Brasileiro do bobsled aprova treino de jamaicanos com carro: "é uma forma da gente chamar atenção" - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Brasileiro do bobsled aprova treino de jamaicanos com carro: "é uma forma da gente chamar atenção"

Compartilhe

Em live nesta segunda-feira (01) no Instagram do Time Brasil, o piloto brasileiro da equipe de bobsled, Edson Bindinatti, comentou a atitude da dupla jamaicana Shanwayne Stephens e Nimroy Turgott em usar um carro em seus treinamentos durante a quarentena.

No último sábado (30), os jamaicanos tiveram sua história destacada na imprensa mundial. Jornais e portais de notícias do mundo todo mostraram a dupla empurrando um Mini Cooper para manter a preparação física visando Pequim 2022.

"Achei muito legal, os jamaicanos são nossos amigos. Achei fantástica a atitude, eles sempre atraem atenção por onde passam. É uma forma da gente chamar atenção da imprensa e dos patrocinadores para nos apoiarem", comentou Edson.

O experiente piloto de 41 anos e quatro participações olímpicas também é profissional de educação física e já havia comentado durante a live sobre a dificuldade de patrocínios no esporte.

"A dificuldade é a mesma de todo atleta: falta de patrocínios e investimentos. Ainda mais em uma modalidade de neve, que tem pouca visibilidade aqui no Brasil. É difícil, mas tento conciliar os treinamentos com meu trabalho e minha família. Quem sabe futuramente a gente consiga grandes patrocinadores, não só no bobsled. A gente é brasileiro e não desiste nunca", realçou.


Oriundo do atletismo, Bindinatti mostrou que se assemelha à equipe jamaicana dos Jogos Olímpicos de Calgary pela história com o esporte. A experiência de uma equipe tropical nos Jogos de Inverno é contada no filme americano 'Jamaica Abaixo de Zero'.

"Foi igual ao filme. Quando eu saí do aeroporto foi aquele frio, voltei para dentro do aeroporto e coloquei todas as roupas. Quando fui à pista foi amor a primeira vista, vocês acreditam?

"Eu nem conhecia o bobsled, não sabia que existia os Jogos Olímpicos de Inverno. Meu sonho era ir para os Jogos Olímpicos de Verão no atletismo. Com os meus resultados expressivos, o antigo presidente da Confederação Brasileira de Esportes de Inverno - hoje CBDG - me convidou para fazer o bobsled. Ele me apresentou o filme 'Jamaica Abaixo de Zero', eu conheci o bobsled pelo filme", contou.

O 23º lugar no 4-man dos Jogos Olímpicos de PyeongChang 2018 é o maior resultado brasileiro na história da modalidade nos Jogos de Inverno. De Camamu (BA) para uma história de 20 anos dedicados ao esporte de neve. Experiência de sobra para compor um filme, assim como foi seu início no bobsled. Edson Bindinatti deixou o convite.

"Quem sabe a gente não faz o filme brasileiro. Para os cineastras de plantão, estamos esperando", disse aos risos.

Foto: Divulgação/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário