Acordo permite ações educacionais antidopagem para o Time Brasil em Missão pela Europa - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Acordo permite ações educacionais antidopagem para o Time Brasil em Missão pela Europa

Compartilhe



Um acordo de cooperação entre a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) e a Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP) permitirá que os atletas que integram o Time Brasil recebam ações educacionais sobre o tema enquanto estiverem em Missão pela Europa. 


O Comitê Olímpico do Brasil (COB) e as confederações das diversas modalidades têm levado as seleções do país para passarem temporadas de treinos em solo português, em regiões onde a pandemia do novo coronavírus está mais controlada.


O acordo de cooperação técnica terá início com as ações educacionais já nesta semana. “Estamos fechando os melhores dias e horários com o Time Brasil em Portugal, junto com a ADoP, para que essa agenda de atividades de educação seja feita diretamente por lá. Até porque a gente tem várias alterações nos padrões internacionais para 2021 e é bom que os atletas tenham contato com essa informação o quanto antes, para poderem amadurecer essas ideias”, explicou Fernanda Bini, diretora-técnica da ABCD.


A secretária nacional da Autoridade Brasileira destaca que a aproximação com a ADoP tem aberto portas na Europa. “Essa cooperação técnica é uma diretriz da própria política antidopagem. A relação com Portugal transcende a Missão do Time Brasil na Europa. Nós queremos ser referência mundial, então quanto mais pudermos interagir e ter participação ativa no cenário internacional, mais nos aproximaremos dessa meta”, afirmou Luisa Parente.


A ideia é que o acordo com a ADoP seja permanente. Neste primeiro momento, o foco da Missão Europa é na área educacional, mas a aproximação com os portugueses será ainda maior quando a pandemia permitir. A secretária e a diretora da ABCD planejam uma visita oficial no primeiro trimestre do próximo ano.


Além disso, a ABCD tem cooperado com autoridades nacionais de países lusófonos, como Angola e Moçambique, que receberam materiais educativos e documentos enviados pela Autoridade Brasileira para auxiliar nas ações para garantir o jogo limpo.


Foto: Rede do Esporte/Abelardo Mendes Jr

Nenhum comentário:

Postar um comentário