Erik Cardoso quer se consolidar na nata dos velocistas do atletismo - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Erik Cardoso quer se consolidar na nata dos velocistas do atletismo

Compartilhe

O velocista Erik Felipe Barbosa Cardoso (SESI-SP), aos 20 anos completados em março, disputa em 2020 a primeira temporada como adulto no atletismo brasileiro. Com base nos resultados obtidos nas categorias de base, o atleta nascido em Piracicaba (SP) já detém credenciais para integrar o grupo de melhores atletas do País.

No ano passado, ainda sub-20, foi convocado para o Sul-Americano Adulto de Lima, no Peru, e integrou a equipe titular do revezamento 4x100m, medalha de prata, com 39.91, ao lado de Gabriel Constantino, Rodrigo Nascimento e Eduardo Rodrigues de Deus. “Fiquei muito feliz com a experiência. Fui chamado por minha colocação no Ranking Brasileiro”, lembrou Erik.

Treinado por Darci Ferreira da Silva, ele terminou 2019 em primeiro lugar nos 100 m no Ranking Sub-20, com 10.23 (0.0) e em segundo nos 200m, com 20.88 (0.9). No adulto ficou em sétimo nos 100m, com a marca obtida em Cáli, na Colômbia, na vitória no Sul-Americano Sub-20.

Erik foi eleito o destaque masculino da competição, repetindo o título recebido no Campeonato Brasileiro Caixa da categoria, disputado em Bragança Paulista (SP), quando venceu os 100 m, com 10.30 (0.2). Em Cáli foi campeão ainda do 4x100 m.

Nestes tempos de quarentena, causada pela pandemia de COVID-19, tem se dividido entre os treinos em São Paulo e em Piracicaba (SP), onde nasceu e mora sua família. “Lá em casa é mais fácil de treinar. Tem mais espaço do que em São Paulo, onde divido um apartamento com outros atletas”, lembrou o velocista, quarto colado no Ranking Adulto dos 100 m e segundo no Sub-23 em 2020 com 10.48 (1.6). “O grande objetivo é ganhar uma medalha no Troféu Brasil Caixa deste ano”.

Nascido a 3 de março de 2000, Erik começou no esporte aos 10 anos no SESI de Piracicaba, entrando no Projeto de Iniciação, que inclui natação, basquete, judô e atletismo. Aos poucos foi direcionado ao lançamento do disco e ao arremesso do peso. “Ele tinha muita força e potência e ficou nestas provas na categoria sub-16”, disse o técnico Darci Ferreira da Silva.

Na categoria de base, Erik ganhou prata no disco (53,74 m) e foi quinto no arremesso do peso (15,69 m) no Brasileiro Caixa Sub-16 de 2014, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, em São Paulo. No ano seguinte, na edição de 2015, no Estádio Ícaro de Castro Mello, no Ibirapuera, foi sexto no disco, com 49,26 m, mas ganhou a medalha de ouro nos 75 m, com 8.43 (0.4), abrindo espaço para a velocidade em sua carreira.

Estudante de Educação Física da UNIP Anchieta, ele recebeu apoio em casa para a prática do esporte, especialmente da mãe, Denise Barbosa, ex-jogadora de vôlei em Piracicaba.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Nenhum comentário:

Postar um comentário