Comitê Organizador desconhece detalhes dos valores divulgados pelo COI para custear adiamento de Tóquio-2020 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Comitê Organizador desconhece detalhes dos valores divulgados pelo COI para custear adiamento de Tóquio-2020

Compartilhe

Comitê Olímpico Internacional (COI) e Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio parecem não falar a mesma língua. Após o COI divulgar um valor de 800 milhões de dólares para serem gastos com as despesas extras referentes ao adiamento da Olimpíada de Tóquio, os organizadores japoneses admitiram nesta sexta-feira, 15, desconhecer detalhes da verba, bem como para onde o dinheiro será destinado.

"Nós, do Comitê Organizador, não temos ideia de como esse dinheiro será gasto", disse Toshiro Muto, chefe-executivo de Tóquio-2020, durante um encontro online, nesta sexta-feira, 15. "Por que são US$ 650 milhões? Receio que você precise perguntar ao COI".

Dos U$ 800 milhões (R$ 4,8 bilhões) aprovados pelo Comitê Executivo do COI na última quinta-feira, 14, U$ 150 milhões serão destinados a auxiliar federações internacionais e comitês olímpicos nacionais, enquanto U$ 650 milhões serão utilizados para cobrir as despesas operacionais relacionadas à organização.

A questão dos custos extras gerados pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio tem  causado muita dor de cabeça para os organizadores desde que a decisão foi tomada, em março. Os valores divulgados pela entidade máxima do esporte olímpico foram os primeiros números oficiais divulgados pela organização.

Vale lembrar que, no mês passado, a situação foi motivo de uma polêmica envolvendo COI e Japão. O COI publicou um comentário em seu site oficial, que dizia que o primeiro-ministro japonês tinha concordado em arcar com os custos adicionais dos Jogos, mas foi obrigado a remover a postagem após pedido dos governantes japoneses, que se mostraram insatisfeitos.

Thomas Bach, o presidente do COI, foi questionado sobre os valores japoneses na quinta-feira e respondeu com um discurso semelhante ao de Muto. "O que vocês viram hoje, esse envelope de U$ 800 milhões, é a avaliação do lado do COI. Essa discussão com o Comitê Organizador (dos Jogos de Tóquio) continuará da maneira que concordamos", disse ele.

Toshiro Muto, no entanto, se recusou a dizer o quanto o Comitê Organizador e o governo japonês terão que gastar para lidar com a transferência do megaevento no encontro. Apesar de ainda não se manifestarem, é esperado que o adiamento custe muito caro para os organizadores japoneses.

Sem dar muitos detalhes, Muto confirmou que alterações no plano original poderão ser realizadas exatamente como forma de economizar custos, além de tornar os Jogos seguros para os atletas. Nesse contexto, o revezamento da tocha olímpica pode ser reduzido e as cerimônias de encerramento da abertura e de encerramento da Olimpíada e da Paralimpíada podem ser unificadas.

Foto: Issei Kato/REUTERS



Nenhum comentário:

Postar um comentário