foi a chegada dele e o tempo que tive para passar ao seu lado. Vivo uma experiência de ser pai novamente pela primeira vez”, explicou Vissotto. 

O atacante também falou da expectativa para o Troféu Super Vôlei, competição que abrirá o calendário nacional de clubes. 

“Não sabemos como vão chegar os times no Troféu Super Vôlei. O EMS Taubaté Funvic (SP) e o Sada Cruzeiro (MG) estão um passo a frente das outras equipes. Acredito que chegaremos para brigar e fazer nosso melhor. Somos um time que precisa estar treinando bastante. Temos que pensar em um jogo de cada vez para sonhar com o título”, garantiu Vissotto. 

O Troféu Super Vôlei foi criado para suprir a não realização do playoff da Superliga Banco do Brasil 19/20, que foi cancelado em razão da pandemia do COVID-19. No masculino participarão Taubaté (SP), Cruzeiro (MG), Sesi-SP, Vôlei Renata (SP), Minas Tênis Clube (MG), Apan Blumenau (SC),  Itapetininga (SP) e Ribeirão Preto (SP). 

Na competição, as equipes se enfrentarão em cruzamento olímpico (1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6 e 4º x 5º) baseado na classificação final da fase regular da Superliga 19/20. A decisão do masculino acontecerá no dia 24 de outubro, já a do feminino será no dia 31 do mesmo mês.

Foto: Vôlei Renata/Pedro Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário