Oficial da Federação de Boxe da Índia acusa AIBA de renegociar sede do Mundial sem rescindir contrato - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Oficial da Federação de Boxe da Índia acusa AIBA de renegociar sede do Mundial sem rescindir contrato

Compartilhe

Um oficial da Federação de Boxe da Índia (BFI) está acusando a Associação Internacional de Boxe (AIBA) de ter aberto negociações para uma nova sede do Campeonato Mundial Masculino da modalidade em 2021, sem rescindir contrato com a Índia.

A cidade de Nova Délhi, no país asiático, seria a cidade-sede do evento, mas a AIBA decidiu transferir o torneio para Belgrado, na Sérvia, após os indianos perderem o direito de sediar a competição no ano que vem, por não pagar uma taxa estipulada no Acordo da Cidade Anfitriã.

A BFI emitiu uma nota alegando que a AIBA tomou "uma decisão apressada e sem consulta". 

A entidade mundial da modalidade rebateu, afirmando que "não tinha escolha" e que foi necessário uma mudança. Além disso, Mohamed Moustahsane, presidente da AIBA, em entrevista ao Times of India, explicou as dívidas financeiras da BFI.

"O valor total do contrato acertado entre a AIBA e a BFI para o Campeonato Mundial masculino foi de US$ 4 milhões e a primeira parcela, onde seria pago metade do valor da taxa de licitação, que seria então de US$ 2 milhões, deveria ser quitada pelo BFI em 1° de dezembro de 2019", afirmou Moustahsane. "Quando o BFI não pagou a primeira parcela na data prometida, apesar de vários e-mails e lembretes da AIBA, optamos por exercer o nosso direito de impor uma penalidade de US$ 500 mil, que fazia parte do contrato original, pois a BFI não estava honrando o acordo". 

O Times of India revelou que consultou as atas de reunião do Comitê Executivo Extraordinário da AIBA, mostrando que o início das discussões sobre a abertura de licitação para uma nova sede do Campeonato Mundial de Boxe, ocorreram a partir do dia 21 de novembro de 2019. 

"Eles decidiram abrir negociações sem nos consultar", disse um oficial da BFI. "Eles nem ao menos esperaram o dia 1° de dezembro, data de vencimento da primeira parcela. Nós iríamos pagar, estava quase tudo certo".

O funcionário da BFI citou uma cláusula importante do contrato com a AIBA. "De acordo com o contrato, uma federação membro à qual foi concedido o direito de sediar o mundial, recebe um período de carência de 30 dias para fazer o pagamento final", afirmou. "Então além disso, deveria ter sido disponibilizado mais 30 dias e com isso a data final de pagamento seria dia 31 de dezembro", ressaltou.

Foi dito pelo oficial da BFI, que a federação indiana procurou a AIBA no dia 17 de dezembro, para que ela confirmasse o prazo extra para o pagamento da dívida, mas a entidade não se manifestou. 

Outra dívida

A briga entre AIBA e BFI parece ser de longa data. A entidade internacional revelou que a Índia não pagou uma taxa de US$ 360 mil quando sediou o Campeonato Mundial de Boxe Feminino em 2018.

Por causa dessa dívida, a AIBA pode até mesmo suspender a BFI de suas atividades e campeonatos. "Só ouço desculpas e nada mais", disparou Moustahsane. "Se o BFI está inadimplente em centenas de milhares, como fariam para pagar milhões", indagou.

Foto: Divulgação/Yekaterinburg 2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário