Federação Indiana de Halterofilismo para de usar equipamentos chineses em meio conflito geopolítico - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Federação Indiana de Halterofilismo para de usar equipamentos chineses em meio conflito geopolítico

Compartilhe

A Federação Indiana de Halterofilismo (IWLF) informou a Autoridade Esportiva da Índia (SAI) a decisão de não usar mais os equipamentos fabricados na China após os recentes conflitos de fronteira entre as nações.

Em um comunicado, a IWLF também afirmou que o equipamento fabricado na China estava com defeito, pedindo um boicote a esses aparelhos esportivos na Índia.

No início deste mês, uma disputa de fronteira terminou com vinte soldados indianos mortos pelas forças chinesas na região leste de Ladakh - reivindicada pelos dois países. A área faz parte da disputa de fronteira sino-indiana desde 1962.

Ladakh faz parte da Caxemira maior, com o Paquistão também reivindicando toda a região. Índia e China se culparam pelo recente ponto de inflamação, com o número de vítimas chinesas não confirmado.

A IWLF disse que encomendou quatro aparelhos de halterofilismo com halteres e pratos da empresa chinesa ZKC no ano passado, entretanto também disse que não serão mais usados por seus atletas devido a falhas.

O secretário geral da IWLF, Sahdev Yadav, disse ao Press Trust da Índia : "Deveríamos boicotar todos os equipamentos chineses. A Federação Indiana de Halterofilismo tomou a decisão de não usar nenhum equipamento fabricado na China".

"Em uma carta à SAI, escrevemos que a IWLF não utilizará o equipamento chinês", acrescentou. "No futuro também não usaremos fabricados na China. Usaremos conjuntos fabricados por empresas de origem indiana ou qualquer outra empresa, mas não da China".

A IWLF disse que agora mudou para o kit da empresa sueca ELICKO, com a SAI emitindo 10 conjuntos para o corpo. O técnico nacional Vijay Sharma acrescentou: "Todos os levantadores de peso do campo são contra a China.

"Eles pararam de usar aplicativos chineses como o TikTok - mesmo ao fazer pedidos on-line, eles verificam onde o produto foi fabricado", disse Yadav. "Não encomendamos equipamentos da China porque a qualidade é muito ruim - essa foi a primeira vez que conseguimos.

"Temos muitas alternativas - já temos bons aparelhos indianos e também temos equipamentos da Suécia - usaremos isso, por que devemos usar chinês?". Na semana passada, a Associação Olímpica da Índia disse que está aberta a um boicote aos produtos chineses após o conflito e está revendo sua parceria com a empresa de roupas esportivas Li-Ning.

Surte + Índia planeja intensificar esforços para receber os Jogos Olímpicos de 2032

Foto: Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário