Liga americana de futebol feminino consultou jogadoras com filhos antes de anunciar novo torneio pós-pandemia - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Liga americana de futebol feminino consultou jogadoras com filhos antes de anunciar novo torneio pós-pandemia

Compartilhe

A Liga Americana de Futebol Feminino (NWSL) entrou em contato com as jogadoras que são mães durante o desenvolvimento da Challenge Cup, primeira competição do esporte no país após a pandemia de COVID-19, marcada para ocorrer entre junho e julho deste ano.

O torneio será disputado no estado de Utah e não contará com a presença de público. Por isso, as atletas com filhos foram consultadas pela comissária da NWSL, Lisa Baird, acerca da maneira como as jogadoras poderiam manter contato com suas famílias durante o período em que o torneio estiver sendo disputado.

"Isso é algo muito próximo do meu coração. Quando pedimos às jogadores, em particular às mães, que viessem por um mês a Utah, eu sei como é porque passei um tempo longe dos meus filhos por muitas semanas nos Jogos Olímpicos ”, disse Baird, que foi diretora de marketing do Comitê Olímpico dos EUA. "Então, o que posso dizer agora é que estamos trabalhando para desenvolver soluções específicas para elas".

Jessica McDonald, atacante do North Carolina Courage, tem um filho de oito anos e revelou à agência AFP ter se posicionado a respeito do tema quando procurada por Bird.

"Bem, acima de tudo, não posso morar em um hotel por um mês com uma criança de 8 anos! Não, obrigada", disse McDonald, rindo. "Ele quica pelas paredes".

As mães se certificaram de que os cuidadores de seus filhos pudessem comparecer. McDonald, que terá um membro da família com ela, disse que estava feliz pela liga ter dedicado um tempo para resolver suas preocupações e as de outras mães. "Eles lidaram muito bem com isso e foram muito úteis em geral com todo esse processo", afirmou.

Amy Rodriguez, que joga no Utah Royals, tem dois filhos e também se mostrou satisfeita com a medida tomada pela liga.

“O que alivia nossa preocupação é a confiança em nossa equipe médica, em Utah, na NWSL e na associação de jogadoras. Todos nós nos esforçamos muito para fazer um plano realmente bom, lidar com as preocupações e, esperançosamente, resolvê-las”, disse a atleta.

A NWSL Challenge Cup será realizada em Salt Lake City, Utah, de 27 de junho a 26 de julho. As nove equipes da liga disputarão quatro jogos preliminares, com oito equipes avançando para as quartas de final. 

As jogadoras atuarão em instalações usadas pelo Real Salt Lake da NWSL, incluindo um estádio e vários campos de treinamento. As 230 jogadoras e a equipe de suporte da liga estarão alojados em dormitórios ou em um hotel.

Um painel de 15 médicos ajudou a desenvolver o protocolo de teste e segurança. A liga consultou também o sindicato das jogadoras da NWSL, o U.S. Soccer e a associação de jogadoras da equipe nacional antes de avançar

“Se as jogadoras se sentem inseguras ou desconfortáveis, não são obrigadas a participar. Portanto, fico feliz que jogadoras que têm preocupações que não estão sendo atendidas podem optar por não participar ”, declarou Rodríguez. "No final das contas, eu só quero que todos estejam seguros, confortáveis ​​e felizes".

Foto: Reprodução/Instagram: @nwsl

Nenhum comentário:

Postar um comentário