Título do Mundial Sub-21 completa um ano em marca inédita no vôlei de praia - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Título do Mundial Sub-21 completa um ano em marca inédita no vôlei de praia

Compartilhe

Nesta semana, uma grande conquista do vôlei de praia brasileiro completou um ano. No dia 23 de junho de 2019, Vitoria/Victoria (RJ/MS) e Rafael/Renato (PB) venciam o Campeonato Mundial Sub-21 da modalidade em Udonthani, na Tailândia. Foi a terceira conquista consecutiva para o país no torneio em ambos os naipes, feito inédito.

O técnico Robson Xavier, que estava presente nas conquistas das duas edições anteriores, comentou o desafio de manter o Brasil no topo do pódio. A campanha de Rafael e Renato, irmãos gêmeos, contou com sete jogos e sete vitórias. Somando as participações de 2016 e 2017, as duplas principais do país não perdem uma partida no Mundial Sub-21 há 21 jogos.

“Tínhamos que lidar com uma pressão, pois nas duas edições anteriores havíamos conquistado o título. Estávamos buscando um tricampeonato. Os meninos sabiam dessa responsabilidade. E a escola brasileira é de muita técnica, inclusive o biotipo de Rafael e Renato não é da altura e força, como a escola europeia. Precisávamos nos reinventar em algumas ações. O que me marcou foi como eles souberam administrar o lado comportamental e apresentaram um nível técnico excepcional. O trabalho em equipe foi o que mais me marcou, a preparação e o lado comportamental”, disse Robson Xavier.

Em 17 edições do Campeonato Mundial Sub-21, apenas um país, além do Brasil, venceu em uma mesma edição os naipes masculino e feminino: a Polônia, em 2009. Os times brasileiros, porém, conseguiram cinco dobradinhas na história da competição, três delas seguidas, em 2016, 2017 e 2019 (veja abaixo todos os campeões).

O técnico Marcelo Carvalhaes, que comandou Vitoria/Victoria até o ouro, comentou o que mais marcou na campanha da parceria, que também terminou a competição invicta com sete jogos e sete vitórias. Ele lembrou o desafio de encaixar duas jogadoras que habitualmente atuavam como defensoras no Circuito Brasileiro Open.

“As meninas haviam atuado juntas no Mundial Sub-21 dois anos antes, (mas) não conseguiram um bom resultado. Tivemos que nos reunir e convencer de que o tropeço era passado, que elas haviam evoluído e estavam mais experientes para enfrentar as adversidades. Elas abraçaram a causa, isso me marcou muito. Elas se superaram encarando uma temperatura altíssima e adversárias bem mais altas e fortes. Foi um trabalho de conjunto, agradeço muito que a Confederação Brasileira de Voleibol tenha acolhido nosso projeto”, disse.

A preparação das duplas foi realizada no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ). Foram dois períodos de treinamentos, o último, um ‘intensivo’ com cerca de dez dias e apoio de profissionais de preparação física, fisioterapia, nutrição e estudo de vídeos. O processo também foi realizado em parceria com os centros de treinamento de onde os jovens foram convocados, permitindo trabalhar diversos pontos na preparação.

TODOS OS CAMPEÕES MUNDIAIS SUB-21:
Masculino
2001 - França - Pedro Cunha/Anselmo (BRA)
2002 - Itália - Pablo Herrera/Raul Mesa (ESP)
2003 - França - Pedro Cunha/Pedro Solberg (BRA)
2004 - Portugal - Angel Amo/Inocencio Lario (ESP)
2005 - Brasil - Plavins/Samoilovs (LET)
2006 - Polônia - Bruno Schmidt/Pedro Solberg (BRA)
2007 - Itália - Giontella/Nicolai (ITA)
2008 - Inglaterra - Giontella/Nicolai (ITA)
2009 - Inglaterra - Kadziola/Szalankiewicz (POL)
2010 - Turquia - Garrett May/Sam Schachter (CAN)
2011 - Canadá - Popov/Samoday (UCR)
2012 - Canadá - Kantor/Losiak (POL)
2013 - Croácia - Allison/Guto (BRA)
2014 - Chipre - Michal Bryl/Kacper Kujawiak (POL)
2016 - Suíça - Arthur Lanci/George Souto (BRA)
2017 - China - Adrielson/Renato (BRA)
2019 - Tailândia - Rafael/Renato (BRA)

Feminino
2001 - França - Shaylyn/Maria Clara (BRA)
2002 - Itália - Juliana/Taiana (BRA)
2003 - França - Morozova/Shiryaeva (RUS)
2004 - Portugal - Taiana/Carol (BRA)
2005 - Brasil - Carol/Camillinha (BRA)
2006 - Polônia - Carol/Bárbara Seixas (BRA)
2007 - Itália - Lili/Bárbara Seixas (BRA)
2008 - Inglaterra - Van Iersel/Remmers (HOL)
2009 - Inglaterra - Brzostek/Kolosinka (POL)
2010 - Turquia - Roenicke/Ross (EUA)
2011 - Canadá - Betchart/Heidrich (SUI)
2012 - Canadá - Betschart/Verge-Depre (SUI)
2013 - Croácia - Kociolek/Gruszczynska (POL)
2014 - Chipre - Sophie Bukovec/Tiadora Miric (CAN)
2016 - Suíça - Duda/Ana Patrícia (BRA)
2017 - China - Duda/Ana Patrícia (BRA)
2019 - Tailândia - Vitoria/Victoria (BRA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário