Coluna Gran Willy: Cinco tenistas que levaram menos tempo para vencer os quatro Grand Slams em simples - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Coluna Gran Willy: Cinco tenistas que levaram menos tempo para vencer os quatro Grand Slams em simples

Compartilhe

Falta poucos dias para que o tênis retome a temporada de 2020 após a pausa de quase cinco meses por conta da pandemia de coronavírus. Mas enquanto isso não acontece, que tal relembrar grandes feitos da modalidade? 

No texto de hoje, reuni os cinco tenistas que levaram menos tempo para completar o Career Slam em simples, que nada mais é do que vencer todos os títulos de Major, principais torneios deste esporte: Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open. 

Vamos a lista.

Foto: Punto de break
Don Budge: Uma lenda desconhecida para muitos. Ele foi o primeiro tenista a alcançar o Carrer Slam, levando apenas um ano entre a conquista no torneio de Wimbledon, seu primeiro Major e Roland Garros, evento que fechou o feito. Entre 1937 e 1938 ele ganhou seis títulos consecutivos deste nível. Em 1937, tornou-se número 1 do mundo em simples.

Budge também foi o primeiro a vencer os quatro Grand Slams em um único ano. Sua unica final de Major perdida foi no US Open em 1936, contra Fred Perry, em partida de cinco sets.

O ex-tenista estadunidense conquistou outros quatro títulos de Grand Slam nas duplas, dois em Wimbledon e dois no US Open, entre 1936 e 1938, sempre ao lado do parceiro Gene Mako. Em 1942, Budge virou número 1 do mundo nas duplas. 

Seu nome foi eternizado no Hall da Fama do Tênis em 1964. Em 2000, Budge morreu aos 84 anos. 



Foto: Tennis World USA
Steffi Graf: Outra lenda do tênis. A alemã não só levou apenas duas temporadas para faturar o Carrer Slam, como é até hoje a única tenista entre mulheres e homens a conquistar um Golden Slam, feito extraordinário de vencer os quatro Majors e a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, todos no mesmo ano. 

Ela é dona de outras grandes marcas. Graf fez 13 finais de Grand Slam de forma consecutiva, entre 1987 e 1990, vencendo nove decisões.  A ex-tenista alemã tem três medalhas olímpicas, sendo que um ouro (simples) e um bronze (duplas) foram conquistado em Seul, 1988 e a prata (simples) veio em Barcelona 1992. 

Graf venceu ainda o torneio de tênis das Olimpíadas de 1984, em Los Angeles, quando tinha apenas 15 anos, mas não é um feito contabilizado por tratar-se de um evento de demonstração na ocasião, para a volta da modalidade para o programa esportivo do evento.  

Em toda a carreira a alemã faturou 22 títulos de Grand Slam. 


Foto: PA/Empics
Fred Perry: O grande nome do tênis britânico com títulos de Grand Slam no currículo, antes de Andy Murray, foi Fred Perry. Levou apenas três temporadas para completar o Career Slam e terminou quatro temporadas consecutivas como número 1 do mundo na modalidade. 

Foram três títulos do US Open, três de Wimbledon, um do Australian Open e um de Roland Garros, que fechou o feito do Career Slam. 

Uma curiosidade de Perry é que ele também foi um grande mesa-tenista, tornando-se campeão mundial individual em 1929, em Budapeste, na Hungria. Ao todo ele esteve seis vezes no pódio do Campeonato Mundial de Tênis de Mesa, entre torneios individuais, em duplas e por equipes.  

Perry morreu aos 85 anos, em 1995. 


Foto: AP
Maureen Connolly: A mais jovem vencedora do Career Slam. Aos 18 anos, tornou-se a primeira mulher alcançar o feito de vencer quatro Majors diferentes na carreira, precisando apenas de três temporadas. 

Porém a carreira promissora de Connolly foi interrompida por um acidente ao andar de cavalo. Semanas depois de vencer o torneio de Wimbledon em 1954, a então atleta estadunidense caiu de sua montaria, machucando seriamente sua perna direita, encerrando assim com sua trajetória esportiva.

Ela venceu todas as nove finais de Grand Slam em simples que disputou. Em 1969 ela morreu aos 34 anos, vítima de um câncer no estômago e nos ovários. 


Foto: Reprodução
Rod Laver: Para os mais saudosistas, o melhor tenista da todos os tempos. Rod Laver tem um feito simplesmente absurdo. Ele venceu os quatro torneios de Grand Slam do ano em duas temporadas, atuando como amador (1962) e posteriormente como profissional (1969). 

Laver levou apenas três temporadas para concluir o Carrer Slam, quando em 1962 venceu o US Open, último Major que faltava-lhe. 

O ex-tenista australiano conquistou 11 títulos de Grand Slam, sendo que foi impedido de participar dos Majors de 1963 a 1967 por causa da proibição de profissionais disputarem eventos deste porte. 

Laver dá nome à quadra central do Australian Open e ao torneio Laver Cup, que tem como co-criador o tenista suíço Roger Federer.  

Foto: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário