Ex-ginastas da Nova Zelândia denunciam abuso psicológico e físico - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Ex-ginastas da Nova Zelândia denunciam abuso psicológico e físico

Compartilhe

Sete ex-ginastas da Nova Zelândia apresentaram acusações de abuso psicológico e físico, num momento em que o número de escândalo no esporte vem aumentando. As denúncias foram feitas pelos ex-atletas da ginástica artística e rítmica após uma investigação do site neozelandês Stuff.

As alegações incluem manipulação emocional, vergonha e atletas sendo forçados a competir com ferimentos graves, enquanto pelo menos dois juízes do sexo masculino admitiram ter cometido impropriedade sexual.

Olivia Jobsis, a única ginasta que falou com Stuff para ser revelada, descreveu uma cultura "insidiosa" dentro do esporte no país. O executivo-chefe da ginástica neozelandesa, Tony Compier, disse a Stuff que o órgão regulador iniciaria "inquéritos urgentes" sobre as alegações, que ele chamou de "chocantes e angustiantes".

Os atletas da Nova Zelândia são os últimas esportistas a se manifestar após a exibição do documentário da Netflix Athlete A, que detalhou o escândalo de abuso sexual no esporte nos Estados Unidos. Ginastas na Austrália, Grã-Bretanha e Holanda também fizeram denúncias sobre os abusos sofridos durante suas carreiras.

Segundo Stuff , as ex-ginastas da Nova Zelândia estão agora lidando com lesões ao longo da vida, dependência de analgésicos, ansiedade e tratamento contínuo de distúrbios alimentares. O abuso teria ocorrido no até a nível internacional, inclusive quando os atletas representaram o país nos Jogos da Commonwealth.

"Fomos punidos com o condicionamento extenuante que foi feito para nos quebrar", disse Jobsis, que passou a julgar depois de se aposentar do esporte. "Todos choramos pelo menos uma vez por sessão. É um culto e é muito insular.  E é muito pequeno."

Compier disse que a Gymnastics New Zealand analisaria as alegações e instou aqueles que fizeram as alegações a "nos contatar diretamente com todos os detalhes, para que possa ajudar nas investigações sempre que possível, oferecer um pedido de desculpas e também apoiar os afetados".

"Nenhum dos comportamentos descritos é considerado apropriado pela Gymnastics NZ", disse ele. "Nós investigamos qualquer comportamento desse tipo se uma reclamação for recebida. Quando começamos investigações urgentes sobre alguns dos assuntos que você levantou, não faríamos mais comentários sobre essas alegações neste momento."

A diretora de assuntos públicos e comunicação do Comitê Olímpico da Nova Zelândia (NZOC), Ashley Abbott, disse a Stuff que o NZOC estava "preocupado" com as alegações. "Vimos sobre relatórios do exterior e devemos reconhecer que não somos imunes", disse ela.

Foto: Andrew Meares Asm

Nenhum comentário:

Postar um comentário