RUSADA volta a criticar representantes individuais do ROC por buscarem "seus próprios objetivos" - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

RUSADA volta a criticar representantes individuais do ROC por buscarem "seus próprios objetivos"

Compartilhe

A Agência Antidopagem Russa (RUSADA) voltou a criticar o Comitê Olímpico Russo (ROC). A última declaração veio responder a auditoria que revelou um "número de irregularidades significativas nas atividades financeiras e econômicas" do órgão de fiscalização de doping.

A resposta de RUSADA foi a descrição do documento como não "compatível com a realidade" e "de forma alguma substancialmente verificada" pelo ROC. A agência ainda disse que "os representantes do ROC não estão interessados ​​em nenhum dos argumentos da RUSADA a caminho de seu objetivo".

"Isso apenas confirma as verdadeiras intenções dos fundadores de atingir seu objetivo a qualquer custo, violando não apenas a legislação russa, mas também o padrão internacional antidoping para a proteção da privacidade e das informações pessoais" acrescentou.

"Tudo isso atesta o fato de que os representantes do ROC, embora atinjam seus objetivos, não buscam conduzir um diálogo baseado no respeito e confiança mútuos". Todos os documentos estão no Departamento de Contabilidade e podem ser fornecidos para verificação", insiste a RUSADA, rejeitando as alegações de falsificação.

Em relação a despesas de viagem, a RUSADA apresenta números sugerindo que gasta pouco mais de um terço do que o ROC faz por pessoa. Por fim, mas talvez o mais importante, a RUSADA diz que não discorda "de todo o Comitê Olímpico Russo", mas de "representantes individuais do ROC que buscam seus próprios objetivos".

"Atualmente, a RUSADA continua sendo a última ponte para a restauração do esporte russo no menor tempo possível, o que depende diretamente das ações das autoridades esportivas russas e recentemente foi fatal", reforça o comunicado. A declaração completa pode ser vista aqui.

O ROC reiterou sua alegação de que a auditoria descobriu "irregularidades significativas", mas acrescentou que "não acarreta nenhuma acusação e não nomeia uma pessoa ou culpado".

Na semana passada, com a intensificação da disputa, Ganus divulgou uma declaração dizendo que não tiraria a própria vida e que quaisquer alegações subsequentes ao contrário não deveriam ser consideradas.

Nikita Kamayev, ex-diretora executiva da RUSADA, morreu após um ataque cardíaco em fevereiro de 2016 - apenas duas semanas após o falecimento do presidente fundador da RUSADA, Vyacheslav Sinev.

Ganus foi nomeado diretor geral em 2017 e supervisionou a reintegração controversa da Agência Mundial Antidopagem (WADA) da RUSADA depois que foi declarada não conforme em 2015.

No entanto, a WADA tornou o país em desacordo novamente em dezembro, depois de alegar que os dados de doping recebidos do Laboratório de Moscou foram manipulados.

Entre as sanções impostas pela WADA à RUSADA, está a proibição de quatro anos da bandeira russa nos Jogos Olímpicos ou em qualquer Mundial. O caso atualmente está sendo apelado no Tribunal de Arbitragem do Esporte.

Foto: Igor Ivanko/Moskva News Agency

Nenhum comentário:

Postar um comentário