Finlândia realiza primeira competição de natação e já registra quebra de recorde nacional nos 50m e 100m peito - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Finlândia realiza primeira competição de natação e já registra quebra de recorde nacional nos 50m e 100m peito

Compartilhe

Em uma das primeiras competições de natação no pós-pandemia, tivemos quebra de recordes nacionais. No último sábado (13), Ida Hulkko estabeleceu as melhores marcas finlandesas da história nos 50 e 100 metros peito, com 30s33 e 1m06s90, respectivamente. Realizada em Tampere, no sul da Finlândia, o Tampere Invitational contou apenas com atletas da seleção principal e júnior do país, além de convidados locais.

Hulkko tornou-se a primeira mulher do país a nadar abaixo da casa dos 1m07s0 nos 100m peito. Até então, sua melhor marca pessoal era de 1m07s42, feita na Copa do Mundo de Budapeste, no ano passado. O recorde nacional anterior pertencia a Jenna Laukkanen, de 1m07s35, feito nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

Os 1m06s90 é marca A exigida pela Federação Internacional de Natação (Fina) para a Olimpíada de Tóquio, mas o tempo não será válido pela competição não fazer parte do calendário oficial da entidade. A Federação Finlandesa de Natação está tentando convencer a Fina a ratificar as marcas, mas isto não deverá ocorrer.

Apesar de a temporada estar encurtada por conta da pandemia do coronavírus, Hulkko se colocou na nona colocação do ranking mundial dos 100m peito com seu desempenho, de acordo com dados fornecidos pelo portal Swim Swam. A liderança é da norte-americana Lilly King, com 1m05s65, feito em dezembro passado.

Nos 50m peito, a jovem abaixou uma marca que já era dela mesma: de 30s53 para 30s33. O recorde nacional anterior havia sido registrado em 2018. Apesar de a prova não ser olímpica, cabe destacar que Hulkko, de 21 anos de idade, foi finalista no último Mundial, no ano passado, e terminou na oitava colocação, com 31s23.

“Foi muito bom poder competir após um longo tempo, mas quando saí para a disputa, me perguntei se ainda me lembrava como nadar. No entanto, tive um bom desempenho e crédito pelo que fizemos nos treinos”, disse Hulkko em entrevista a um portal local. "Eu sabia que deveria estar em condições de recordes (nos treinos), mas quando se tratava de campeonatos, não tinha certeza se poderia ser cobrado para tirar o máximo proveito disso", destacou.

Além de Hulkko, alguns nomes importantes da natação finlandesa participaram da competição. Destaque para Mimosa Jallow, medalhista de nos 50m costas do último Europeu, que venceu 50m livre com 26s55 e os 50m costas com 28s67. Matti Mattson, detentor dos recordes nacionais nos 100m e nos 200m peito, venceu os 100m com 1m01s51. Nos 50m do mesmo nado, registrou 28s96.

Vale ressaltar que a Finlândia é um dos países europeus mais avançados no combate ao coronavírus. Com menos casos, o país já relaxou diversas medidas restritivas e pode organizar competições esportivas internas. Além da natação, o atletismo e o futebol, por exemplo, já retornaram. Inclusive, boas marcas já foram obtidas no atletismo.

Krista Tervo quebrou o recorde nacional no lançamento de martelo, com 71,93m. Na mesma disciplina, Silja Kosonen, de apenas 17 anos, bateu a melhor marca da Finlândia na categoria sub-20, com 67,99m, enquanto Aaron Kangas já lançou para a casa dos 77m. No salto em distância, Kristian Pulli estabeleceu um novo recorde nacional este final de semana, com 8,28m.

Até esta segunda-feira (15), a Finlândia registrou 7.128 casos e 326 mortes pela Covid-19, segundo o Worldometers. O mundo já passa dos 8 milhões de infectados e mais de 436 mil mortos.

Foto: Kalle Parkkinen

Nenhum comentário:

Postar um comentário