Coluna Gran Willy: Temporada 2020 do tênis se aproxima do fim e alguns dos últimos títulos estão em jogo nesta semana - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Coluna Gran Willy: Temporada 2020 do tênis se aproxima do fim e alguns dos últimos títulos estão em jogo nesta semana

Compartilhe


Quem quer ser campeão nos principais níveis do circuito mundial de tênis ainda em 2020 precisa correr contra o tempo. Isso porque a conturbada temporada deste ano, fortemente afetada pela pandemia de coronavírus, está cada vez mais perto de sua conclusão. Após ficarem parados por cinco meses, tanto WTA quanto ATP têm juntos apenas seis torneios até o fim de novembro, quando se encerra de vez a época.


A WTA por exemplo, não terá competição nas próximas duas semanas, encerrando a temporada com o WTA International de Lins, entre os dias 9 e 15 de novembro, na Áustria. Neste ano não será possível realizar o Finals do circuito feminino devido à pandemia de coronavírus. O torneio seria disputado na China. 


A ATP por sua vez, terá cinco eventos até o fim da temporada, todos em quadra rápida. Dois deles já estão em andamento nesta semana: o ATP 500 de Viena, na Áustria e o ATP 250 de Astana, no Cazaquistão. 


Ainda neste ano serão realizados o Masters 1000 de Paris, na França, o ATP 250 de Sofia, na Bulgária e por fim, o ATP Tour Finals em Londres, Inglaterra, fechando o ano de 2020 no principal nível do tênis mundial. 


Pela ATP, dois tenistas dividem momentaneamente o posto de maiores campeões de 2020: Novak Djokovic e Andrey Rublev, ambos com quatro canecos. Já pela WTA, Simona Halep é a atleta com mais conquistas neste ano, com três títulos. 


Torneios da semana


Um dos torneios que já estão em andamento nesta semana, o ATP de Viena, na Áustria, dará 500 pontos ao campeão. Mas quem quiser conquistar o título precisará passar por uma chave muito difícil. Sete dos oito cabeças de chave do campeonato ocupam entre a primeira e a 12ª colocação no ranking (Novak Djokovic, Dominic Thiem, Stefanos Tsitsipas, Daniil Medvedev, Andrey Rublev, Gael Monfils e Denis Shapovalov). 


'Dono da casa' e atual campeão do US Open, Dominic Thiem é o cabeça de chave 2 do evento e terá 'pedreiras' pela frente. Na estreia ele jogaria contra o japonês Kei Nishikori, vice no Major nova-iorquino há seis anos. No entanto, Nishikori desistiu do torneio, deixando o lucky loser Vitaliy Sachko como novo adversário do austríaco. 


Se vencer, Thiem jogará contra o vencedor do confronto entre Stan Wawrinka e Cristian Garin. 


Projetando um duelo de quartas de final, Thiem poderá ter pela frente (caso avance as duas rodadas anteriores) ele poderá ter pela frente Jannik Sinner ou Andrey Rublev. Portanto o 'anfitrião da festa' não terá vida fácil até um possível confronto na final contra Djokovic, na busca por mais um título em 2020. 


Djokovic, aliás, que foi para Viena visando a conquista de mais pontos para o ranking, já que priorizar o Masters 1000 de Paris não lhe 'renderá frutos'. 


Além de ter vencido o torneio no ano passado, a proteção nos pontos imposta pela ATP devido à pandemia, fará com que o sérvio não tenha pontos para defender na França, o que consequentemete significa que ele também não somará nada.  Isso explica a opção de jogar em Viena, a possibilidade de ampliar sua vantagem sobre Rafael Nadal na liderança do ranking mundial. 


Já o ATP 250 de Astana não conta com uma chave tão forte. O atleta com melhor ranking no evento é Benoit Paire, 27°. Ainda assim o torneio pode render bons jogos, já que terá a presença de tenistas como Fernando Verdasco, Adrian Mannarino e Frances Tiafoe. 


Foto: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário