Surtolista: Dez grandes momentos inusitados e divertidos da Rio 2016 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surtolista: Dez grandes momentos inusitados e divertidos da Rio 2016

Compartilhe


Há exatos quatro anos, os jogos olímpicos do Rio de Janeiro terminavam. E o assunto do surtolista dessa semana não pode ser outro como as lembranças dos Jogos na cidade (que apesar dos pesares, ainda é) maravilhosa. Mas ao invés de cairmos no clichê de relembrarmos os momentos marcantes, emocionantes, que tal lembrar aqueles momentos mais inusitados que fizeram a gente dar uma boa gargalhada, momentos que viraram memes, momentos que a irreverência do brasileiro fez a diferença.

Sem mais delongas, vamos relembrar esse momentos que com certeza, você não esqueceu:

O besuntado de Tonga


(Foto:Reprodução/NBC)

Vamos ser sinceros: Já tá meio chato ver Pita Taufatofua todo besuntado em qualquer competição que seja. Mas na cerimônia de abertura da Rio 2016 ele 'quebrou' a internet ao aparecer todo besuntado. O motivo era homenagar os seus ancestrais que se vestiam  com uma roupa feita de fibra de Tonga Ngatu (arvore típica da Polinésia) e de coco e passavam o óleo da fruta pelo corpo para evitar que seus inimigos conseguissem pegá-los. Mas ele fez muito sucesso, graças ao seu físico - ele estava lá para lutar no taekwondo - e com isso, virou uma celebridade instantânea, sendo entrevistado pelas TVs de todo o mundo.

Pita ainda apareceu na cerimônia de encerramento - besuntado obviamente - para ajudar a divulgar o recém criado Olympic Channel e Tonga entrou definitivamente no mapa, com grande aumento nas buscas e procura por turismo em 2016. Em 2018, ele foi novamente besuntado na cerimônia dos jogos de inverno em Pyeongchang - Ele se classificou no esqui cross country - e deverá estar besuntado em Tóquio no ano que vem, mas alguém ainda está ansioso para vê-lo besuntado?


O desarranjo na marcha atlética

(Foto:Reprodução/Twitter)

O francês Yohann Diniz era uma dos grandes nomes da Marcha atlética e favoritos ao pódio no Rio de Janeiro. E quando ele liderava a prova duríssima dos 50km, o francês começou a se sentir mal, e logo depois descobrimos da pior maneira que era um problema intestinal, já que o francês fez suas necessidades fisiológicas sem parar de marchar. O que parecia ser solucionado, continuou e o francês fez uma pausa, reclamando de dores abdominais, mas conseguiu voltar.

Mas perto do km 40, o francês passou mal de vez, chegando a desmaiar. ele precisou de atendimento, e após beber um pouco de água e ter gelo aplicado na cabeça, tirou forças não se sabe de onde para prosseguir na prova, ficando em uma honrosa sétima posição. Logo após cruzar a linha de chegada, o francês foi levado para um posto médico, pois ele perdeu muito líquido durante a prova, uma das mais duras de todo o programa olímpico.

E Diniz só continuou pois ele nunca tinha completado os 50km da marcha atlética em uma olimpíada. em 2008 em Pequim ele abandonou e em 2012 em Londres ele foi desclassificado. Completar a prova no Rio de Janeiro era questão de honra, e nem um desarranjo intestinal o parou.


"Mina, seus cabelo é da hora..."

A torcida brasileira que esteve no boxe foi um caso à parte. Na luta entre o equatoriano Carlos Andres Mina contra o alemão Serge Michel, os brasileiros não pensaram duas vezes em apoiar o equatoriano e arrumaram música pra isso: 'Pelados em Santos' dos saudosos Mamonas Assassinas. Tudo por conta do primeiro verso da canção: "MINA, seus cabelo é da hora..."



bônus: Torcida pro juiz
(Foto:Reprodução/Twitter)

A torcida Br no boxe ainda aprontou mais uma. A disputa das semifinais da categoria meio-pesado, até 81kg, entre Teymur Mammadov, do Azerbaijão, e Adilbek Niyazymbetov, Cazaquistão, nenhum dos boxeadores foi considerado o preferido do público. O escolhido foi o juiz brasileiro Jones Kennedy Silva do Rosário, que quando ele intercedia a luta era ovacionado ao som de "Juiz!Juiz! Juiz!", "Aaaaah, Rosário é melhor que Neymar" e "1, 2, 3, 4, 5 mil, quem manda nessa p*rra é o Rosário do Brasil"


Bolt e o meme

(Foto:Reuters)

No Rio de Janeiro, o jamaicano Usain Bolt cravou com letras garrafais seu nome no olimpo do esporte. E ainda viu sua foto na semifinal dos 100m explodir a internet e virar meme, com ele olhando para trás, a frente dos seus adversários e sem aparentar esforço, enquanto os  rivais davam tudo de si.  Sem contar que nas eliminatórias 200m, 'bateu um papo' com Andre Di Grasse (CAN) nos metros finais, mostrando que ele estava muito à vontade na cidade carioca.

Tem também o meme do bolt da repórter perguntando porque ele é tão rápido, com variadas respostas(Um exemplo abaixo), que também viralizou em 2016, mas a foto é anterior à olimpíada de 2016, mas fica à menção porque esse meme também foi muito engraçado.




O golpe da vitória...no treinador!

(Foto:Twitter)

A Wrestler japonesa Risako Kawai ficou tão feliz com o ouro olímpico na categoria até 63kg após derrotar a favorita Mariya Mamashuk (BLR) que pegou o seu treinador Kazuhito Sakae, de 56 anos e aplicou um belo golpe.

Claro que foi devidamente combinado, já que Sakae pediu para ser levantado nos ombros se ela vencesse o ouro, mas Kawai prometeu fazer só pudesse 'derrubar' o treinador antes. Dito e feito, e a imagem correu o mundo. Favorita ao bi olímpico em Tóquio, será que Kawai vai repetir a dose e mandar aquele golpe em seu treinador?


O ídolo Phelps e a fã Ledecky

(Foto:Twitter)

Michael Phelps encerrou com chave de ouro sua participação olímpica com mais cincos ouros e uma prata e viu no feminino surgir uma sucessora: Katie Ledecky, que conquistou quatro ouros e uma prata. Uma foto de uma Katie menina pegando autógrafo viralizou durante a olimpíada e no fim da participação dos dois, eles resolveram atualizar a foto, com Phelps pegando um autógrafo com Ledecky, mostrando agora que ela era o ídolo e ele, o fã.

Bônus: o ídolo Phelps e o fã Schooling

(Foto:Twitter)

A única prova em que Phelps foi derrotado foi nos 100m borboleta, onde Joseph Schooling de Cingapura surpreendeu e venceu o americano. E não é que logo depois da incrível vitória apareceu na internet a foto de Joseph criança tietando Phelps em 2008 e oito anos, ele derrotava o ídolo no Rio de Janeiro. Que baita conto de fadas,hein?


Lochte, tremendo vacilão
(Foto:USAC)

Ryan Lochte virou o americano mais odiado pelos brasileiros na Rio 2016, tudo por conta de uma entrevista em que disse foi assaltado no Rio de Janeiro e teve uma arma apontada na sua cabeça. O filme do Braisl e do Rio de Janeiro, famosos pela violência ao redor do mundo, ficaram piores ainda.

Dias depois,  a farsa foi descoberta. Lochte e outros nadadores americanos saíram escondido para uma 'balada', beberam além da conta, quebraram uma loja de conveniência em um posto de gasolina e foram detidos pelos seguranças que chamaram a polícia. um tremendo papelão que quase arruína a carreira do nadador, que viu sua fama de polêmico extrapolar e se tornar o bad boy da América, no pior sentido. Como ainda responde por processo, ele nunca mais deverá pisar aqui no Brasil.


A dancinha de Kiribati

(Foto:Reuters)

David Katoatau, de 32 anos, despediu-se da competição para atletas de até 105kg com sua tradicional dancinha toda rebolativa, arrancando risos do público no Pavilhão 2 do Riocentro. Ele já tinha feito essa mesma dança nos Jogos da Commonwealth em 2014 quando levou o ouro.

Mas David paga esse mico por um bom motivo: ele faz isso para chamar a atenção e alertar o mundo para o desaparecimento do seu país por culpa da subida do nível médio do mar por conta do aquecimento global. "Imploro aos países do mundo para verem o que está a acontecer ao Kiribati. A verdade é que não temos recursos para nos salvarmos. Vamos ser os primeiros a desaparecer", disse na época.


"Essa é a mistura do Brasil com Egito..."

(Foto:Reuters)

Os DJ's da arena do vôlei de praia em Copacabana fizeram de tudo para apoiar a dupla egípcia Doaa Elgobashy e Nada Meawad, colocando para tocar nas pausas de suas partidas os hits do grupo É o Tchan 'Dança do Ventre'(Essa é a mistura do Brasil com o Egito...)  e Olodum  'Faraó Divindade do Egito' (Mara mara mara mara maravilha ê, Egito, Egito ê)  levando a galera presente ao delírio. Pena que elas não foram muito longe na competição e não ouvimos mais esses temas de apoio às egípcias... 


"Ziiiiiiika!"

(Foto:Twitter)

A goleira americana Hope Solo resolveu fazer uma piada de péssimo gosto em suas redes sociais antes de viajar para a Olimpíada, com uma foto exibindo uma parafernália diante da ameaça do vírus zika, que chegou a ter um surto no país no início de 2016 mas foi controlado a tempo da olimpíada. A torcida brasileira não esqueceu da ofensa e pegou no pé da atleta em todas as partidas sempre gritando 'Ziiika!' quando a goleira estava com a bola. Em todas as partidas ela ouviu o 'grito de guerra' e deve ter dado graças quando os Estados Unidos foi eliminado nas quartas de final para a Suécia e ela pode voltar para casa sossegada sem poder ouvir mais o grito e é outra que não deve pisar em solo brasileiro tão cedo. 

E aí, qual outro momento inusitado você lembra da Rio 2016?

Nenhum comentário:

Postar um comentário