Dois meses após acidente, Alex Zanardi apresenta melhora e é transferido para unidade semi-intensiva - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Dois meses após acidente, Alex Zanardi apresenta melhora e é transferido para unidade semi-intensiva

Compartilhe

O hospital San Raffaele, de Milão, na Itália, divulgou um boletim médico sobre o estado de saúde do ex-piloto e paraciclista Alex Zanardi. O bicampeão paralímpico foi transferido para uma unidade de tratamento semi-intensivo depois de passar pela quarta intervenção cirúrgica que tratou das complicações do traumatismo craniano e facial causadas pelo acidente.

"Depois de um período durante o qual foi submetido a cuidados intensivos após ser hospitalizado em 24 de julho, o paciente respondeu com significantes melhoras clínicas. Por essa razão, ele está sendo continuamente assistido e tratado na unidade de cuidados semi-intensivos na Unidade de Neuroreanimação dirigida pelo Professor Luigi Beretta", comunicou o hospital.

O boletim vem exatamente dois meses depois do acidente sofrido por Zanardi, quando colidiu com um caminhão após perder o controle e capotar sua handbike em uma prova paraciclística organizada pelo próprio atleta. 

Desde então, o italiano passou por quatro cirurgias para recuperar de politraumatismos na região da cabeça e da face. Se o risco de morte foi descartado durante esse período, a situação neurológica é que preocupa fãs de Zanardi, já que o seu diagnóstico é mantido em segredo a pedido da família

Com passagens pela Fórmula 1, Alex Zanardi fez história na F-indy, onde se tornou bicampeão em 1997 e 1998. Foi na mesma categoria que em 2001, ele sofreu um gravíssimo acidente onde teve suas duas pernas amputadas. Após se recuperar, Zanardi continuou a correr em carros adaptados mas depois passou a se dedicar ao ciclismo paralímpico, conseguindo quatro medalhas paralímpicas nos jogos de Londres e Rio de Janeiro e buscava classificação para os Jogos Paralímpicos de Tóquio antes de sofrer esse acidente na Itália. 

foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário