Em live, atletas e dirigentes falam e debatem o desafio do retorno e um “novo esporte” após a pandemia - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Em live, atletas e dirigentes falam e debatem o desafio do retorno e um “novo esporte” após a pandemia

Compartilhe

Possíveis cenários para um futuro próximo do esporte foram tema da conversa ao vivo transmitida pelo canal Fórum 360 Live, no Youtube. Mediado pelo jornalista Marcelo Barreto o papo contou com Rogério Sampaio, ex-judoca e CEO do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Giba, ex-atleta e atual Presidente da associação de atletas da FIVB (Federação Internacional de Volleyball), Gilberto Ratto, Diretor comercial e de marketing da CBF e Rodrigo Vicentini, Head da NBA no Brasil. 

As dificuldades impostas pela pandemia de coronavírus atingiu todos os esportes, sem exceção. A necessidade de isolamento social suspendeu ligas, cancelou campeonatos e levou ao inédito adiamento dos Jogos Olímpicos. Passados mais de dois meses trabalhando em esquema de home office, os dirigentes falaram sobre o momento de reorganização em que se encontram.

“É desafiador. Diferente da futebol e do basquete, o COB lida com 35 modalidades e cada uma tem sua especificidade. As Federações Internacionais estão pensando nos calendários e ajustando processos classificatórios para as vagas de Tóquio que ainda não tinham sido definidas. O mais importante, nesse momento, é garantir a segurança dos atletas para que, lá adiante, possamos pensar em competição”, afirmou o Rogério Sampaio que contou que o COB está finalizando um protocolo de retomada aos treinos. O documento está sendo construído em parceria com especialistas e médicos das Confederações Olímpicas.

Gilberto Ratto contou que a CBF está acompanhando de perto a experiência do Campeonato Alemão, que retomou os jogos no dia 14 de maio. Com medidas rígidas, a Bundesliga está jogando com portões fechados. “A CBF faz encontros diários para falar sobre os protocolos de um possível retorno. Estamos de olho no Campeonato Alemão para saber o que funcionou e o que não funcionou. Estamos trabalhando em dobro pensando nos preparativos”, disse o dirigente.

Quando o assunto é tecnologia, eles concordam que ela será uma aliada fundamental para o “novo normal” do esporte. Através de transmissões ao vivo, por exemplo, o torcedor pode acompanhar seu time e permanecer em segurança ao mesmo tempo. Mas como competir com as arquibancadas vazias? Além de ser um possível novo desafio para as ligas, também será para os atletas. 

“Nunca joguei em um ginásio vazio. A torcida é quem proporciona o espetáculo. Vai ser criado um novo esporte dentro dos critérios que serão feitos. São muitas perguntas que temos que analisar e responder. O esporte vai mudar”, observou Giba, campeão olímpico em Atenas 2004. Rogério Sampaio, medalha de ouro em Barcelona 1992, completou: “Os grandes atletas gostam de grandes públicos. É difícil imaginar um grande desempenho sem o publico. A energia da torcida ajuda muito”. 

Rodrigo Vicentini acredita que a tecnologia possa trazer novas possibilidades. “Espero que o novo normal venha logo. A tecnologia vai ser chave nesse momento novo e isso pode proporcionar ao público de casa uma experiência mais imersiva. O esporte vai poder ser mais personalizado pelo fã e isso pode ser uma realidade”, disse o dirigente da NBA.

Foto: Divulgação/Forum 360 live

Nenhum comentário:

Postar um comentário