Surto de A a Z: Conheça mais sobre o beisebol - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Surto de A a Z: Conheça mais sobre o beisebol

Compartilhe

O beisebol é um dos esportes mais populares dos Estados Unidos. Porém, não é exatamente uma modalidade estadunidense. Trata-se de uma adaptação feita de um esporte inglês chamado rounders, jogado entre o século XVI e XVII. Ele era disputado nos mesmos moldes, utilizando bolas e tacos para as rebatidas, além de um circuito obrigatório em campo que deverá ser percorrido para a obtenção das pontuações.

Portanto, é estabelecida a teoria de que este esporte chegou na América via imigrantes ingleses, ainda durante o período de colonização, sofrendo adaptações para o que conhecemos hoje como beisebol. O mesmo havia sido feito, por exemplo, com o futebol americano, que é uma adaptação do rugby.

Vale lembrar que o beisebol retornou ao programa esportivo dos Jogos Olímpicos para Tóquio, em 2021, após duas Olimpíadas de ausência (Londres 2012 e Rio 2016). 

Mas para entender como são as regras básicas e o que é necessário para vencer uma partida, precisamos primeiro apresentar seu campo de jogo e os objetivos. Conhecido como "diamante", o campo tem formato quadrado, na posição de um losango, sendo dividido em duas partes: campo interno e externo.

No lado interno existe um circuito de quatro lados, com uma base em três das quatro pontas. No centro desse quadrilátero existe um "montinho", local onde o arremessador (pitcher) efetua as jogadas da partida. Ele lança a bola para o rebatedor (hitter) do time adversário, que fica posicionado de frente para este "montinho", no setor nomeado como home plate

Em cada uma das bases haverá um atleta do time que está arremessando a bola. Eles são conhecidos como primeira, segunda e terceira-base ou defensores de base (basemans) e devem defender o local onde estão posicionados. Entre a segunda e terceira base, fica um quatro jogador, o interbase (shortstop) que ajuda na cobertura dessas áreas caso ocorram jogadas duplas.

Por fim, atrás do rebatedor adversário, fica um sexto atleta no campo interno, o recebedor (catcher), responsável por segurar os arremessos que não foram rebatidos. Ele também poderá lançar a bola para algum defensor de base, dependendo da situação do jogo, buscando uma eliminação.  

Dessa forma, o campo interno contará com seis jogadores

Já o campo externo, precisará apenas de três atletas, os campistas, responsáveis por pegar as bolas rebatidas para a área composta de grama. Esses três membros ficarão posicionados no lado direito (right fielder), esquerdo (left fielder) e central (center field), fazendo a defesa do losango.

Então em toda a extensão do campo, nove atletas do time que arremessa estarão em ação, enquanto o time adversário terá apenas o rebatedor, a princípio.  

A distância entre o montinho e a home plate é de 18,44 metros. Entre as bases, há um espaço de 27,5 metros. E do muro que delimita o fim do campo está sempre entre 91 e 128 metros da home plate.  

Foto: Divulgação

Quais são os principais objetivos e como vencer o jogo?

A partida ocorre em nove entradas (innings). O principal objetivo do arremessador é conseguir um strike, que nada mais é do que a falha do rebatedor. Porém, existe uma área em que o responsável pelo arremesso precisa jogar a bola, para que de fato a falha possa ser considerada um strike.

Trata-se de uma linha imaginária no formato de um quadrado, que fica entre os joelhos e o peito do rebatedor. 

Existem três formas de conquistar o strike. Se o rebatedor não acertar a bola, se ele não tentar a rebatida ou se ele jogar a bola na área inválida do campo (a área atrás do eixo onde ele está posicionado). 

Se o arremessador conseguir três strikes, o rebatedor em questão será eliminado do turno (strike out). A cada três rebatedores eliminados, encerra-se o turno, passando para a vez do adversário. 

Após as três eliminações do adversário é decretado o fim da entrada, passando para a próxima, onde quem saiu do jogo em seus respectivos turnos, tem o direito de retornar.  

Quando o arremessador não joga a bola na área de strike, impossibilitando a rebatida do adversário, ocorre o que é chamado de ball, que é um erro por parte de quem lança a bola. 

Se um arremessador cometer quatro erros contra o mesmo atleta, o rebatedor deverá se deslocar para a primeira base de forma automática. Caso a área já esteja ocupada, o atleta da primeira base avança para a segunda, dando lugar ao atleta e assim sucessivamente. 

Ainda existe um outro erro, que chama-se dead ball, e ocorre quando o arremessador atira a bola acidentalmente no corpo do rebatedor. Como punição, quem rebate vai automaticamente para a primeira base.

Foto: Julie Jacobsson/AP
A principal meta do rebatedor é conquistar um home run, que é quando a bola é rebatida para fora do campo (para frente ou para os lados, nunca para trás, por tratar-se de uma área inválida). Com isso, o rebatedor fica livre para percorrer a área de terra, completando o quadrado e anotando pelo menos um ponto

Se já houver um rebatedor em uma da bases e ocorrer o home run, anota-se dois pontos. Para duas bases ocupadas, contabiliza-se três pontos. Se todas as três bases estiverem ocupadas e o home run acontecer, quatro pontos serão adicionados ao placar, sendo que esta é a maior pontuação disponível na partida, recebendo o nome de Grand Slam. 

Caso o home run não aconteça, o ideal é que a tacada seja boa o suficiente para que o rebatedor tenha tempo de correr da home plate até a primeira base e assim sucessivamente, ocupando o maior número de bases que for possível, antes do campista adversário recuperar a posse da bola e lançar para um dos defensores da base. 

Resumindo, se você acerta a batida, deverá correr para a ação que é normalmente chamada de "roubar a base".

A função dos defensores de base é evitar que o rebatedor roube sua base, além de tentar eliminar o adversário. Para isso, ele deve sempre estar atento ao seu posicionamento, pois existem formas de eliminação que devem ser executadas por esse membro da equipe. 

O ground out acontece quando a bola rebatida quica no chão, é segurada pelo campista, que lança para o jogador da base que será atacada. Se o defensor de base segurar a bola pisando na área marcada antes do batedor chegar, ele consegue a eliminação.

O force out tem o mesmo princípio, mas ocorre com atletas que ocupam as outras bases. Além disso há o tag out, jogada que acontece quando o defensor de base está com a posse da bola e toda no rebatedor que não está em contato com uma das áreas. Com isso o jogador é eliminado. 

Foto: WBSC
O trabalho do interbase é fazer o serviço sujo, ajustando erros que poderão ser cometidos pelo defensor da segunda base. Ele atua também fazendo conexões e recebendo bolas na parte intermediária do campo interno. Dele sempre será exigida muita precisão e velocidade, pois se ele também cometer um erro, inevitavelmente seu time cederá bases em momentos críticos da partida.

Por fim, os campistas tem como função ajudar na defesa do time, mas no campo exterior. É necessário muita potência e precisão para atletas dessa posição, uma vez que deverão fazer vários lançamentos, até mesmo de longas distâncias, para os defensores da base.

Uma jogada muito famosa executada pelos campistas é o fly out, quando eles conseguem segurar a bola rebatida sem que ela toque o chão. Quando isso ocorre, o rebatedor é eliminado automaticamente, mesmo que conquiste uma ou mais bases. 

Diante disso, quem tiver mais pontos conquistados dentro nas nove entradas, vence a partida de beisebol. Não há empate nesta modalidade, portanto, se após  todos os turnos o placar ainda estiver igualado, novas entradas serão adicionadas ao jogo

Regras básicas

Como já foi dito aqui, uma partida de beisebol ocorre durante nove entradas. Os dois times em campo tem turnos arremessando/defendendo e rebatendo/atacando em cada uma dessas entrada, não havendo limite de tempo. 

Traduzindo, cada time vai atacar e defender nove vezes durante a partida.

Na primeira tacada de cada entrada, o campo contará com 10 atletas em campo, sendo nove para o time que arremessa/defende e um para o time que rebate/ataca. O número de atletas de quem arremessa não é alterado ao longo das jogadas. Porém, o time que rebate pode ter mais três jogadores em campo, caso conquiste as três bases. 

Além disso, todos os jogadores do time assumem a posição de rebatedores, durante o turno de ataque, seguindo uma sequência pré-estabelecida. Quando um rebatedor não consegue correr para todas as bases, entra um novo rebatedor que poderá ocupar a base seguinte caso tenha sucesso na jogada. 

Os árbitros

Geralmente os jogos de beisebol contam com quatro ou cinco árbitros. Um deles é o principal que fica sempre de olho nas regras e na organização da partida. Outros três são responsáveis por cada uma das bases, checando as corridas e o posicionamento durante as jogadas. Por fim estão aqueles que registram os acontecimentos do jogo em súmula, atividade que pode ser feita pelo juiz principal também. 

Foto: Julio Cortez
O elenco de um time

Um time completo de beisebol conta normalmente com 25 jogadores. Oito atletas de defesa (que no turno de ataque tornam-se rebatedores), um arremessador inicial, seis arremessadores secundários, um arremessador reserva, dois defensores internos reservas, dois defensores externos reservas, um rebatedor designado, (que é especialista nas rebatidas, entrando em campo nos turnos de ataque para substituir o arremessador, que foca apenas nos lançamentos e não precisa atacar) e um recebedor

Bom, é um esporte muito estratégico e complexo né? Que bom que chegou até o fim da leitura. Agora você está pronto para assistir partidas de beisebol sem "ficar boiando". E olhe, essa explicação foi básica. Este esporte peculiar tem muitos outros detalhes, mas fica para a próxima. 

Na semana que vem, o Surto Olímpico trará mais informações sobre o softbol, uma modalidade semelhante ao beisebol, mais praticada por mulheres.

Foto: Nick Wass/AP

Nenhum comentário:

Postar um comentário