Jovem de 16 anos da Ginástica Artística ganha chance para treinar na Missão Europa - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Jovem de 16 anos da Ginástica Artística ganha chance para treinar na Missão Europa

Compartilhe

O ano de 2020, marcado pela pandemia do novo coronavírus, tem testado a determinação de Christal Bezerra, 16. Mas a promessa da ginástica artística brasileira tem respondido da melhor maneira.

“Nós tínhamos muitos objetivos nesta temporada. No início do ano, ela teve apenas uma semana e meia de férias, porque projetamos um volume de trabalho grande. Quando soubemos que teríamos que ficar em isolamento, foi um desespero”, diz Beatriz Fragoso, treinadora de Christal no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo. 

Mas encontramos formas de motivá-la, e a CBG ajudou demais, com os treinos online. Quando soubemos que viríamos para a Missão Europa, ela ficou muito animada. Nos treinos em Sangalhos (Portugal), pude constatar que ela realmente conseguiu trabalhar bem em casa, preservando o que já havíamos treinado. Provou mais uma vez que tem determinação e resiliência. É bonito vê-la treinando: consigo ver nos olhos dela que está dando o melhor, fazendo seus 100% sempre”.

Mas o que significa os 100% de Christal Bezerra? Por óbvio, sabemos que os 100% de um atleta mediano não seja lá muita coisa. Mas Beatriz, que treina a adolescente desde os oito anos de idade da atleta, tem a convicção de que prepara uma ginasta incomum.

“A Christal tem um corpo excelente para a ginástica. O biotipo dela é forte, muito parecido com o das norte-americanas. Isso ajuda muito para que ela consiga desenvolver exercícios de alta complexidade. Vejo um futuro muito grande na Christal, entre outros motivos, porque o organismo dela suporta uma complexidade de elementos: salta muito alto, é bastante potente. Claro que, por ser muito forte, acaba não sendo tão flexível. Isso é o que a gente tem mais a trabalhar. O ganho de força é muito rápido, mas a flexibilidade não está no mesmo patamar. O esforço que fazemos é para deixá-la cada vez mais alinhada e flexível para poder fazer os movimentos com uma plástica muito boa”, afirma a jovem treinadora.

A integrante da seleção brasileira que obteve a sétima colocação na competição por equipes do Mundial Júnior de Györ (Hungria), em 2019, Christal tem trabalhado com intensidade para ser uma ginasta completa. “Por ser muito forte, a Christal faz solo e salto sem muita dificuldade. A trave é mais desafiadora, por não ser muito flexível. É um aparelho que exige mais, mas ela vem evoluindo muito. Outro aspecto que chama a atenção é a habilidade que demonstra nas paralelas. Consigo ver a possibilidade dela ser uma ginasta tecnicamente completa à medida que for amadurecendo”, explica Beatriz

Quem tem acompanhado os treinos da jovem ginasta percebe que ela agarra a chance de treinar com a nata da Ginástica Brasileira com toda a firmeza. “Acho que não dormi até o dia da viagem chegar. Prometi dar meu sangue, aproveitar cada minuto de aprendizado como se fosse o último”, diz Christal.

Foto: Divulgação/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário