Equipe de Fabio Jakobsen pede prisão de ciclista que empurrou seu atleta no Tour da Polônia; Jakobsen está em estado grave - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Equipe de Fabio Jakobsen pede prisão de ciclista que empurrou seu atleta no Tour da Polônia; Jakobsen está em estado grave

Compartilhe
Dylan Groenewegen e Fabio Jakobsen acidente Tour Polônia
O diretor esportivo da equipe Deceuninck-Quick Step, Patrick Lefevere, fez duras críticas a Dylan Groenewegen, que empurrou seu compatriota nas barreiras publicitárias na etapa do Tour de Polônia, do Circuito Mundial de ciclismo estrada. Em entrevista a agência belga nesta quinta-feira (6), Lefevere confirmou seu pedido de prisão à Groenewegen e disse que a equipe está entrando com uma queixa-crime contra o neerlandês. Fabio Jakobsen encontra-se em coma induzido, ainda em estado grave.

Ainda na quarta-feira (5), data do acidente, Lefevere pediu prisão ao atleta da Jumbo-Visma em seu Twitter. 

"Vou ao tribunal, esse tipo de ação tem que estar fora do ciclismo. Isso é um ato criminal, senhor Groenewegen".

"Estou muito zangado e mantenho minhas declarações do Twitter. Foi uma ação suja por parte de Groenewegen. Vi o sprint dezenas de vezes e ainda não entendo a ação. Ele praticamente está em cima do Fabio e é isso que fez o Fabio perder o equilíbrio e cair de lado. Groenewegen simplesmente o empurrou contra as cercas. Ele o encaixou. Não há como entender isso, é um ataque", disse o diretor da equipe belga à imprensa do país.

"Então, não, não retiro minhas palavras no Twitter. Já fizemos uma queixa à UCI e vamos registrar outra queixa na polícia polonesa", finalizou.


Pedido de desculpas

Também usando o Twitter, Dylan disse sentir muito por Fabio e os outros atingidos e que seu pensamento está com ele.

"Eu odeio o que aconteceu ontem. Não consigo encontrar as palavras para descrever como sinto muito por Fabio e outros que foram derrubados ou atingidos. No momento, a saúde de Fabio é a coisa mais importante. Eu penso nele constantemente", disse.

Quem também se desculpou foi a Jumbo-Visma, equipe neerlandesa do atleta que causou o acontecimento. O chefe da equipe, Richard Plugge, ligou para Patrick Lefevere pedindo desculpas em nome da equipe.

"Eu disse a ele que achava corajoso ele me ligar, mas também disse que não entendia o movimento de seu ciclista", assinalou Lefevere.

Ao menos mais cinco ciclistas tiverem lesões e ferimentos por conta do acidente - Foto: Szymon Gruchalski


O acidente

O mundo do esporte ficou assustado com o acidente ocorrido na etapa do Tour da Polônia do ciclismo. Dezenas de ciclistas foram ao chão em uma velocidade acima dos 70km/h no sprint final para a linha de chegada. O causador do acidente foi Dylan Groenewegen, que empurrou Fabio Jakobsen, ambos dos Países Baixos, nas cercas de publicidade.

Jakobsen passou por cirurgia e encontra-se em coma induzido, ainda em estado grave. Ele quebrou diversos ossos da face e teve lesões no nariz, laringe e faringe. O estado ainda é de perigo, já que o atleta perdeu muito sangue e teve o cérebro afetado. O acidente ocorreu um ano após a morte de Bjorg Lambrecht (BEL) em acidente também no Tour da Polônia.

Groenewegen, que venceu a primeira etapa prova, foi desclassificado pelos comissários, de acordo com um comunicado da União Ciclística Internacional (UCI). A entidade considerou "inaceitável" o comportamento do sprinter da Jumbo-Visma.

A 77ª corrida do Tour da Polônia começou nesta quarta-feira (5), com o acidente ocorrendo na primeira etapa dos 196km a serem disputados.

Foto: AFP


Nenhum comentário:

Postar um comentário