COI aprova novo sistema de qualificação olímpica do tiro esportivo - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

COI aprova novo sistema de qualificação olímpica do tiro esportivo

Compartilhe

A Federação Internacional de Tiro Esportivo (ISSF) divulgou seus novos critérios de qualificação olímpica para os Jogos de Tóquio. O sistema teve que ser reformulado e passar por uma nova aprovação do Comitê Olímpico Internacional (COI) após o adiamento da Olimpíada para o próximo ano.

Antes da pandemia de Covid-19, haviam sido distribuídas 300 vagas olímpicas, restando apenas sessenta para completar o número máximo. A ISSF garantiu que todas as vagas já  garantidas estão asseguradas e que, das restantes, dois Campeonatos Europeus em 2021 distribuirão 16 cotas, o ranking olímpico, 12, a Tripartite, 24, e outras oito serão realocadas.

O Campeonato Europeu de 10m, em Lohia na Finlândia, dará duas vagas na carabina de 10m e uma na pistola de ar 10m, por naipe. Já o Campeonato Europeu de Osijek, na Croácia, dará duas vagas na fossa olímpica, uma na pistola de tiro rápido de 25m, uma na carabina de três posições e uma no skeet, para cada naipe.

Os dois eventos substituem os torneios qualificatórios europeus que deveriam acontecer este ano, mas que foram cancelados por conta da pandemia. O campeonato da Finlândia está previsto para ocorrer entre 26 de fevereiro a 8 de março de 2021, enquanto a competição croata deverá ocorrer entre 23 de maio e 6 de junho de 2021. Caso os eventos não possam ocorrer, o ranking europeu será utilizado para definir os classificados a Tóquio-2020.

Situação brasileira

O Brasil ainda não classificou nenhum atleta no tiro esportivo para os Jogos de Tóquio, e tem no ranking mundial a chance de não sair zerado do ciclo de Tóquio. Descartando-se os já classificados via outros meios, Emerson Duarte é o quinto colocado do ranking olímpico da pistola de tiro rápido 25m e está na briga pela única vaga disponível da categoria.

Serão distribuídas 12 vagas via ranking, uma para cada uma das provas do programa olímpico. Apenas uma etapa da Copa do Mundo do próximo ano será acrescida ao ranking, ocorrendo entre março e abril, juntando-se às pontuações já obtidas entre 1º de setembro de 2018 e 31 de março de 2020. As vagas só serão sacramentadas em 6 de junho de 2021, quando o Europeu for encerrado.

Emerson também poderá ser beneficiado com a realocação de duas vagas disponíveis em sua disciplina. O Japão, que tem direito a uma vaga exclusiva por ser país-sede, conseguiu a classificação por outros meios e a cota pôde ser repassada. Além disso, nenhum atleta do Campeonato Africano atingiu a Pontuação Mínima de Qualificação (MQS, em inglês), obrigatória para garantir classificação olímpica (560 pontos), o que também fez a cota disponível para este torneio ficar vaga.

Com as realocações, ganharão as vagas aqueles atletas com o maior MQS, cujo país ainda não possui nenhum classificado naquela prova. Na linha sucessória, Emerson é o sexto colocado do "ranking" para as duas vagas da MQS. Sua pontuação é de 579 contra 581 dos classificados. Ter um bom desempenho nas próximas competições pode fazê-lo ultrapassar seus concorrentes e garantir a vaga olímpica.

Foto: Rafael Bello/COB



Nenhum comentário:

Postar um comentário