Campeão olímpico, ginasta Arthur Zanetti se adapta e mantém rotina regrada de treinamentos em casa durante o confinamento - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Campeão olímpico, ginasta Arthur Zanetti se adapta e mantém rotina regrada de treinamentos em casa durante o confinamento

Compartilhe

Em uma live no perfil do Instagram do Time Brasil, Arthur Zanetti, campeão olímpico de 2012, na  última segunda-feira, dia 4. o brasileiro contou que, mesmo dentro de casa, vem mantendo uma rotina disciplinada de treinamentos, alimentação e descanso, como se estivesse dentro do ginásio.

“Estou encarando todo dia como um treino normal. Sigo minha dieta, dois treinos por dia, descanso, preventivo e parte física. A preparação mental está igual a como se eu estivesse no ginásio”, revelou Zanetti. 

O tema central foi a importância do trabalho de prevenção contra lesões. Neste sentido, o campeão olímpico listou os três pilares que considera fundamentais para a preparação perfeita de um atleta e que vem seguindo à risca, mesmo em confinamento: treino, alimentação e descanso. 

“É claro que no momento atual, a gente perde massa muscular e força, então temos que ter cuidado. Tudo com a maior cautela para não ter lesões. Vimos que com esse trabalho conseguimos preveni-las. Porque a pior coisa para o atleta é ficar fora de treino e competição”, disse Zanetti, corroborado pela Dra. Ana Carolina Corte. médica do COB: “Nosso objetivo como equipe multidisciplinar é garantir o melhor estado de saúde para que o atleta possa treinar e estar bem durante a competição”, reforçou a médica.

O campeão olímpico está usando a criatividade para praticar atividades físicas dentro de casa, em São Caetano do Sul (SP), com direito à adaptação de seu equipamento favorito, as argolas. “O treino na quarentena tem sido atípico e estamos usando o que temos em casa: sofá, cama e cadeira. Na semana passada, achei uma viga na minha garagem e adaptei umas argolas. Não dá pra fazer a preparação igual à que faço no ginásio, mas tenho feito coisas básicas, como prancha e flexão”, relatou o medalhista de ouro em Londres 2012 e prata no Rio 2016.

A alimentação tem sido um dos pontos mais desafiadores para Zanetti dentro de casa. “Seguir uma dieta 100% é bem complicado, mas trabalhamos com o nosso corpo e temos que nos manter no peso. Quanto mais pesado eu tiver, mais força terei que fazer e o meu corpo vai sofrer. Temos que manter essa dieta para nos recuperarmos direito para o próximo treino e prevenir as lesões”, afirmou Zanetti.

A coordenadora médica do COB complementou: “O foco é esse mesmo. O treino não acaba dentro do ginásio. Tem muita coisa fora, como o cuidado com o corpo, a alimentação e o sono, para a recuperação”.

A médica do COB trabalha com a seleção brasileira de ginástica artística desde 2013 e conhece bem as virtudes do campeão olímpico. Ana Carolina acredita que o atleta aproveitará de forma positiva este período de isolamento. “Trabalho com ele desde 2013 e a dedicação dele é incrível. Não tenho dúvidas que só vai tirar vantagem disso tudo. Com a sua disciplina e foco, enquanto muita gente está se perdendo nessa quarentena, que é muito difícil, você vai sair na vantagem. Por toda noção que o Arthur tem de disciplina, foco, cuidado. Falamos de tantos parâmetros de prevenção de lesão e precisamos usá-los. A ciência do esporte tem evoluído para que a gente possa transformar esses dados em informações e usar isso no nosso foco que é o atleta.

O adiamento dos Jogos Olímpicos atrapalhou os planos, mas não tirou a confiança de Zanetti. “A gente estava bem preparado e com um planejamento perfeito. Fiquei um pouco chateado porque estava pronto para competir em julho na minha melhor forma. Agora é voltar as energias, o foco. Foi bom ter adiado, porque não haveria condições de todos competirem em igualdade. Então, agora vamos ter mais um ano de preparação para ficar ainda mais forte e melhor”, projetou o ginasta, que vai em busca de sua terceira medalha consecutiva em Tóquio.

Foto: Alexandre Loureiro/COB

Foto: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário