Coluna Gran Willy: Relembre os principais fatos da temporada 2020 de tênis nas duplas - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Coluna Gran Willy: Relembre os principais fatos da temporada 2020 de tênis nas duplas

Compartilhe

Após relembrarmos o que de melhor aconteceu na temporada 2020 de tênis em simples, é hora de fazermos a recapitulação do que ocorreu nas duplas. Marcada pelo equilíbrio, a categoria teve apenas dois meses de disputas, por causa da pandemia de coronavírus.

Pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP, entidade que comanda o tênis masculino) apenas Marcel Granollers e Horacio Zeballos faturaram mais que um título neste ano, além do duplista francês Nicolas Mahut, que venceu dois torneios jogando com parceiros diferentes. Já na Associação de Tênis Feminino (WTA), a dupla Hsieh Su-wei (TPE) e Barbara Strycova (CZE) ganhou três troféus.

O melhor representante do tênis brasileiro atualmente é Marcelo Melo, atual número 5 do mundo (6ª melhor dupla da temporada 2020 ao lado de Lukasz Kubot). Bruno Soares é o 25º e Marcelo Demoliner é o 48º. 

No feminino, Luisa Stefani ocupa a 46ª posição, sendo que na temporada 2020 está na nona colocação nas melhores duplas do ano, com Hayley Carter. 

Janeiro 

Quatro torneios abriram a temporada de duplas masculina, sendo que os três primeiros foram do nível 250. Rohan Bophanna (IND) e Wesley Koolhof (NED) conquistaram o título do aberto do Catar. Na semana seguinte, Máximo González (ARG) e Fabrice Martin (FRA) venceram em Adelaide, na Austrália e Luke Bambridge (GBR) e Ben McLachlan (JPN) ficaram com o título em Auckland, na Nova Zelândia. 

Como não conta com uma competição entre países no início do ano (como a ATP Cup), a WTA realizou cinco torneios antes do Australian Open. Em Shenzen, a dupla tcheca Barbora Krejcikova e Katerina Siniakova faturaram o primeiro torneio do ano. Já em Auckland, a dupla Asia Muhammad (USA) e Taylor Townsend (USA) ficaram com o troféu. Fechando a semana, em Brisbane, Hsieh Su-wei (TPE) e Barbara Strycova (CZE) conquistaram o primeiro dos três torneios em dois meses.

Fechando a preparação para o Grand Slam australiano, Nicole Melichar (USA) e Xu Yifan (CHN) venceram o torneio de Adelaide. Já Nadiia Kichenok (UKR) e a ex-número 1 do mundo Sania Mirza (IND), que retornava as quadras após dois anos, venceram o campeonato em Hobart (AUS). 

Australian Open

Pela primeira vez desde 2017 um representante brasileiro não chegou até as quartas de final do primeiro Grand Slam da temporada, mesmo ano em que pela última vez um australiano faturou o caneco em casa. E isso quase voltou a acontecer, quando Max Purcell e e Luke Saville alcançaram a vaga na final. Entretanto, os campeões foram Rajeev Ram (USA) e Joe Salisbury (GBR) que derrotaram os anfitriões na final. 

Marcelo Demoliner e Matwe Middelkoop (NED) caíram na primeira rodada, Marcelo Melo e Lukasz Kubot (POL) foram derrotados na segunda rodada e Bruno Soares e Mate Pavic (CRO) foram eliminados na terceira rodada, fechando a participação brasileira nas duplas masculinas. 

Entre as mulheres, Su-wei e Stricova até que tentaram, mas não conseguiram ficar com o título do Major, após perderem na final para a dupla cabeça de chave número 2, Timea Babos (HUN) e Kristina Mladenovic (FRA) em sets diretos. 

Foto: Divulgação/Australian Open
A tenista brasileira Luisa Stefani fez boa campanha com a parceira Hayley Carter (USA), caindo na terceira rodada, em partida duríssima contra Gaby Dabrowski (CAN) e Jelena Ostapenko (LAT). 

Nas duplas mistas, Barbora Krejcikova e Nikola Mektic (CRO) venceram Bethanie Mattek-Sands (USA) e Jamie Murray (GBR), para ficarem com o título. 

Fevereiro

Com a Fed Cup ocupando a primeira semana, a WTA realizou mais cinco torneios no mês de fevereiro. A dupla japonesa Shuko Aoyama e Ena Shibahara faturou o título em São Petesburgo, Rússia, enquanto as australianas Arina Rondinova e Storm Sanders ficaram com o troféu em Hua Hin, na Tailândia. 

Nas semanas seguintes foi registrado um amplo domínio de Su-wei e Stricova, que venceram dois importantes campeonatos, um em Dubai (UAE) e outro no Catar (Premier e Premier 5 respectivamente). No aberto do México, disputado em Acapulco, a estadunidense Desirae Krawczyk e a mexicana Giuliana Olmos venceram o campeonato. 

Já para duplas masculinas, o calendário foi repleto de campeonatos. Os brasileiros conquistaram dois títulos. Primeiro com Demoliner que, junto ao seu parceiro neerlandês Middelkoop, faturou o torneio de Córdoba, na Argentina, contra a dupla da casa, Leonardo Mayer e Andrés Molteni. O segundo título veio com Melo e Kubot, no ATP 500 de Acapulco, em final disputada em três sets, contra os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

O destaque do mês ficou com Granollers e Zeballos, que conquistaram títulos em semanas consecutivas no ATP 250 de Buenos Aires e ATP 500 do Rio de Janeiro. 

Março

O mês derradeiro para o tênis. No masculino, mais nenhum torneio ATP foi jogado, já que a primeira semana esteve reservada para os jogos qualificatórios para a Copa Davis.

No feminino houveram mais dois torneios, um em Nova York, com título para Laura Ioana Paar (ROU) e Julia Wachaczyk (GER), e outro em Monterrey, no México, onde Kateryna Bondarenko (UKR) e Sharon Fichman (CAN)  faturaram o que foi até então, o último título da temporada.

Se tudo ocorrer como programado, a WTA deverá retomar suas atividades com o torneio de Palermo, na Itália, a partir do dia 3 de agosto.  Já a ATP deverá reiniciar sua temporada em 14 de agosto com o ATP 500 de Washington.


Foto: Divulgação/ATP

Nenhum comentário:

Postar um comentário