Surto Recapitula: como está o ciclo olímpico do basquete - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Surto Recapitula: como está o ciclo olímpico do basquete

Compartilhe

A Seleção Brasileira Masculina iniciou o ciclo olímpico para Tóquio com um novo comando técnico. Em outubro de 2017, a CBB escolhia o croata Aleksandar Petrovic, substituindo ao argentino Ruben Magnano, que deixou o cargo após a Rio 2016.

O primeiro grande desafio de Petrovic foi classificar o Brasil para a Copa do Mundo. A FIBA adotou um sistema diferente de classificação para o Mundial criando Eliminatórias, semelhantes ao que a acontecem com a Copa do Mundo de Futebol Masculino. O Brasil conseguiu classificação sem grandes problemas.

Pela primeira vez na história, a Copa do Mundo de Basquete Masculino foi disputada por 32 seleções. O Brasil venceu os três jogos na primeira fase, incluindo uma grande vitória sobre a favorita Grécia. Porém, na segunda fase, os brasileiros perderam para o Estados Unidos e um jogo-chave contra a República Tcheca e acabou não conseguindo classificação para as quartas de final. 

O título mundial ficou com a Espanha, que derrotou a Argentina na final. A seleção americana caiu nas quartas de final para a França e foi derrotada na disputa do 5° ou 8° lugar para a Sérvia, terminando o torneio apenas em sétimo lugar, sua pior colocação na história dos Mundiais.

Com o adiamento da Olimpíada, foi adiado também o Pré-Olímpico de Basquete Masculino, que distribuirá as últimas 4 vagas. O Brasil caiu no grupo da cidade croata de Split, e terá a dura missão de disputar apenas uma vaga olímpica contra Croácia, Alemanha, Rússia, México e Tunísia.


Já a Seleção Feminina disputou a Copa América em 2017, que classificava três seleções para a Copa do Mundo no ano seguinte. O Brasil acabou ficando apenas em quarto lugar, perdendo a disputa da última vaga para Porto Rico e ficou fora do Mundial pela segunda vez em sua história, já que até então só havia ficado de fora apenas na edição de 1959. A Copa do Mundo foi disputada na Espanha e vencida pela seleção dos Estados Unidos, que derrotou a Austrália na final e conquistou seu décimo título mundial, terceiro de forma seguida.

Em maio de 2019, a CBB anunciava José Neto como novo técnico da seleção feminina, substituindo Carlos Lima. Seu primeiro desafio foi o Pan de Lima, em que comandou a seleção para o ouro, que não conquistava desde Havana 1991. Em seguida, o Brasil foi terceiro lugar na AmeriCup e também conseguiu classificação para o Pré-Olímpico Mundial, que foi disputado na França. A seleção reencontraria Porto Rico em um jogo-chave valendo a vaga olímpica. O Brasil liderou boa parte do jogo, chegando a abrir 10 pontos de vantagem, mas sucumbiu no último período e na prorrogação, perdendo novamente para as porto-riquenhas e somado com as derrotas para França e Austrália, não obteve a classificação para os Jogos Olímpicos. 

Basquete 3 x 3

O basquete 3 x 3 é uma das modalidades que farão sua estreia em Tóquio. No masculino, a Sérvia foi bicampeã da Copa do Mundo em 2017 e 2018, enquanto a seleção dos Estados Unidos venceu em 2019. Já no feminino, a Rússia venceu em 2017, a Itália em 2018 e a China em 2019.

O torneio olímpico será disputado por 8 seleções em cada gênero. O Brasil tem chances de classificação apenas no masculino, em que disputará o Pré-Olímpico em Bengaluru (IND) na busca de uma das três vagas em jogo.

Fotos: Divulgação/FIBA

Nenhum comentário:

Postar um comentário